segunda-feira, 7 de maio de 2018

BOM GARFO || Michizaki


Com uma lista interminável de lugares que valiam a pena experimentar — por culpa vossa, e tão bom que assim é! —, deixámos sempre os dias em aberto para aquilo que o nosso apetite desejava e nossa localização geográfica e horários permitiam. O almoço de sábado pedia uma viagem oriental. A escolha? Michizaki.

Quando nos perguntaram se tínhamos feito reserva, à entrada, o meu coração caiu e disse quase em beicinho que não, pronta para aceitar a derrota e ir embora. Mas a funcionária — que temos quase a certeza de que era a simpática e solícita Rita! —, já nos tinha apanhado a espreitar o restaurante antes da abertura e tinha guardado uma mesa para nós. E ficámos muito gratos porque nem cinco minutos ficámos sozinhos no restaurante. A uma velocidade alucinante, as mesas ficaram cheias e o balcão ocupado. Confirmo que, embora tenhamos aproveitado um golpe de sorte, a reserva é, de facto, o segredo para terem uma mesa garantida no Michizaki.



Caracteriza-se como um restaurante de gastronomia japonesa tradicional, sem receitas de fusão e combinações que, desde sempre, olho de nariz torcido. Se não são fãs de sushi, não há problema! Existe uma óptima selecção de pratos quentes que certamente vai deixar o vosso paladar mais feliz.

O conceito é aquilo que mais adoro: partilhar! A ideia é fazer vários pedidos e distribuir os pauzinhos (para os experientes) ou os garfos (para os desastrosos como eu) por cada prato e partilhar a experiência de sabores. Na verdade, existem vários modos de pedidos disponíveis — e são-vos todos apresentados e explicados —, resta seleccionarem aquele que mais se adequa à ocasião e à companhia. Desde boxes a pedidos combinados de oito pratos surpresa. A escolha é ilimitada, mas dado que a esquisita sou mesmo eu, preferi jogar pelo seguro e sermos nós a decidirmos que pratos queríamos provar. Para a mesa veio um Ramen, um Ebi Yakisoba — que é uma massinha com camarão e vegetais — um sushi de salmão e Ebishin — uns rolinhos estaladiços recheados com vegetais e camarões —.




De todos os pratos, só não provei o sushi, mas a companhia prometeu que era bom. Os restantes pratos foram inesquecíveis! Nunca tínhamos provado ramen, mas saímos convencidos, e o yakisoba estava no tempero ideal! Os ebishin foram a cereja no topo do bolo para ficarmos satisfeitos. Houve ainda direito a uma cortesia da casa, com um sushi de atum que, uma vez mais, não provei, mas que a companhia também aprovou.



Com uma simpatia extrema e facilidade em atenderem a todos os nossos pedidos e questões, o Michizaki é o lugar ideal para desfrutarem de uma verdadeira experiência oriental e de partilha. Embora o espaço seja pequeno, é mais do que apropriado para amigas que querem contar as novidades, casais que querem partilhar os pratos como partilham o seu amor, famílias que se celebram à mesa e grupos que querem dividir gargalhadas e massinhas. Que vontade de regressar!
______________________________
Rua Dom Frei Caetano Brandão, 169, 4700-031
Braga
Contacto: 253 086 587

2 comentários:

  1. Sem dúvida no meu TOP 3 de restaurantes em Braga neste momento :)

    ResponderEliminar
  2. A Carol já tinha deixado o bichinho para experimentar... Mas esta publicação foi o ultimato. A ver se deste mês não passa 🙈😋

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)