quinta-feira, 1 de setembro de 2016


É com sinceridade que eu acho que estes Favoritos de Agosto estão mais diferentes e mais completos do que todos os outros meses anteriores. Pode até ser uma ilusão minha e permanecer completamente igual, mas eu sinto mesmo que fiz uns Favoritos mega completos. Espero que vocês concordem também, há muitas sugestões por aqui!





Eu reconheço que ainda me custa um pouco alinhar a 100% na moda das sandálias pompom. Se nuns dias acho a peça super única e original, noutros acho que é simplesmente uma árvore de Natal para os pés. Então andei este Verão num vai-não-vai para comprar sandálias pompom. Até que percebi que o que eu adorava nestas sandálias era as cores e aplicações, e não os pompons em si. E percebi isso quando vi estas sandálias. Cheias de cor e missangas, foram amor à primeira vista. Adoro que sejam tão alegres, tão cheias de vida, adoro o corte que assenta muito bem no pé e o branco em junção com o rosa fica excelente numa pele bronzeada. Converteram-se nas minhas sandálias preferidas e têm um andar fabuloso. Somos muito felizes juntas.


Sou uma fã assumida de mocassins e algumas sabrinas. São o meu calçado de transição preferido e tenho de vários estilos e feitios. Recentemente, apaixonei-me por estes sapatos e são diferentes de todos os que tenho: pela cor (adoro este rosa creme, é maravilhoso), pelo verniz e pela aplicação a dourado. Acho que é um calçado intemporal, muito maduro (posso perfeitamente levá-lo para o trabalho) e que dá um up no visual. Vai ser o calçado de Outono, tenho a certeza!


Já perdi a conta dos elogios que recebi com este colar. Das pessoas que apontam para o meu pescoço, que pegam nele, que ficam fascinadas com a cor. Percebo-lhes o fascínio, porque aconteceu comigo, também. Adoro a cor, neste cobre, tão única (é tão típico só o dourado e prateado), gosto imenso do pendente circular e dos detalhes no interior (faz-me lembrar algumas janelas de bairros em Lisboa) e a corrente final. É feminino, elegante, charmoso e delicado. Tudo o que uma mulher precisa num colar.


Há muito tempo que andava à procura de uma mala com este feitio. Aliás, cheguei a apaixonar-me por uma na Parfois, exactamente deste estilo, mas em verniz e acabei por nunca a levar. Ainda bem, porque o meu coração saltou um batimento com esta. Adoro que seja neste rosa delicado pastel, que seja numa cor menos convencional. Eu queria que esta mala, neste corte, tivesse uma cor especial e eu acho que, apesar de tudo, é muito versátil para um dia despreocupado de verão ou para combinar com um casaco acinzentado e quentinho no inverno. É prática, mega gira e ainda tem a mensagem mais amorosa do mundo estampada discretamente na frente. Perfeitinha!


Ofereceram-me, literalmente, as melhores meias de sempre. Breve contexto: eu sou conhecida por ser o Grumpy Cat humano, porque se estou privada de sono, comida ou paciência, eu sou exactamente aquele gato. Inclusive na expressão. E então, pela graça, decidiram oferecer-me três pares de meias do Grumpy Cat e eu morri por dentro de felicidade porque são giras demais. As mensagens são tão engraçadas! Eu não sou nada de meias animadas (aliás, no dia-a-dia, só costumo usar pezinhos e meias desportivas - as que dão pelo tornozelo) mas estas tenho de abrir excepção. Saber que, um dia, vou andar de botas calçadas com um Grumpy Cat em segredo escondido nos meus pés faz-me soltar uma gargalhada maléfica.


No ano passado, vi este sobretudo e apaixonei-me. Toda a vez que visitava a loja ia ao seu encontro, tocava-lhe, namorava-o. Mas achava demasiado caro dar 50 euros por ele. Acabei por desistir e dar prioridade a outras compras.
Este mês, numa visita despretensiosa, encontrei-o a 19 euros!!!  Fiquei pasma e, por uns segundos, temi que não houvesse o meu tamanho. Mas havia e agora ele mora no meu armário, sem ter pesado na carteira. Eu adoro comprar sobretudos e casacos no verão. São sempre muuuuuito mais baratos. Teremos um caso de amor, juntos.

