domingo, 16 de outubro de 2016

FELIZ ANIVERSÁRIO, INÊS! || 21 Coisas que Só Aprendi aos 21

YEEEEEY! Dia 16 de Outubro. Caramba, ainda mal superei o aniversário maravilhoso que tive no ano passado e já estou cá para viver outro! Como passou rápido! Mas sempre com tempo para aprender.

Inicialmente eu tinha preparadas uma série de publicações especiais para esta data. Aliás, ainda as tenho todas guardadas com carinho nos meus rascunhos mas... Decidi que não as quero publicar. Para mim, nesta fase de vida e neste momento, só me fazia sentido fazer esta publicação especial no dia em que comemoro o meu aniversário e chega-me. Sinto que uma só chega. Este foi um ano com grandes lições e, por saber que algumas delas são muito profundas, eu convido-vos a olharem para esta publicação com um sentido positivo e um sorriso no rosto. Porque foi assim que eu encarei estas lições, independentemente de algumas custarem mais a aprender do que outras.

Acredito que, quando olharem para estas aprendizagens, pensem "Mas eu já aprendi isso aos 15, 17, 19 anos, como só aprendeste aos 21?". Eis mais uma coisa que eu aprendi este ano: saber é diferente de aprender. E eu sabia muuuuuuitas coisas que estavam aqui escritas (para ser sincera, quase todas) mas aprendê-las foi muito diferente. E é isso que quero partilhar com vocês. Coisas que já consolidei, mesmo que já o saiba há anos.


Nunca conhecemos verdadeiramente as pessoas. E, deixem-me que vos diga, uma pessoa com ansiedade aprender finalmente isto, como eu sou, uma aficionada por certezas... Não faz mal. Ultrapassa-se e aprendemos. A verdade é que nós não conhecemos, de facto, ninguém. Desconhecemos por completo o que vai na cabeça da outra pessoa. O que ela realmente sente em relação a nós, o que ela realmente pensa de nós... E eu acho que é importante nunca esquecermos este facto - porque é uma verdade - mas que não deixemos que ganhe uma importância exacerbada. É fundamental criarmos ligações e confiança com os outros. É essencial dar votos de fé aos outros. Pensem só: a pessoa que diz que vos ama todos os dias não sabe, nunca viu, nunca ouviu sequer os vossos pensamentos. Há voto de fé mais bonito e grandioso que este? Têm de fazer o mesmo com quem gostam mesmo que, volta e meia, derrapem. Faz parte. Não confiar em ninguém desumaniza-vos.

Cozinhar. Calma! Eu já me estou a precaver porque sei que, quem me conhece, está já a marcar o meu número de telemóvel para que eu desminta publicamente este tópico. Mas aqui me defendo: eu ainda não sei cozinhar sem envenenar toda a gente num jantar. Mas já sei cozinhar pratos sem ser massa, que me permitam sobreviver na vida. Agora sim eu sinto que, se por algum acaso, eu fosse viver sozinha, eu conseguiria mudar o cardápio, sem ser só massa, compreendem? Mas não o suficiente para marcar uma jantarada com amigos no qual não precisássemos de ligar para a Telepizza. Simplesmente o ideal para ter calorias suficientes para vir cá escrever-vos.

Se desconfias... É verdade. Não deixes de fazer a pergunta. Eu descobri que as minhas desconfianças quase sempre estão certas, para o bem e para o mal. Eu já consigo distinguir entre Fazer Filmes e Seguramente Desconfiar de Algo. E eu aprendi que nunca vou conseguir reprimir o meu instinto de confirmar a minha desconfiança e que, mais tarde ou mais cedo, eu vou colocar as cartas na mesa. E que não me posso arrepender disso, nunca, jamais! Eu aprendi que as minhas desconfianças têm quase sempre bases seguras e que a probabilidade de ser verdade é muito grande.

Há coisas que devemos guardar só para nós. Há certas coisas que devemos partilhar apenas com o nosso coração e que não precisamos de partilhar com mais ninguém no planeta. Que ficam cá dentro bem guardadas.

