sábado, 30 de junho de 2018

BOM GARFO || Pasta Non Basta


A vida ganha todo um novo sabor quando saímos do trabalho e damos de caras com um convite surpresa para jantar fora, não é? São estes pequenos pormenores que dão tempero à nossa rotina e um paladar inesquecível aos dias obsoletos. E é assim, também, que inicio a minha aventura pelo Pasta Non Basta.

Uma das coisas que mais gosto é decidir ou encontrar os tesouros enquanto passeio. O Pasta Non Basta sempre esteve na minha lista mental de "Lugares a Ir", mas confesso que não me tinha ocorrido. Não me tinha ocorrido nada que não a alegria do calorzinho que se fazia sentir mesmo com o Sol a esconder-se. Estava deliciada com a golden hour que conseguimos apanhar e aproveitámos para desfrutar um pouco desta Lisboa verosímil — da qual já tinha tantas saudades!! — para abrir ainda mais o apetite. Surpresa das surpresas? O Pasta Non Basta estava a um pulinho de nós.


Já conta com dois espaços na capital, mas demos de caras com o original. É difícil de resistir ao convite para entrar quando a montra é composta por uma vidraça ampla que nos permite ver toda a preparação das pizzas; quando passámos por lá, os cozinheiros passeavam a colher recheada de molho de tomate pela massa e foi suficiente para entrarmos já de olhos a brilhar!

Pequeno, íntimo, com uma decoração que liga os elementos industriais com os rústicos e caseiros, o espaço está desenhado para quem gosta de (bem) estar à mesa. Amigas que partilham as novidades mais fresquinhas e as trivialidades do quotidiano que só quem é verdadeiramente amiga tem o desejo de contar e a paciência de ouvir, famílias descansadas porque o menu salvaguarda as crianças com pratos pensados para eles e casais que dividem pratos e sabores de mãos dadas. No Pasta Non Basta, tudo é possível.

Estávamos com desejos de massas e foi por aí que apostámos! Para a nossa mesa veio um Linguine Nere al Gamberi com camarão, molho de tomate, malagueta fresca, alho e salsa, e um Tagliatelle alla Polpette, umas almôndegas com molho de tomate, parmesão e manjericão. Para refrescar os lábios (e as ideias!), quis ainda experimentar o chá frio da casa, de limão e laranja.


Os detalhes importam, vão sempre importar. E a prova disso foi a loiça escolhida pela casa, que para muitos passa despercebida, mas para mim não. Loiça Costa Nova dava cor à nossa mesa e combinava na perfeição com a identidade do espaço. A cunha com a casinha às riscas não enganava ninguém e se, para uns, é só um prato giro, para mim arrancou-me um sorriso caseiro, como se este lugar soubesse exactamente tudo o que tinha de fazer para me deixar feliz e evocar boas memórias.


Um prato de massa dificilmente é mau, mas um bom prato de massa pode ser inesquecível. Foi o caso dos nossos pedidos. Com uma apresentação lindíssima e um sabor ainda melhor, não saímos desiludidos. O Linguine estava com um tempero fantástico e ainda hoje penso nas almôndegas. O molho de tomate tinha um sabor caseiro, único e nada artificial. Considerações finais? O chá frio estava óptimo e todo o staff era impecável.

Saímos para dar de caras com uma Lisboa nocturna, ainda muito abafada do calor e prontos para dar mais uma volta para colmatar um jantar incrível. A cereja no topo do bolo só pode ser o facto de eles terem take-away. Aguarda o meu regresso, Pasta Non Basta!
______________________________
Avenida Elias Garcia 180B, 1050-103
Lisboa
Contacto: 217 979 214

Sem comentários:

Enviar um comentário

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)