Eu e a minha mãe andamos numa de experimentar alguns batons. Sinceramente, (ainda) não temos grande paciência para fazer investimentos absurdos em batons - aliás, eu nem devia incluir a minha mãe nisto, porque ela tem os seus Diors, Lâncomes e que tais, eu é que sou a desafortonada, enfim -. Também não arriscamos muito porque os nossos lábios alteram sempre a cor dos batons e às vezes saem grandes desilusões. Então ficamo-nos pelos baratinhos, sem qualquer drama e vamos vendo as cores que melhor nos assentam. 



Eu fiquei mega fã de dois batons da Cien. Um é um lip gloss num tom nude, mega discreto, perfeito para o dia a dia, na cor 30 - Nude Lips e o outro é num rosa meio alaranjado (a puxar para o coral) que tem algumas partículas de brilho super bonitas. É um batom que arrasa se estivermos com algum bronze. E é na cor 39 - Watermelon (que eu acho que descreve na perfeição a cor do batom).


Por curiosidade, decidi experimentar também um batom mate da Primark e deixem-me confessar-vos que, cada vez que o coloco, tenho vontade de comer a bala. Tem uma fragrância de baunilha com um toque de côco, é extraordinário. Comprei num tom acastanhado - não tem código -  e gosto imenso do conforto que dá nos lábios, do packaging, de como me assenta. Fiquei super fã.

Aqui em casa, nunca tivemos pranchas ou babyliss. Foi sempre algo que pensámos adquirir, mas depois surgiam outras prioridades e também nunca sabíamos o que comprar primeiro, se a prancha ou o babyliss, porque a minha mãe só gosta de esticar o cabelo e eu só gosto de encaracolá-lo (o meu cabelo mais esticado que isto é impossível, ele já é lambido) - mulheres, nunca satisfeitas com nada...
Maaaas, no início do mês, a minha mãe trouxe este kit de cabelo sensacional. Para sermos sinceras, inicialmente não dávamos nada por ele, okay? Comprámos porque era mega barato e porque tinha prancha e babyliss, logo, não precisávamos de comprar mais nada mas... Estávamos um bocado na dúvida que funcionasse.
Basicamente tem um cabo mãe para todas as peças daquele conjunto e tem dois modos de temperatura, um para cabelos mais finos ou pintados, o outro para cabelos mais grossos e resistentes. Vem com uma prancha, dois tubos para encaracolar (um para caracóis mais pequenos, outro para maiores) e ainda uns acessórios para mais efeitos de cabelo. Só temos de encaixar o que queremos no cabo mãe, aquecer e pronto!
Olhem, funciona, e funciona de uma forma incrível! A prancha alisa super bem, a babyliss é fenomenal e tem sido o nosso melhor miminho do mês. Volta e meia lá vou eu alisar o cabelo da mãe, para ela ir toda arrasadora para a cidade ou experimentamos os caracóis em mim, para eu me sentir toda princesa. Foi literalmente uma compra que há muuuuuito tempo planeávamos e, pelo preço que foi, e com tudo o que veio, compensou milhões, nem que seja pela nossa felicidade e vaidade (porque nós merecemos!)



E como se trata de Body Talk, existem duas coisas acerca do meu corpo que, este mês, foram um favorito que me ajudou muito na minha auto-estima! A primeira, é a minha pele: posso dizer-vos, com segurança, que já não estava com este tom de bronzeado desde, talvez, os 10 anos. Quando era miúda, bronzeava super bem (ficava preta nas pernas) mas com o tempo fui sempre ficando esta lula ultra-congelada. Ganhei uma corzinha quando fui à República Dominicana, mas nada se compara com este ano, o que é irónico, porque comecei super tarde as minhas visitas à praia. Estou com a pele dourada, num tom lindíssimo, cheia de sardas e... sinto-me bonita! Não podia deixar este registo de fora! Não é um auto sobre a minha vaidade, mas sim felicidade absoluta por me ter sentido bonita este mês.

