sábado, 28 de janeiro de 2017

LIVROS || Porque Escolhi Viver


Se eu fizesse agora, em cima do joelho, uma lista de livros que eu gostava que toda a gente no planeta Terra lesse, pelo menos, uma vez na vida, o Porque Escolhi Viver estaria num possível pódio. Andei durante meses à procura deste livro e foi o que escolhi, na Livraria Lello para descontar o bilhete. A melhor decisão que já fiz.

Yeonmi Park é uma jovem de 23 anos que fugiu da Coreia do Norte. O seu livro relata o testemunho de como é viver num dos lugares mais pobres e ditatoriais do mundo e de tudo o que teve de fazer e sacrificar para fugir e sobreviver. Hoje é um dos rostos da Defesa dos Direitos Humanos mas, muito antes disso, passou por verdadeiros momentos de coragem.

Eu reconheço com um certo orgulho que não me considero uma pessoa ignorante. Eu tenho genuíno interesse em estar atenta a tudo o que se passa no mundo e ir acompanhando notícias, documentários, materiais de informação. A situação da Coreia do Norte, portanto, não é algo que esteja tão obtuso para mim, por isso mesmo. Porque vou-me informando e sei que é muito mais do que armas nucleares. Mas este livro tem uma enorme profundidade sobre como é a realidade dos norte-coreanos. Como é, realmente, viver num regime de ditadura, com campos de trabalho, campos de prisioneiros, em pleno século XXI. Olhamos para livros, documentários e filmes sobre as atrocidades feitas na Segunda Guerra mundial feitas nos Campos de Concentração e estados ditatoriais com uma sensação de frustração, choque e desespero e, permitam-me dar-vos este spoiler: sabe trezentas vezes pior ler um livro sobre precisamente a mesma coisa e saber que é completamente actual. Está a acontecer

Confesso; em muitos momentos do livro eu esquecia-me por completo que Yeonmi estava a relatar coisas que lhe aconteciam enquanto eu já existia no mundo. Que se tinham passado há 10, 7, 5, 3 anos atrás! Mas eram tão primitivas, tão rudimentares, tão arcaicas e tão diferentes da minha realidade que, muitas vezes, o meu cérebro iludia-me e transportava-me para um romance histórico de época. Tinha de fazer um enorme esforço para compreender que o seu testemunho é muito actual.

Uma das particularidades deste livro que mais me tocou foi o facto de Yeonmi e eu termos praticamente a mesma idade. Isto fez com que, em inúmeras passagens do livro em que ela referia o ano ou a data, eu inevitavelmente comparasse a realidade que vivi, nesse tempo, com a dela. Enquanto eu cresci com todas as condições e privilégios, água, comida, luz, Yeonmi passava fome e não tinha luz em casa. Enquanto eu me punha em cima da cama, de braços abertos a imitar o Titanic, Yeonmi via precisamente o mesmo filme, contrabandeado e de cortinas fechadas, e ficava fascinada como um filme que retratava uma época há 100 anos atrás conseguia mostrar que as pessoas naquele navio tinham mais tecnologia do que ela tinha ao seu dispor. Enquanto eu via o Euro 2004 com Portugal na final e uma fatia de pizza na mão, Yeonmi comia insectos para enganar a fome. E enquanto eu entrava na flor da minha adolescência com todas as condições, Yeonmi tornava-se mulher sem o puder recusar.


É um livro muito violento, com passagens e relatos que jamais irão sair da minha cabeça, mas é um livro com cadência e muito bem relatado. É quase paradoxal porque a sua linguagem é leve, sem peneiras, mas a história é muito profunda. É como se Yeonmi fosse nossa amiga e nos dissesse "senta-te aí no sofá; eu vou contar-te a minha história enquanto bebemos uma caneca de chá".

Apesar de ser um livro duro, é urgente de ler. Pelas noções políticas e sociais que ela faz questão de nos elucidar. Para que possamos compreender melhor o mundo à nossa volta. Fez-me ganhar uma perspectiva maior sobre realidades diferentes da minha. Sobre o facto de sermos livres. Sobre o facto de sermos uns privilegiados por simples sorte.
Por sorte eu nasci numa capital europeia pouco conflituosa, com todos os privilégios e luxos e com liberdade para eu ser quem quisesse e como quisesse. Com liberdade para poder escrever, pintar, ver os filmes que desejasse e opinar. Mas nem todos têm essa sorte e é por isso que vozes como as de Yeonmi deviam ser ouvidas e lidas. Ela fala pelos que ainda não podem.

