terça-feira, 15 de maio de 2018

BOM GARFO || Spirito Braga


Depois da minha estreia na Spirito do Porto, a visita à casa de Braga — a primeira, a original — foi muito mais uma questão de gula do que propriamente uma questão de prova. Se eu der a desculpa de que queria mesmo confirmar que os cupcakes eram saborosos, é valido? Então vamos todos dizer que sim.

Significativamente mais pequenina que a do Porto, visitámos a Spirito logo após o almoço a fim de desfrutarmos do momento de sobremesa por lá. O céu estava com má cara, o vento não era agradável e convidava-nos a entrar em vez de ficar na esplanada — que tinha uma óptima pinta! —. A hora era atípica, mas só havia uma pequena mesa ao fundo à nossa espera. Como já calculava, o lugar estava cheio.


Há uns meses, partilhei convosco que tinha encontrado uns cupcakes muito parecidos com os da Spirito e que, para os desconsolados lisboetas, seria a solução mais gulosa para viverem uma experiência semelhante. Mas como o afirmei quase um ano depois de ter provado os da Spirito pela primeira vez, decidi tirar as derradeiras conclusões (não estão a adorar a minha desculpa esfarrapada para comer um redvelvet cupcake?).

Todos os cupcakes tinham óptima aspecto e tinha a certeza de que o sucesso não se ia ficar apenas pela aparência. O difícil de entrar na Spirito é não podermos pedir tudo e aceitar as consequências de uma grande dor de barriga e uma bomba de açúcar. Há tanto para (a)provar e saborear! Ainda bem que não vivo em Braga (ou no Porto!). 


A Spirito é também conhecida pela sua vasta gama de sabores de gelado originais, que vai sempre mudando e surpreendendo os seus clientes. À data que os visitei, porém, não encontrei nenhum sabor extraordinário — hoje em dia a maior parte das casas de gelado já apanhou a ideia, e a inovação acaba por ser uma constante em qualquer loja de cone ou copo — portanto, matei saudades do cupcake e confirmo o que disse em relação ao seu semelhante lisboeta. O meu estudo científico tem agora um novo dado geográfico que o corrobora! Pedi também um chá de baunilha para levar e aquecer a garganta e as mãos durante o nosso passeio pelas ruas, mas este, confesso, não fiquei fã. A base da infusão é de camomila, que eu detesto. Sou suspeita, portanto, tenham isso em conta.


A Spirito é a casa das delícias, a casa dos doces que não tem bruxa e onde podemos ser felizes. É o lugar perfeito para adocicarem o estômago junto das pessoas que já vos adocicam a vida.
______________________________
Largo de São João do Souto, 19, 4700-326
Braga
Contacto: 253 062 861

3 comentários:

  1. "A casa dos doces que não tem bruxa" - genial, Inês! :D E eu tenho um carinho por esse lugar: ainda me lembro quando parei de propósito em Braga num regresso do Gerês porque queria testar a fama da Spirito, na altura em que só havia aí!

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. Olá Inês. Com que telemóvel/máquina tiras as fotos para o blog? Ficam com uma definição ótima.

    Conjugadas à tua escrita tão simples mas tão captativa, continuam a fazer do teu blog um dos meus favoritos. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá B.! Muito obrigada pelo carinho e por me acompanhares!
      Todas as minhas fotos (tanto no Bobby Pins como nas minhas restantes redes) são tiradas com o iPhone 6s :)

      Eliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)