A segunda é relativa à minha condição física! Recentemente estive em contacto com algumas instrutoras de dança e uma delas olhou-me de cima a baixo e disse que devia entrar em aulas de dança clássica e contemporânea porque tenho estrutura e complexão física para a modalidade. Eu avisei-as logo de que, o mais próximo que estava de voltar para a dança era a fazer aulas de barra de chão (eu adoro barra de chão, acho que quem sabe o que é vai matar-me, agora mesmo, porque não há ser humano que goste de barra de chão - não se esqueçam que eu sou UFO). A verdade é que não está mesmo, de todo, nos meus planos ir para a dança (aliás, tenho outros planos desportivos que quero colocar em prática já em Setembro) mas é maravilhoso estares numa amena cavaqueira e, do nada, uma instrutora de ballet dizer-te que tens corpo para bailarina, especialmente em pleno Agosto, depois de comeres duas tostas de frango (e juro-vos que ela não estava a gozar comigo, okay?).
Não sei se estão preparados para a quantidade de coisas que eu tenho para vos mostrar aqui mas... Cá vai.
Este mês foi o mês em que decidi que ia parar de apenas babar para os vídeos do Tasty e fotos do Pinterest e que ia, finalmente, colocar em prática as receitas. Fiz montes de screenshots e continuo focada para que isto aconteça. De passar dos likes e do "Isto parece fácil, um dia vou fazer" para o "Só me falta a cebola, amanhã compro e faço para o jantar". Experimentei duas receitas: um strogonoff brasileiro de camarão (que eu substituí por frango porque não tinha camarão em casa) do Tasty e uns camarões com molho de soja, mel, limão e entre outros. Tanto um como o outro estavam deliciosos, mas o meu preferido foi o strogonoff, estava uma carícia do Céu. E pronto, agora que puxei o gatilho, não há como parar, só quero testar mais e mais receitas!

Este mês passei por Setúbal à hora de jantar e fui comer o tão típico choco frito de lá. Eu acho que nem vale a pena especificar restaurantes porque qualquer um deles vai apresentar-vos um choco frito que vai conquistar o vosso coração inteiro. Onde eu fui, o choco tinha também uma tacinha com um molho de caranguejo para mergulhar as batatas e o choco (tipo um patê) e ainda hoje eu sonho com esse molho. Esse patê colou todos os pedaços do meu coração.

Okay, vamos então entrar no campo do colesterol e gordices. Foi em Agosto de 2016 que eu descobri as melhores batatas fritas de sempre. Esqueçam doritos e pringles. Esqueçam tudo. Batatas fritas de mel e mostarda.
Juro-vos que quando o pacote veio parar às minhas mãos eu torci o nariz. Eu achei que a combinação não ia dar certo, mas são as melhores batatas que já comi, do universo. Vocês sabem que eu tenho um bocado a nóia da mistura do doce/salgado (helloo? Pipocas doces e salgadas, batatas fritas com sunday... Já chegaram lá, certo?) e estas batatas têm precisamente isso: o toque doce do mel (não sabem mesmo muuuuito a mel, apenas ficam com o paladar desperto para o doce) e da mostarda, com o salgado da batata. Não sei o que dizer, apenas sentir. Por favor, provem e sejam felizes.



Os meus próximos dois favoritos envolvem limão. Para quem desconhece, eu adoro tudo o que leva limão. Tudo. O sabor a limão, para mim, é maravilhoso. E eu vivi um caso de amor, no supermercado, quando vi DONUTS DE LIMÃO. DONUTS DE LIMÃO. É maravilhoso. São os donuts normais (não têm recheio) mas com o aroma do limão. Para ser sincera, acho-os óptimos porque também não ficam tão enjoativos como os originais e têm sempre aquele toque doce e fresco típico das comidas com sabor cítrico.


O segundo é um chá, de limão e gengibre. São dois sabores que eu adoro e eu associo muito o gengibre à época Natalícia (por causa das bolachas, dos temperos e tudo mais). O chá sabe, literalmente, aqueles rebuçados de limão e o que corta o exagero do doce é mesmo o picante do gengibre. Acho que vamos ser ainda mais amigos no Outono!
Deste mês tenho um livro fantástico que adorei, mas como quero falar sobre ele muito brevemente, não vou sequer revelá-lo - fiquem atentos, está para breve!


Não resisti em trazer para casa este caderno maravilhoso. Adoro o padrão mármore e as letras em cobre. É o que estou a usar para o meu 5 Year Journal, by the way! (querem aprender a fazer o vosso? Cliquem AQUI).
Este mês que passou, os meus filmes preferidos foram A Canção de Lisboa e a Vida Secreta dos Nossos Bichos. Não me vou adiantar muito porque ainda quero fazer uma publicação dedicada ao filme!