Nem sempre a pessoa que tem as respostas às tuas perguntas tem maturidade para tas dar. E isso é um facto ao qual eu tenho vindo a aprender. A perceber que a nossa vida não fica quatrocentas vezes mais leve se tivermos todas as respostas que queremos em relação a determinados assuntos. Há ocasiões em que simplesmente temos de tornar a vida quatrocentas vezes mais leve deitando as perguntas ao mar. Não precisamos de saber absolutamente tudo o que se passa à nossa volta para sermos felizes. Especialmente de assuntos que não nos façam avançar, por muito que tenhamos a ilusão de que sim.

Eu sou corajosa. Confesso-vos que foi uma aprendizagem muito inédita, este ano, e da qual estou muito orgulhosa. Eu não descobri que sou corajosa porque todos me diziam ou tentavam fazer-me acreditar que sim. Eu descobri que sou corajosa porque eu tive um momento de coragem inacreditável para saber lidar com algo que eu jurei a pés juntos que não teria alma para aguentar. E quando eu me vi no olho do tornado, com uma Inês do passado que dizia com todas as certezas "Eu não terei alma para aguentar" e me encontrei com a peito aberto e com os pés no chão, eu percebi. Eu lidei com aquilo que eu mais tinha medo que me acontecesse. Se isto não for coragem, então a coragem não é nada.

A amizade acrescenta coisas incríveis na nossa vida. Eu sempre dei valor aos meus amigos e sempre gostei deles de coração cheio. Mas a verdade é que também já fui muito escaldada. E durante muitos anos eu tive alguma dificuldade em dar ainda mais valor à amizade do que dava. E eu aprendi a construir isso, este ano. A libertar-me desse medo e a dar ainda mais valor aos meus amigos. Deixei que novos amigos entrassem na minha vida, fiz questão de lhes dizer ainda mais vezes o quanto são importantes para mim e tenho trabalhado ainda mais a minha relação com eles. Sim, eu continuo terrível na parte de mandar mensagens constantemente ou a marcar cafés, mas sei que fui uma amiga melhor do que me considerava, e isso deixou-me muito feliz.

A não ter medo de arriscar no guarda-roupa. Este ano eu arrisquei imenso em peças de roupa diferentes, que jamais teria usado noutra ocasião do passado. Não tive medo de usar cores que não faziam parte da minha paleta diária, de usar cortes de roupa diferentes, de combinar estilos. Fui muito mais Inês na hora de me expressar no vestuário, sem medos, mas com muitos elogios!

É importante termos um espaço mesmo só nosso. Não importa se namoram há uma década com alguém, se têm muitos amigos ou uma família extraordinária. É importante que vocês consigam arranjar um espaço unicamente vosso e onde não permitam a ocupação de mais ninguém da vossa vida. Um espaço que grite unicamente o vosso nome. Porque é esse o vosso refugio quando o mundo desaba e vocês querem estar num lugar que não grite o nome de outras pessoas. Porque às vezes é importante termos um lugar sem uma única lembrança de outras pessoas. Um espaço que tenha unicamente a vossa identidade. É mesmo muito importante.

Olharmos pelo nosso corpo e saúde é um assunto mesmo muito importante. Eu escrevo isto porque, durante este ano, eu apanhei um grande susto. Daqueles que não vos deixa dormir e que vos faz chorar. Chorar a sério. E eu dei conta desse "susto" porque sou muito observadora em relação ao meu corpo. Eu sei que pode parecer uma enorme vaidade, mas é importante olharmo-nos aos espelho e estarmos atentos. Sou suspeita porque fui academicamente ligada à saúde, mas não podemos achar que é conversa de médico. E eu nunca achei. E o susto foi só mesmo isso, um susto, mas permitiu-me descobrir algo sobre mim e que valeu pela minha observação e não pela minha médica. E isso foi uma grande lição.

Aprendi a trabalhar como nutricionista. Antes do estágio, nunca tinha tido um contacto profissional com a minha área e foi muito importante para mim ver todas as exigências e aventuras de um nutricionista na área em que estagiei. Não foi um estágio nada fácil, mas foi profundamente enriquecedor. Conheci pessoas incríveis, fiz uma amiga que admiro com todo o meu coração e finalmente percebi como era ser uma nutricionista.

