quinta-feira, 12 de abril de 2018

PASSAPORTE || Planear!


Aproveitando a lendária música de Marco Paulo e adaptando-a à minha realidade, não tenho dois amores, mas tenho duas viagens em cima da mesa. Duas viagens completamente distintas; uma para breve, outra cujo tempo vai encurtando. Uma para admirar o melhor de , outra para abraçar o melhor de . Uma para abrir os horizontes cá dentro, outra para expandi-los lá fora.

É curioso que, embora sejam viagens, as abordagens são totalmente distintas e exigem de mim Inêses diferentes; a companhia é diferente, a temperatura é diferente, a língua é diferente, os horários e tempos são diferentes, a cultura é diferente, os pontos de interesse são diferentes e eu já faço um processo de adaptação na hora de pesquisa.

Nunca antes tinha tido duas viagens para pensar. Normalmente, vão acontecendo umas atrás das outras, com mais ou menos tempo de preparação. Agora tenho a mesa, os marcadores do computador e a agenda divididos ao meio. E ao ver-me a pesquisar dicas ou a tentar entrosar-me mais com a cultura que vou conhecer em ambos os lugares, faz-me pensar em todas as outras viagens que já pesquisei, planeei, e a minha própria forma de estar nesses lugares, quando finalmente os visito.

Os novos lugares que pisamos destacam as diferentes facetas e capacidades que escondemos dentro de nós. Por vezes, que até desconhecemos. Comecei a reflectir sobre todas as viagens que já fiz e concluo que todas elas destacaram sempre uma Inês diferente, mas que me orgulha na mesma. Qualidades e defeitos, claro, mas todos eles essenciais para me conhecer melhor e para descobrir que sou capaz de pensar de outras formas, de abraçar outros desafios, de superar obstáculos e imprevistos e de deixar espaço para o inimaginável. Para estas duas viagens, faço anotações, registo dicas, escrevo os lugares que me despertam interesse, mas já sei que estou a deixar muito espaço para o inesperado. E sei que, durante estas duas visitas, vou despertar duas Inêses que ainda não conheço — ou penso que não conheço — e que vai ser extraordinário.

Planeamos com antecedência viagens, alimentamo-nos com a cultura de cada lugar, conhecemos o mundo para descobrir que tesouros se escondem, e nem damos conta que o lugar que mais desbravamos e exploramos é o que habita dentro de nós. E consegue ser tão deslumbrante quanto as maravilhas mais acarinhadas do nosso planeta.

7 comentários:

  1. adorei o post!!
    beijinhos

    |último post|
    https://eyeelement.blogspot.pt/2018/04/6-habitos-que-vao-mudar-tua-vida.html

    ResponderEliminar
  2. É tão bela a forma como descreves as viagens. Se eu já gosto de viajar, quando leio algo relacionado com o tema escrito por ti, fico com vontade de saltar para dentro da mala e partir. Obrigada por este talento que partilhas connosco.
    Além disso, eu concordo com tanto disto. Nas poucas viagens que fiz, descobri sempre algo novo sobre mim, aliás, a maior descoberta pessoal foi que tenho maior capacidade de adaptação do que julgava, isso deixa-me felicíssima. Podias, talvez, um dia, partilhar connosco as maiores auto descobertas durante as tuas viagens bonitas.

    Beijinhos fofinhos e brilhantes como tu!

    ResponderEliminar
  3. Eu tenho uma para planear e é daquelas que dão um trabalhão. Os meus separadores do computador já estão a ganhar forma mas ainda há muito que organizar!

    ResponderEliminar
  4. Estou ansiosa por acompanhar essas duas viagens e ler mais publicações " Passaporte" :).
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  5. Verdade, as viagens fazem-nos conhecer novos destinos mas também nos permitem descobrir um pouco mais sobre nós mesmos. É uma das coisas mais incríveis de fazer na vida e pessoalmente é uma das que me faz mais feliz:)

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. Estás a deixar-me ainda mais entusiasmada para a minha própria viagem

    ResponderEliminar
  7. Eu adoro a fase de planeamento de viagens. Para mim é quase tão bom quanto a viagem em si! O meu problema é que quanto mais viajo mais à vontade fico e cada vez vou planeando menos. Há coisas que já não pesquiso detalhadamente - restaurantes, principalmente - e já nem sequer faço roteiros detalhados. Seleciono apenas os locais que quero mesmo visitar e só quando chego ao destino é que decido quando e como lá vou. Ultimamente ando a deixar os planos de lado e a deixar-me levar... :)

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)