A minha colecção cresceu mais um bocadinho, este mês. No início de Agosto, ofereceram-me o primeiro filme da Disney que assisti, a Cinderella. Os meus olhos brilharam, quase com uma lagriminha de nostalgia. Foi tão bom rever todos os personagens, aquela ideia tão pura e bonita dos sonhos e do amor (que eu, muito tontinha, teimo em acreditar). Apesar de tudo, a minha personagem preferida é o Lúcifer. Não há como não adorar aquele gato mafioso!



Estou apaixonada por um programa culinário, o Bela Cozinha. Adoro tudo!; A decoração dos cenários, adoro de morte a banda sonora, adoro que a Bela faça sempre o programa com uma grande ligação à Nutrição, na medida em que prepara as receitas com alternativas saudáveis e gosto imenso dos convidados que traz, porque há ali uma janela de oportunidade para ela poder falar com eles sobre comportamentos alimentares. Sou altamente apaixonada por este programa que dá na Globo!

O bom das pessoas que não são grandes apreciadoras de séries - como eu - é que vocês sabem que, quando a pessoa gosta de alguma série, é porque esta é mesmo extraordinariamente fantástica. Só existem duas séries cujos episódios vi até ao fim: Suits e El Príncipe. 
El Príncipe já passou a primeira temporada há dois anos, que foi quando vi e viciei, mas está a passar agora, outra vez, na RTP2, porque, de seguida, vão passar a temporada 2. Desenganem-se se acham que esta é uma série de príncipes encantados e donzelas indefesas.
O tema é super actual e toda a trama passa-se em Ceuta. De uma forma resumida (e sem spoilers, prometo), conta a história de Fátima Barek, uma jovem muçulmana que tem dois irmãos; um é cabeça de uma organização de tráfico de droga e o outro, mais novo - e com quem tem mais ligação - está desaparecido. A desconfiança é de que poderá ter sido captado para uma organização terrorista. A história intensifica-se quando a protagonista se apaixona pelo (giraço, arrebatador, boy-magia-de-todos-os-nossos-sonhos) Javier Morey, o inspector chefe com uma falsa identidade, que está encarregado de investigar o caso do irmão desaparecido.
A série é espanhola, mas não esperem novelas. Adorei a série porque fala precisamente sobre um tema actual e muito pertinente: a distorção e lavagem cerebral que estas cédulas fazem aos seus seguidores fiéis, atentados terroristas, os conflitos das religiões e da cultura. Ao longo de toda a série há inúmeras reviravoltas e só queremos saber mais e mais porque prende-nos ao ecrã a cada novo desenvolvimento. Vão render-se aos personagens e acho que, por ser um tema tão diferente das tão típicas "temáticas de séries", vai primar pela diferença. Vejam, que esta repetição ainda está no início e vão conseguir apanhar bem a história. Pessoas sensíveis, não se preocupem, não é muito chocante a nível de imagens.


Andava há bastante tempo para comprar um cabo de carregador de 3 metros, mas não encontrava nenhum. Os que via no mercado eram mais extensos que o original, claro, mas eu queria um cabo de comprimento absurdo para não ter de estar toda virada na cama a mexer no telemóvel. Fi-nal-men-te encontrei um cabo de 3 metros, que é um absurdo de tamanho, mas é tão confortável poder mexer no telemóvel sem ter de fazer malabarismos ou estar em chamadas sentada no chão.

Tenho dois jogos super giros para vos falar. Começo já pelo meu preferido, Slither.io. Lembram-se de vos ter falado do agari.o? É um jogo muito parecido, mas com cobras/minhocas. Começam o jogo com uma cobra pequenina, que têm de alimentar conduzindo-a aos pontinhos coloridos que vão aparecendo no ecrã para que cresça e ganhe pontos. O objectivo é que a vossa cobra chegue ao TOP10 de pontuações (já cheguei ao primeiro lugar uma vez, yey!) maaaaas, ao contrário do agari.o, aqui vocês vão fugir dos outros utilizadores (ou cobras). Isto porque, se no agari.o, cada vez que passassem por cima de uma bola, comiam-na e ficavam maiores neste, se tocarem numa cobra, morrem e o jogo acaba. Quando morrem, o vosso cadáver (que mórbida, enfim) transforma-se num rasto de bolas brilhantes no qual as cobras adversárias podem alimentar-se e ganhar quase o triplo do tamanho e pontuações. Por isso, o vosso objectivo é comer o mais possível e, de preferência, comer os restos das cobras mortas para ficarem crescidas mais depressa. Juro que este jogo é fofinho e não é esta carnificina que parece na minha descrição. Eu jogo no telemóvel (há uma opção sem precisarem de net, yesssss) mas quando vi o Felipe Neto fazer um vídeo a jogar isto, percebi que deve haver a opção para jogarem online no computador.

