quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

2017 || TOP17 Músicas que Saíram Este Ano


2017 foi um ano absolutamente generoso para mim, a nível musical. Vi tantos artistas ao vivo que só me restam três da lista de artistas preferidos que quero assistir ao vivo. De facto, no que toca a concertos, 2017 foi dos melhores anos! Mas não foi só de palcos e refrões cantados em conjunto com centenas de pessoas que 2017 se resumiu, a nível musical.

A vantagem de acrescer mais um lugar no TOP, a cada ano, é a felicidade de poder adicionar mais uma música. Mesmo assim, tive uma enorme dificuldade em deixar tantas outras para trás. Muitos dos meus artistas preferidos lançaram novos trabalhos, o que facilitou muito o meu trabalho de vos mostrar minhas músicas preferidas que saíram este ano. Sinto, também, que muitas delas têm uma ligação muito forte com os concertos que tive o privilégio de assistir. Mas também há espaço para surpresas e artistas novos que me conquistaram com a sua música. Este ano — pela primeira vez! — não fiz batotas. Curiosos?


17 | SHC
Foster The People
Esta banda maravilhosa regressou em força e com o estilo a que já nos habituou. Fiquei desconsolada por não os ter visto no SBSR — ainda não foi desta — mas apaziguei-me um pouco com o lançamento de tantas músicas incríveis. A minha preferida? SHC. Um estilo que poderia perfeitamente estar no Supermodel e que me deixa enérgica, bem disposta e com vontade de dançar no meio da rua.

16 | ON YOUR SIDE
Day Wave
Este ano, finalmente descobri este artista que, no ano passado, me conquistou com a Total Zombie — que, aliás, esteve no primeiro lugar do meu TOP musical do ano passado —. Day Wave tem um estilo muito próprio e faz-me sempre pensar em roadtrips, conversas sinceras e descampados onde observamos as estrelas. Adoro ouvi-lo enquanto conduzo ou viajo, e esta foi a música que mais gostei de ouvir, dos seus últimos lançamentos. É alegre, tem uma letra carinhosa e um refrão que nos convida a cantá-lo com um sorriso. E o próprio vocalista já me favoritou tweets, portanto, sinto que estamos brothers.

15 | LOVE IS DEAD
Hazel English
Hazel English foi uma descoberta incrível. Se gostarem de ouvir o rapaz que está logo acima, então dêem uma oportunidade a esta, porque é Day Wave feminino — eles começaram carreira juntos —. 
Hazel English não é para todos os gostos e tem um toque alternativo que me agrada e me faz pensar em saias de ganga, all stars e rabos de cavalo. Não acredito que o amor esteja morto — e, no dia em que acreditar, saibam que morri junto com ele — mas é o refrão que canto de olhos fechados enquanto agito as ancas sem a mínima coordenação. Se estão fartos do pop de rádio e querem uma música diferente, aproveitem o novo ano — ou o término deste — para a escutarem como deve ser.

14 | ADELINE
alt-J
Devo admitir que os alt-J não estiveram no auge do meu coração, este ano. O mais recente álbum não convenceu muito e preferi o concerto deles em 2015 mas, ainda assim, o refrão de Adeline deixou-me de lágrimas nos olhos, da primeira vez que o ouvi. Nem dei por elas a descerem no rosto mas os meus olhos derreteram quando ouvi o "I wish you well". Acho que, só por este refrão repetitivo e simples, a música conquistou-me e marcou-me de uma forma profunda. Por vezes pergunto-me quantas vezes as pessoas estão a ser sinceras quando dizem "desejo-te tudo de bom". Quanto desse desejo é profundamente altruísta, quanto desse desejo é mesmo de que tudo do melhor aconteça à outra pessoa. Mas quando é sincero, sabemos. Sentimos. E nem desconfio quem é a Adeline, mas até desejava ser a própria, só para receber um desejo tão bonito e sincero como este "I wish you well".

13 | ALL I CAN THINK ABOUT IS YOU
Coldplay
Ainda estou um pouco amuada com os Coldplay por terem ignorado completamente Portugal nos seus tours. Este foi um ano sossegado para a banda, a nível de lançamentos, embora tenham feito as nossas delícias com um EP. Cada vez mais diferentes do estilo com que se iniciaram, All I Can Think About Is You tornou-se a minha música preferida por causa dos minutos finais de instrumental que me fizeram recordar — muito! — a banda no início do século. A única coisa que me entristece é que sejam minutos tão curtos. Mas valem totalmente a pena.