Relativizar. Eu sempre me senti mal quando eu tinha algum problema e depois pensava que havia pessoas a passar por coisas piores mas isso, em vez de me fazer sossegar, só me deixava ainda pior porque, além de massacrar-me com o problema, ainda me achava egoísta. E isto era algo que me fazia muito mal. E, este ano, eu sofri uma terapia de choque; quando me aconteceu uma coisa que eu encarei como um tsunami, ao mesmo tempo, uma amiga da minha mãe sofreu um grande problema, um problema muito triste. E eu vi de perto esse problema a crescer e finalmente percebi que é importante relativizar as coisas. Sim temos problemas e sim, é triste. Sim, é preocupante. Sim, magoa muito. Mas não é o fim do mundo nem nunca será. Há fins do mundo reais e é importante saber distinguir quais são e quais não são. E embora tenhamos de nos permitir a viver esses problemas e a lidar da forma que conseguirmos, não podem consumir-nos de uma forma venenosa nem impedir-nos de viver em pleno.

Há sempre óptimas notícias ao virar da esquina. E isto foi algo que eu concluí, em especial, este ano, porque foi onde mais provas tive disso. E, sinceramente, é o que me faz permanecer neste mundo com optimismo e felicidade. É saber que as coisas melhoram sempre e que nós não sabemos nunca o que está ao virar da esquina. E não tem de ser tudo mau, terrível e pronto para nos magoar. Por vezes são coisas incríveis e que nos fazem muito bem. Por vezes são coisas que estávamos mesmo a precisar.

O respeito profissional é alcançável em qualquer idade. Descobri isto durante o meu estágio, quando fui destacada para um lugar onde uma equipa, com idade para serem meus pais e avós, tinha de aceitar as minhas avaliações, correcções e formações. Olhem para a minha foto ao lado; eu não aparento ter mais de 17 anos e achei que seria desastroso gerir uma equipa de 40 anos para cima. Eu compreendi que a abordagem que temos com os outros e a forma como nos comportamos ao trabalhar com os outros faz muito mais diferença do que ter um rosto de 30 anos. Eu quis sair de lá com a sensação de que tinha uma equipa e eu comportei-me como se estivesse numa equipa; eu ajudei-os, participei em funções que não faziam parte das minhas competências mas em que eu percebi que um par de mãos a mais valiam ouro, eu aprendi a desempenhar tarefas que não têm nada a ver com a minha área... Mas no momento de os sentar à mesa e pedir-lhes para fazerem determinadas tarefas, eles não me pediram justificações. Eles respeitaram-me porque no momento crucial eu não lhes voltei as costas e seria de muita crueldade virarem as suas a mim. Eu chegava ao meu local de trabalho e tinha tudo impecável, eu ouvia as sugestões - eu ouvia o mais possível, porque a experiência deles contava muito -, eu tentei sempre puxar por eles enquanto indivíduos trabalhadores e não pessoas que dependessem de mim para o comboio avançar. Não sei se foi o basquetebol, mas a minha visão resultou e aquele lugar transformou-se. Comunicámos tão bem que no meu último dia de estágio, houveram muitas lágrimas por todos nós, abraços de saudades antecipados e uma pizza que eles fizeram só para mim. Isto é respeito e eu aprendi que consigo, sim, ter respeito profissional.

Não posso pedir desculpa pelo que sinto. Eu compreendi que não posso fazê-lo, embora esta seja uma aprendizagem recente. Durante muito tempo deste ano eu fiz isso. Eu pedia desculpa por chorar, eu pedia desculpa por ter dado milhões de pulos por algo que me deixava feliz. Eu pedia desculpa se ficava magoada. E não posso. Eu não posso pedir desculpa pelo que sou e pelo que sinto. Eu não posso pedir desculpa por ser romântica nem chorona quando verdadeiras demonstrações de amizade e amor são feitas para mim. Tal como não posso pedir perdão por algo me ter magoado. Eu sou assim. E enquanto não ofender a integridade de ninguém, enquanto isso não me tornar mal educada com os outros, enquanto isso não me fizer querer magoar os outros, eu tenho o direito de me sentir assim. Sem culpas.