O segundo jogo é o Gartic. Uma vez mais, podem jogar no computador ou no telemóvel (ambas as plataformas são boas). É aquele jogo em que alguém está a desenhar e vocês têm de adivinhar o que é. Eu prefiro o Gartic em relação a todos os restantes porque, no telemóvel, vocês estão a adivinhar o desenho em tempo real, ou seja, vêem a pessoa a fazer os rabiscos, a apagar, vêem os outros participantes a dar sugestões... Nos outros jogos do género, para telemóvel, nunca vi isso acontecer, simplesmente é um utilizador que desenha, depois envia ao participante e aguarda que, um dia, o participante responda. Não tem piada nenhuma. 

Gostei imenso deste vídeo da Karol. Eu já fiz uma publicação assim do estilo (qualquer coisa como o que aprendi com o amor, assim do género) e ver a versão de uma Youtuber com a qual me identifico muito foi fantástico. Para que não restem dúvidas, eu concordo plenamente com o que ela diz em todo o vídeo. As lições dela são mesmo verdade e espero muito que também as tenham presentes na vossa vida!


Acho que nunca tinha rido tão alto com um vídeo, ao ponto de sentir as lágrimas! Este vídeo sobre os adeptos brasileiros nos jogos olímpicos está sensacional. Se querem dar gargalhadas, por favor, vejam!


Este mês refugiei-me muito na música. Nas letras, nas melodias. Ganhei forças com a letra de umas e soltei algumas lágrimas com a melodia de tantas outras. Sempre me expressei muito pela música, sempre comuniquei muito pela música. Acho que é um detalhe que, aqui no blogue, passa de uma forma muuuuito mais subtil para vocês do que é a realidade do meu dia-a-dia. Eu vivo música, eu sou música e eu comunico muito pela música. E, este mês, eu comuniquei assim:


Mãe, obrigada. Por quereres dividir, ao máximo, as minhas dores contigo. Por teres sido a primeira a levantar-me a cabeça e dizer que eu sou forte e que desistir não é nada meu. Por me abraçares tão forte que quase colas todos os pedacinhos que se partem em mim. Por acreditares sempre em mim, por me fazeres lembrar do que é importante, por saberes sempre como me sinto. Não preciso de to dizer, não preciso de to explicar, porque tu descreves sempre, na perfeição. Olhas-me nos olhos e sabes. Obrigada por teres sido a minha melhor ouvinte nestes últimos tempos, agora mais do que nunca. Por compreenderes sempre o que queria dizer. Acho que é por isso que, hoje, eu estou mais leve: porque eu pude libertar tudo o que sentia e saber que, do teu lado, eu ia receber um "Eu sei. É como se...", "E depois vais ficar assim...", "Eu acredito em ti". Mãe, de todas as pessoas que acreditam em mim, é em ti que eu mais acredito quando tu dizes que acreditas em mim. Porque és tu que me recebes de braços abertos no fundo do poço. E quem vê o seu atleta todos os dias, a sofrer no balneário, sabe quando é que ele poderá chegar ao pódio. E tu sabes sempre, mãe. Oh, obrigada.

Obrigada, pai. Porque tu nunca duvidas que eu vá sair sempre por cima, mas olhas sempre para mim como "a tua menina". Porque não precisas de sair de espada em punho, em minha defesa. Tu ensinaste-me a defender-me, mesmo de lágrimas nos olhos e coração em riste. Porque tu comunicas comigo no chá que me fazes quando me vês mais sossegada, na minha comida preferida sem eu ta pedir, quando sorris para mim aleatoriamente. Sabes que sou de ferro e que sei levar tudo de uma forma positiva. Que sei ultrapassar, que sei viver o dia de amanhã tentando que seja melhor que o de ontem. Eu aprendi contigo também, pai. Obrigada pelo puzzle que decidiste abrir à minha frente, para fazermos juntos, por me teres levado à minha praia favorita de todo o sempre. Eu sei que me estavas a espicaçar para sorrir mais, para ser mais Inês e para deixar as tristezas de lado. E eu sei que tu sabes que eu sei fazer isso. Serei sempre a tua menina.

