terça-feira, 28 de março de 2017

FILMES || A Bela e o Monstro


"Nós esperamos por ti para ver o filme mas, que fique registado, vamos todos vê-lo assim que chegares!" e lá fui eu, umas horas depois de chegar a Portugal, ter com eles para ver o filme por que todos aguardámos tanto tempo. 
Ao contrário da minha companhia e da maior parte das pessoas - aparentemente - A Bela e o Monstro não é o meu filme preferido nem a Bela é minha princesa preferida da Disney (a Mulan vai ter um lugar eternamente especial no meu coração e vai ser sempre a minha princesa preferida) mas eu estava morta de curiosidade para ver esta adaptação.

O filme está, de uma forma geral, fiel à longa metragem de animação que nos encantou em miúdos, tirando algumas particularidades que foram alteradas - há um detalhe desta história que vai de encontro à história original d'A Bela e o Monstro (que eu só sei por causa do livro que recebi no meu aniversário, obrigada Margarida!!!) - e outras revelações acerca do passado das personagens, que torna o filme inovador e mais rico, sem que perca a essência original que nos conquistou na infância.

Imperativo elogiar o brilhantismo dos efeitos especiais, da fotografia, do guarda-roupa e dos cenários porque, afinal de contas, A Bela e o Monstro é uma história encantada e são estes pormenores técnicos que fazem com que a magia se reflicta nos nossos olhos fascinados. Tudo foi pensado com o máximo de pormenor e empenho, garantindo cenas cheias de qualidade, esplendor, de brilhos, luzes, focos e cores que valem a pena assistir numa sala de cinema. Aliás, acho que é impossível alguém ficar de boca fechada na cena mítica do baile. Para mim, foi o momento mais deslumbrante, bonito e encantador de todo o filme.

Achei que foi uma facada brutal eles terem passado uma das falas mais importantes do filme para o bule - essa fala pertencia inteiramente ao Monstro e só assim é que fazia sentido. A transição de personagem fez com que todo o contexto perdesse um pouco a sua intensidade e beleza - mas adorei o desenvolvimento da personagem Bela, interpretada brilhantemente pela Emma Watson. Neste filme, apresentam uma princesa determinada, lutadora, heroína, com forte presença de espírito e muito independente. A animação já a começava a retratar assim mas acho que, nesta versão, deram os retoques finais. Tem sido também digno de registo por aí fora os elogios à voz de Emma Watson mas, não desmerecendo a mesma, os meus holofotes vão inteiramente para o tenor precioso de Dan Stevens, com os seus graves imponentes em Evermore - uma música que eu acho muito inteligente, é o primeiro príncipe da Disney a dizer que se sente inspirado pela sua amada, a princesa.

Para mim, esta versão responde, à altura, às expectativas de todos os fãs da Disney. Faz-nos sentir inspirados com todas as histórias dos personagens, faz-nos cantar baixinho as músicas que já sabemos de cor (embora haja a introdução de temas originais que, na minha opinião, misturam-se muito bem com o repertório das outras), faz os nossos olhos brilhar e faz-nos sentir crianças outra vez. E era só isto que eu pedia.

Poster

10 comentários:

  1. Também amo de paixão a Mulan e apesar de ninguém saber ao certo se a Mulan não passa de uma lenda ou aconteceu mesmo, o filme da Bela e o Monstro tem um lugar especial no meu coração. Pela mensagem incrível que passa e por ser real - não no sentido de existir um monstro a sério, mas pela metáfora. Desde pequenina que sempre vi a mensagem principal - de que a beleza está no interior - e sempre aquele amor crescer com um brilho nos olhos. Porque ele não era verdadeiramente mau - e achei engraçado terem dado uma "desculpa" para o seu comportamente neste filme - e além disso aprendeu com os erros.
    Concordo plenamente contigo, amei a música do Monstro. Achei incrível que tenham colocado uma música em que o Príncipe (o Monstro vá) fala do quão bem ela lhe fez.

    Mas para mim, facada no coração, é neste filme em específico ver pessoas a dizer que esperavam um príncipe mais bonito. A minha amiga disse-me isso em pleno filme e não consegui esconder a desilusão. A mensagem do filme fica completamente perdida com este comentário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Proponho que vejas o pensamento da tua amiga de outra forma (até porque vai poupar-te essa 'desilusão'): é irreal dizer que a beleza só existe por dentro. Claro que não. A beleza também existe no exterior, em tudo (pessoas, animais, plantas, patrimónios...). Claro que o verdadeiro valor e a beleza mais crua, mais pura e bonita é a interior, mas isso não anula que também exista beleza no exterior. Muitas das vezes é o interior que confere ainda mais beleza à pessoa e, se virmos bem, é precisamente essa a mensagem do filme e não se perde por a tua amiga (e outras pessoas) dizerem que esperavam um príncipe mais bonito. Faz parte termos gostos e características exteriores que nos atraem mais - até tu, se reflectires, vais aperceber-te disso - mas esse facto não impede que aprecies a beleza das pessoas que são boas por dentro. As duas podem conviver sem se anularem. Podem não ter achado o príncipe charmoso mas não refutam que ele foi um príncipe à altura em todo o seu carácter. E isso é que importa e acaba por prevalecer. Estou confiante de que o desabafo foi simples e exclusivamente relativo à aparência do actor e não acredito que tenha anulado a mensagem e valor do filme. Até porque quem amamos é sempre a pessoa mais bonita do mundo (por dentro e por fora), aos nossos olhos, mesmo que o resto da população não concorde, verdade? Não leves tão a peito e encara com leveza! ;)

      Eliminar
    2. Obviamente que o exterior interessa. Acho que se algum ser humano disser que o exterior nunca interessa estará a mentir. É inevitável acharmos bonito ou feio, isso sem dúvida. E ela pode achar o actor bonito ou feio, e eu nada tenho a ver com isso. Gostos são gostos, e existem para todos. E sim, ambas as coisas se cruzam e dão mais ou menos beleza Às pessoas, concordo plenamente. A questão é que depois do filme passar uma mensagem destas, não creio que seja um comentário despropositado. Porque lá está, os príncipes não têm de ser deuses gregos para serem príncipes. Percebo o teu ponto de vista, e concordo a 100% contigo mas continuo a achar que a mensagem se perde neste ponto de vista.

      Eliminar
    3. Obviamente não Queria dizer "despropositado" ehehe

      Eliminar
  2. Também estou muito curiosa para ver :)

    Beijinho <3

    Lina Soares
    Trinta por uma linha

    ResponderEliminar
  3. Eu adorei a Bela e o Monstro, achei fabuloso! A minha personagem favorita foi sem dúvida o Lumiere, estava simplesmente brilhantes. Em relação à Emma Watson, por muitoooooooo que goste dela, senti que lhe faltou alguma emoção em momentos criticos do filme: quando ela se despede do pai ou então quando o monstro morre (sinto que gritei mais q ela). x

    E. ♥ Meet me for Breakfast

    ResponderEliminar
  4. Eu quero muito ir ver esse filme.
    Beijinhos :)
    https://dailyvlife.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Adorei este filme e concordo com tudo que dizes aqui!

    ResponderEliminar
  6. Ainda fiquei mais curiosa para ver, mas vou ter de esperar que fique disponível online :( A minha princesa da Disney preferida sempre foi a Branca de Neve :)

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)