Por vezes, é mais importante ouvir do que opinar. Vocês sabem que sou uma grande adepta de debates e que adoro expor as minhas opiniões. Que sou grande fã da troca de ideias. Mas este ano eu aprendi a ouvir muito, sem ter de falar. Aprendi a ouvir pessoas com a mesma opinião que eu e aprendi a ouvir pessoas com ideias contrastantes à minha, sem me fazer ouvir. E eu aprendi que, às vezes, conhecemos muito mais passando o serão todo a ouvir do que numa conversa com troca. Nem sempre, claro, mas por vezes sim. Captamos muito mais do que apenas o que a pessoa nos está a tentar dizer.

Aprendi a ser Licenciada. Achavam que isso não é uma aprendizagem??? Mas é! Aprendi o que é concluir um curso universitário - que é muito, digo-vos já -. Aprendi a despedir-me de uma realidade que conheço há tantos anos, aprendi a despedir-me de tradições académicas que faziam tanto sentido para mim e aprendi a saber o que é dizermos "sou recém-licenciada". Aprendi que uma Licenciatura é muito e é uma aventura que nem toda a gente conclui. Mas que eu acho que conclui com sucesso e no contexto ideal, para mim.

Uma despedida nunca vem só. Eu aprendi que, às vezes, não nos despedimos apenas de alguém mas também dos lugares e das pessoas que faziam parte da rotina com essa pessoa. E os quais, sem ela, já não fazem sentido. Custa muito dizer adeus a sítios onde fomos felizes.

Viajar mais do que uma vez num ano é a melhor coisa desta vida. Nunca tinha viajado mais do que uma vez num ano. Só o facto de, há vários anos, conhecer um novo destino por ano já era maravilhoso, mas este ano estou a somar três viagens só em 2016 e... É incrível. É uma sensação de alegria, de saúde, de aprendizagem tão maravilhosa! Quem é muito adepto de viagens e nunca antes fez mais do que uma viagem num ano... Façam! É inacreditavelmente terapêutico. 

Viajarmos com quem amamos é incrível. Foi incrível. Foi uma aventura bonita, muito divertida, da qual eu guardo memórias tão boas no meu coração. Eu descobri que fazermos aquilo que mais amamos (viajar) com quem mais amamos é impagável. Mesmo que a nossa história tenha terminado. Didn't we have fun?

Cuba é tão espectacular como imaginava. Este ano, realizei um grande sonho de viagem: ir a Cuba. Foi uma viagem inesperada e eu nunca pensei que fosse riscar aos 21 anos de idade. Mas foi incrível e tal e qual eu idealizava. Foi uma viagem de vida que eu guardo neste meu coração privilegiado.

Feliz aniversário para mim!

19 comentários:

  1. Ohhh, Inn, estava tão ansiosa por ler esta tua publicação de aniversário que, mal dei pela sua presença no feed, vim logo a correr e adiei o estudo que ia começar! (:
    Tu és uma rapariga incrível e eu podia ficar a ler-te por horas a fio (assim como acho que podia ficar a ouvir-te, acredito que sejas igualmente exemplar a falar). Os teus textos têm algo de diferente de todos os outros, como se fossem verdadeiramente escritos com o coração, e é sempre uma delícia lê-los. Só espero que possa "festejar" mais aniversários "contigo", deste lado, e que te veja a prosperar na vida (a meu ver, tens tudo para que isso aconteça).
    És um autêntico docinho! Nunca te esqueças de ser feliz!
    Muitos parabéns para ti e as maiores felicidades! Que tenhas uma excelente viagem!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Inn, como não podia deixar de ser, adorei este texto! Identifico-me com algumas coisas, sinceramente, e concordo quando dizes que sabias muitas das coisas mas aprender é diferente. Curiosamente, alguns dos teus pontos cruzam-se com aqueles que escrevi numa publicação do género para publicar perto do meu aniversário.