Obrigada família. João, avós, tia... Porque quando eu preciso de vocês, nunca me deixam na mão e acarinham-me de uma forma quase curativa. Obrigada por todas as palavras amorosas, por todas as palavras de força, por todos os abracinhos, por todos os incentivos para os novos desafios em que me quero meter. Obrigada por cuidarem de mim e por terem olhado por mim. Obrigada por nunca me falharem quando preciso de vocês, quando sinto o mundo sobre as minhas costas. Por me lembrarem que eu sou sempre amada, por cada um de vocês. E que nunca, que nem sonhe (!!!), que estou só.

Obrigada Lisbon. Porque somos miúdas fortes e passamos a mensagem pelos nossos abraços. Porque as duas vivemos momentos intensos nos últimos tempos mas não deixamos de ver o mundo com um sorriso cândido e uma força inexplicável. Porque, do teu lado, nunca há impropérios ao mundo, mas sim mensagens bondosas e amigas. Obrigada por teres dividido aquele momento comigo e por saberes sempre o que dizer. Obrigada por estes anos todos de amizade, que resultam nos "Eu soube logo pela tua voz, assim que me ligaste" ou "Não almocei sequer, vim a correr para a tua casa". Amiga querida.

Obrigada Bea e Matos. Pelos jantares, pelos cinemas, pelos passeios. Por me fazerem rir tanto ao ponto de chorar. Por me deixarem escolher os ingredientes da pizza. Porque, do vosso lado, eu não sei o que é estar triste. Porque vocês recebem-me sempre com um sorriso aberto e com uma nova piada, uma nova fofoca, uma resposta na ponta da língua. Obrigada pela vossa amizade, este mês mais do que nunca. São vocês que me fazem chegar a casa com um sorriso no rosto e uma série de memórias felizes no coração. Juntas, dividimos muitas coisas na vida e muitas fases de crescimento. É muito bonito que estejamos todas onde estamos, sempre unidas, a puxar-nos para cima. Obrigada por nunca faltarem.

Minha Joana. Cada dia admiro-te mais. Foste a melhor surpresa do meu estágio e levo-te num cantinho tão especial do meu coração. Abri-o por inteiro ao teu lado e foste a pessoa mais maravilhosa do mundo, naquele momento. Obrigada por tudo o que me disseste. Está aqui, bem gravado na minha memória, para nunca me esquecer. Obrigada pelas chamadas, aquelas em que tu dizias algo e a minha mãe corroborava. Oiço-te sempre que falares comigo porque o teu percurso, a tua sabedoria e a tua doçura são inspiradores e únicos. Obrigada pelas palavras, por seres quase como uma segunda mãe para mim. Sei que, do teu lado, vou encontrar sempre respostas muito sensatas. És das melhores amigas que tenho. E é com muito orgulho que oiço tu dizeres o mesmo de mim. Estamos cá uma para a outra, eu para te cortar os "Oh" e tu para me proibires os "Pois"!

Um grande obrigada a todos vocês, leitores e colegas deste projecto maravilhoso que é a Blogosfera. Pelas vossas palavras, pela vossa atenção, pelas mensagens, pelo carinho. Vi verdade em cada força que me desejaram, vi genuinidade na alegria com que me receberam, vi honestidade na forma como me compreenderam. Não posso pedir mais nada. Não quero pedir mais nada. Vocês inspiram-me a continuar a ser a Inês que adoro ser: positiva, inspirada, romântica, palhacinha e muito forte. Obrigada por todo o apoio. Não me esqueci nem por um segundo de vocês e, quando se tem leitores assim, regressar a esta casa sabe exactamente assim... A casa. 

Obrigada aos dias de Sol que me aqueceram o rosto e a alma, à super tarde de pastel de Belém que a mãe fez para mim e que adocicou o meu coração, aos abracinhos do João que me fizeram recordar que eu sou uma Super-Mulher, para ele. Obrigada Laika, minha fiel parceira, por todas as vezes que te sentaste ao meu lado na varanda, encostadinha a mim. Obrigada Jogos Olímpicos, por finalmente poder ver basquetebol em canal aberto. Obrigada, bar da praia de Santa Rita, por fazeres a melhor tosta de frango de Santa Cruz. Obrigada à marca que finalmente fez caixas de gelado com o meu sabor preferido. 