Autora: Yeonmi Park com Maryanne Vollers
Número de páginas: 319

Fotografias da minha autoria, por favor, não as utilizar sem autorização prévia

17 comentários:

  1. Confesso que não conhecia o livro mas fiquei com muita vontade de ler.

    ResponderEliminar
  2. Mal posso esperar por me sentar com ela e ouvir a história que ela tem para me contar. Fiquei muito interessada em ler este livro. Já está na minha bucket list. Obrigada pela maravilhosa e verdadeira sugestão Inn.

    ResponderEliminar
  3. Eu encontrei esse livro na Fnac uma vez e comecei a ler um bocadinho. Achei exactamente o mesmo que tu sobre a maneira como está escrito de uma maneira tão simples e leve apesar de retratar uma realidade tão diferente e pesada. Depois mudei de país e acabei por nunca o comprar. Ao ler a tua review agora fiquei a pensar porque é que passei outros livros à frente quando é uma leitura tão relevante e de que eu estava a gostar tanto.
    Definitivamente vou andar de olhos bem abertos e desta vez quando me cruzar com ele trago-o comigo.

    Beijinhos

    http://buongiornoprincipessa3.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Também já li o livro e adorei! Faz nos realmente valorizar e agradecer toda a sorte que temos por nascer e/ou viver num lugar que apesar de tudo é magnífico. Sem dúvida que tembém recomendaria a todas as pessoas do planeta.

    ResponderEliminar
  5. Precisamente o tipo de livro que gosto de ler. Obrigada pela partilha, Inês, não sabia que este livro existia.

    ResponderEliminar
  6. Adicionei este livro à minha lista de "a ler num futuro próximo" depois de ter lido a tua resenha. Parece muito interessante mesmo e o tipo de livro que me fascina ler.

    Beijinhos
    Andreia, ALL THE BRIGHT PLACES

    ResponderEliminar
  7. Já tinha conhecimento da existência deste livro, mas as tuas palavras fizeram com que quisesse lê-lo!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  8. Não fazia ideia que este livro existia mas fiquei com um bichinho e com aquela vontade de o ler!

    ResponderEliminar
  9. Tinha imensa vontade de o ler, agora depois desta recomendação ainda mais...
    http://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Inn, nao conhecia este livro, confesso. Mas fiquei tão curiosa.
    Confesso, (quase) sempre que fazes uma publicação literária a minha wishlist cresce um bocadinho. :)

    ResponderEliminar
  11. Não conhecia este livro mas agora fiquei com curiosidade em lê-lo! Obrigada pela partilha :)

    ResponderEliminar
  12. Gosto muito de ler só que a preguiça por vezes não deixa, ou a falta de tempo, mas desta vez prometo que tentarei ler este livro. Chamaste bastante a atenção da minha curiosidade :)

    Obrigada pela sugestão *

    Beijinho,

    http://cristiana-tavares.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. Não conhecia o livro mas fiquei curiosa!

    Beijinhos
    That Girl

    ResponderEliminar
  14. Convenceste-me a ler o Bloom e agora convenceste-me a ler este! Penso que seja algo extremamente necessário para mim e parece ser extremamente interessante, fiquei mesmo muito curiosa!

    ResponderEliminar
  15. Ainda não tinha ouvido falar. Parece bastante intenso, Inês.

    ResponderEliminar
  16. Se a mente não me engana, tenho a impressão de já me ter cruzado com este livro algures. Não sei se cheguei a ler a sinopse ou algo do género, mas de uma coisa tenho a certeza: depois desta publicação, terei o cuidado de procurar e comprar este livro. Este é um dos muitos benefícios da literatura: dão-nos o poder de magicar espaços físicos, temporais e suas personagens, da mesma maneira que nos arrastam para uma realidade que decorre sem nos darmos conta, ensinando-nos lições super importantes!
    Muito obrigada pela partilha Inês!
    Beijinhos!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)