    Espero que hoje tenhas um dia especial e feliz, cheio de coisas boas, como tu mereces, e que os 22 te tragam tudo o que desejas! És uma pessoa espectacular e espero continuar a testemunhar isso com estes textos incríveis! Muitos parabéns! :)


    A Sofia World

    ResponderEliminar
  3. Ufaaa, ler as tuas aprendizagens acabou por me ensinar, uma vez mais, muitas coisas!! A tua frase "uma coisa é saber e outra é aprender" é tão, mas tão válida! Apercebi-me de que talvez seja um pouco ingénua em relação a certos assuntos que talvez pense que conheça, mas nada como continuar a estudá-las e vivê-las para conhecê-las realmente!
    A cada dia que passa, apaixono-me cada vez mais pela tua personalidade. És um ser humano incrível, de um coração fantástico e uma força sobrehumana! És admirável aos meus e aos olhs de muita gente, e acredita que nos farias muita falta se não estivesses por aqui!
    Por estes incríveis anos que já viveste, desejo-te muitos mais! Desejo-te a força para enfrentares novos desafios, a coragem para derrubares os obstáculos e sempre muito amor para continuares com essa essência tão "Inês'ada"!!
    Muitos parabéns Inês! Tanto a ti como aos teus pais, pessoas que eu acredito que sejam incríveis e que geraram uma indivídua tão bela, tanto por dentro, como por fora, através do seu sorriso e das suas palavras!
    Para o ano estarei cá para aprender ainda mais com o teu aniversário! Espero que tenhas tido um dia espetacular e recordável para uma vida inteira!
    Beijinhos!!!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
  4. Muitos parabéns Inês! Estamos sempre a aprender, mesmo que sejam coisas básicas que já sabemos desde pequeninos... A vida é isso mesmo, uma aprendizagem constante.
    Gostei muito do teu post, foi muito pessoal e caloroso para quem o lê. Espero que tenhas um bom dia!

    Beijinhos,
    Andreia // ALL THE BRIGHT PLACES

    ResponderEliminar
  5. Já te deixei os parabéns no instagram, mas não faria sentido não tos deixar também aqui, uma vez que foi pelo Bobby que te "conheci" e que cada vez conheço mais um bocadinho. Espero que o que esteja reservado para ti no futuro seja ainda melhor do que o que já veio no passado. Mereces continuar a ser feliz e a pessoa inspiradora que és. Espero que continues a emanar e a transmitir o positivismo e a felicidade tão característicos teus a todos os que têm algum tipo de contacto contigo. Gostei muito deste post! Sem dúvida muito pessoal, muito teu! Como aliás não poderia deixar de ser. Desfruta de Madrid! Um beijinho muito grande e muitos parabéns!!

    ResponderEliminar
  6. Diz que hoje é o dia mundial da alimentação... e o teu. Um feliz coincidência!

    Muitos parabéns Inês! *

    ResponderEliminar
  7. Parabéens !
    Eu adorei as tuas aprendizagens e algumas delas eu também já aprendi, outras acho que ainda tenho de trabalhar..
    Espero que tenhas um ótimo dia!!
    Beijinhos,
    http://aruiivaa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  8. Parabéns Inês! Quero que saibas que adoro o teu blogue e já antes de ter o meu eu seguia-te e lia-te sempre que tinhas uma nova publicação
    A tua escrita é de outro mundo e podes não acreditar mas és uma inspiração para mim
    Ler as tuas publicações é como estar a falar contigo numa esplanada como se nos conhecemos à muito tempo
    Todas as coisas escritas, as palavras é como se visualizassemos tudo o que viste e sentiste
    Parabéns pelos 21 anos e parabéns pela pessoa que és e pelo teu blogue
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
  9. Adorei o teu texto e identifiquei-me com muita coisa. Fiquei fã depois de ler, a tua entrevista no blogue da Rafaela.

    ResponderEliminar
  10. Espero que tenhas um dia maravilhoso! (apesar de estar a terminar).

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar
  11. Muitos parabéns :)
    Já estou a seguir o teu blog.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Muitos muitos muitos parabéns, querida Inês! Espero, para o ano, encontrar-me aqui de coração quentinho a ler as tuas boas aprendizagens ao longo do novo ano. És uma pessoa incrível! Espero que tenhas tido um dia muito feliz!