Há uns tempos perguntavam-se se ia conseguir fazer Favoritos de Agosto. E eu simplesmente pensei Como não poderia fazer?

Vamos lá, Setembro. 

Nota: Todas as ilustrações presentes nos separadores são da autoria de Evelyn Henson.
Fotografias da minha autoria, por favor, não as utilizar sem autorização prévia

18 comentários:

  1. Bem Inês, desde todos os teus casos de amor até aos agradecimentos, deixas-me sempre de coração cheio com os teus favoritos! Ainda bem que foi um mês que acabou por te fortificar porque não mereces ficar em baixo!

    Um beijinho e continua forte!! :)

    ResponderEliminar
  2. Ok, Inês, tenho de te confessar algo. Quero o teu armário todinho! É só peças giras e incríveis e fiquei apaixonada pelas sandálias e pela mala rosa! Quero agradecer-te a ti por seres sempre incrível e por seres uma rapariga motivada, empreendedora e muito inspiradora! Keep going! Tem um Setembro brutal, mesmo à tua medida! :)

    ResponderEliminar
  3. OH INÊS! Muito amor pelos teus favoritos. Está mais do que sabido que eu adoro tudo o que escreves e partilhas connosco, mas parece que a cada publicação, consegues desencantar mais uma Inês de ti, cuja magnificência é brutal! És uma força da natureza com quem sei que aprenderei sempre alguma coisa, nem que isso implique aprender mais sobre mim! Gostei tanto de ler isto!
    Que em Setembro vivas coisas lindas e que seja muuuuuito feliz!

    Beijinhos!
    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
  4. Inês, é tão bom ler os teus favoritos! É daquelas publicações imperdiveis (:
    De onde é o sobretudo?

    ResponderEliminar
  5. Inês uma pergunta um bocado parva: Achas que os batons da Primark são de confiança?
    Eu sei que pode ser uma pergunta muito ridícula mas há gente que "critica" por serem super baratos e por isso não são de qualidade, ou podem mesmo fazer mal à saúde e eu tenho evitado comprar lá batons por causa disso. Fico a pensar nisso e não compro, apesar achar as cores lindas e que muitas vezes não encontro com muita facilidade. Agradecia se respondesses, beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faço ideia se é seguro, simplesmente arrisquei, so far so good :)

      Eliminar
    2. Tenho de arriscar e comprar um! Muito obrigada pela resposta :)

      Eliminar
  6. Inês, acho que te vou roubar essa mala! Estou completamente in love por ela, juro. E eu nem gosto de coisas cor de rosa!

    ResponderEliminar
  7. Inês adoro ler os teus favoritos!! São tão completos e vê-se que dedicas imenso trabalho neles :)
    Btw, de onde é o caderno estilo mármore? É tããããooo giro!

    ResponderEliminar
  8. Olá! Podes falar um pouco mais sobre esse conjunto de prancha e babyliss para o cabelo? Como se chama/marca, onde se pode comprar, preço,..?

    Obrigado e beijinho,
    Sofia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofia, a marca é a Tristar, é uma marca de electrodomésticos. O preço foi 14/15 euros :)

      Eliminar
  9. Adorei a mala, a cor é tão diferente do que estou habituada a ver e usar o que me faz adorar ainda mais. E o casaco também é bastante giro.
    Bruna Silva x

    ResponderEliminar
  10. Inês, puseste-me a chorar com os teus agradecimentos. Depois de um dia, como o meu ontem, ler estas palavras mexeu muito comigo. Tens um coração tão grande, tão doce, tão puro, chegas com as tuas palavras e quebras o gelo dos nossos corações. Fico tão feliz por estares a seguir o teu rumo, permitindo-te quebrar sem nunca te esqueceres de como recuperar.
    Sinto-me afortunada por poder fazer parte de algo tão bonito, tão sincero como esta casa.
    Obrigada a ti por estares connosco.

    P.S.- Gosto imenso do casaco, também eu sou fã de os comprar nesta altura a preços excelentes. E acho que me convenceste a ver a Bela Cozinha!

    ResponderEliminar
  11. Os teu favoritos kinda me fazem lembrar os da Youtuber Mariana Gomes, só que em formato blog e mais desenvolvidos. Adoro-os!!

    Adorei especialmente a mala e o casaco, será que me poderias dizer de onde são?
    Espero que tenhas um ótimo setembro!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)