    ResponderEliminar
  13. Bem, já devia estar à espera disto, afinal, o Bobby Pins não é o teu blogue se eu não acabar uma publicação destas a chorar. Não tenho 22, ainda nem 20 tenho, grande parte das coisas que referiste ainda não as aprendi, porém, não consigo deixar de sentir uma empatia enorme por todas as situações que descreveste.
    É verdade que nunca conhecemos bem as pessoas, mas é tão bom confiar e ter a quem contar as nossas divagações, é tão bom podermos conhecer mais um bocadinho a cada dia que passa da pessoa que está ao nosso lado.
    Sim, temos de relativizar, mas não podemos deixar de sentir nem isso nos torna egoístas. Como tu, muitas vezes dou por mim a pensar que o outro está pior que eu e não tenho qualquer direito de me lamuriar, mas Inn, nós temos direito, ou podemos fazê-lo, principalmente, se não esperávamos que alguma coisa nos acontecesse a nós: temos direito a chorar e sentir falta, a sentir dor. Porém, também temos o dever de nos levantarmos, erguermos a cabeça e andar em frente.
    Fico mesmo feliz por viver em simultâneo contigo, porque posso ser testemunha de um cantinho tão magnífico quanto este. Fico mesmo de coração cheio por ter este refúgio onde me venho entreter de publicação em publicação, a rir, a chorar, a sentir o que nos descreves. Fico mesmo repleta de alegria por saber que há pessoas como tu neste mundo, boas, sensatas, verdadeiras!
    Parabéns Inn, que todas as aprendizagens que os 21 anos te trouxeram se multipliquem e mantenham vivas nos 22 e em diante; que estes 22 anitos sejam apenas o início de uma vida maravilhosa como eu sei que tu vais ter; que o teu futuro te brilhe tanto como tu mereces, porque acredita Inês, tu mereces!
    Um beijo enorme de uma pessoa que te admira mesmo muito.

    ResponderEliminar
  14. Parabéns (atrasados) :)
    Normalmente dizem que as pessoas só aprendem quando passam pelas coisas, e até é uma grande verdade. E enquanto lia o teu post, identifiquei-me com vários aspectos... principalmente no ponto "Relativizar". Eu funciono tão assim! Custou-me bastante a aprender separar as coisas, mas aprendi. Toda a gente tem problemas, uns mais do que outros, uns maiores que outros, mas mesmo que seja apenas por um segundo, temos de dar atenção às nossas dores, para conseguirmos superá-las e aprender alguma coisa com elas.

    ResponderEliminar
  15. Antes de mais, muitos parabéns! De facto, sabemos sempre muitas coisas mas aprendê-las a sério é algo completamente diferente. Percebi pelo teu texto que passaste por uma situação menos boa (se interpretei mal, nevermind!), mas embora custe bastante, tenho a certeza que vais conseguir superar tudo com a boa disposição a que nos habituaste :)

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  16. Já li a publicação no próprio dia em que foi publicada, mas só agora é que tive oportunidade de comentar ( a culpa é da faculdade xD).
    Adorei ler as tuas aprendizagens, eu própria aprendi contigo. Aliás, há sempre tanto para aprender contigo, o teu blog inspira-me tanto e motiva-me a ser melhor.
    Tu aprendeste que és corajosa este ano, mas eu acho que tu já o és há muito tempo, só que não sabias. Já ultrapassaste e fizeste tanta coisa que seria impossível não teres sido corajosa em algum momento.
    Mais uma vez, parabéns :). Continua a ser a rapariga bem disposta e alegre que és, continua a ter garra e a lutar pelo que queres. Já conquistaste tanto e tenho a certeza que ainda conquistarás muito mais.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry



    ResponderEliminar
  17. Gostei muito!
    Boas aprendizagens :) Também, vindas de uma pessoa com o mesmo nome que eu ahaha, só podia :p
    Sou uma nova seguidora!

    http://glamourandsparkletrends.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)