12 | RUN
Vallis Alps
Nos preparativos da minha viagem para o Senegal, dei de caras com esta artista e passei a ficar atenta ao seu trabalho. Foi assim que conheci a Run e me apaixonei perdidamente pela melodia tranquila e pela sua letra melancólica. "Say it to my heart and run". 
Sempre que oiço esta música lembro-me das minhas madrugadas em La Somone, onde a praia estava deserta só para mim. Dava-me uma vontade imensa de correr até a ausência de fôlego me vencer. Não é assim que nos sentimos quando precisamos de dizer algo importante a alguém? Não nos dá vontade de dizer tudo ao seu coração, de uma vez só, e desatar a correr por uma praia sem fim?

11 | DANGEROUS
The xx
I See You foi o álbum lançado, em Janeiro, pelos The xx e esta foi imediatamente a minha música preferida. Gosto do refrão catchy, das batidas electrónicas e do ritmo que me dá vontade de... dançar! (nunca pensei que escreveria isto de uma música dos The xx). Ganha também um significado mais especial por representar o concerto que também assisti no NOS Alive, um dos meus preferidos do ano. Jamais esquecerei o quanto dancei nesse concerto!

10 | 100 LETTERS
Halsey
Gostei desta canção desde que ouvi o novo álbum da Halsey pela primeira vez. Houve qualquer coisa no ritmo e na voz monótona que me fez apaixonar desde o primeiro momento. Memorizei a letra naturalmente e dava por mim a dividir o meu coração com o dela. Sinto que esta música tem um toque muito subtil de girl power e superação que me faz gostar ainda mais. Não é uma música óbvia de amor próprio. Não está de caras demonstrado que ela superou o coração partido, mas sente-se. E eu gosto desse toque subtil de força. Por vezes, esses sinais pequeninos têm mais poder para inspirar os ouvintes do que os que estão escritos na testa do artista.

9 | UNFORGETTABLE
French Montana
Curiosamente, acho que é a primeira vez que o meu TOP de músicas segue um certo padrão sonoro, com as devidas excepções. Esta é uma delas. A Unforgettable foi a minha música do verão. Adoro o ritmo, a sonoridade quente, e decorei a letra a uma velocidade preocupante. Enquanto todos vibravam com a Despacito nas rádios e bares, eu gritava "my jam!!!" quando a Unforgettable começava a tocar. É totalmente uma música verosímil e não consigo enjoar dela. Há muito que os biquínis e  tops estão arrumados na gaveta, mas não resisto em ouvi-la mesmo de gorro posto. E de a cantar no carro, sempre que posso.

8 | TI AMO
Phoenix
Esta música deixa-me tão feliz!! Não importa qual o meu estado, se meto esta música a tocar, sei que estarei a sorrir, a cantá-la alto e a dançar como se ninguém estivesse a ver-me. Ti Amo é uma música bem disposta e cheia de ritmo. A par de tantas outras que refiro neste TOP, recorda-me o concerto brutal que deram no NOS Alive.

7 | VANTABLACK
Novo Amor
Em 2017, Novo Amor lançou uma série de novas músicas para matarmos saudades. Com um EP e um álbum em parceria com Ed Tullett, foi muito difícil escolher qual a que mais gostei, uma vez que amei todas. No final, Vantablack foi a escolhida pela sonoridade que nos faz recordar sempre a razão pela qual nos apaixonamos de caras por Novo Amor, só que com uma sonoridade mais rica. É a música que ainda faz o meu coração disparar e cujo refrão deixa-me arrepiada. Sabem quando a sonoridade está tão envolvente que sentem o coração em êxtase? É assim que me sinto com Vantablack.

6 | RUN
Foo Fighters
É o último Run que coloco neste top, prometo! Esta foi a primeira música que os Foo Fighters lançaram para anunciar o cd que estava próximo e , confesso: odiei-a. Os gritos, o barulho... Não era isto que esperava (andava a ouvir a Home, These Days e I Am a River demasiado). Fingi que ela não existia e pensei comigo mesma que iria esperar até ao lançamento do cd. Porém, o Spotify fez das suas e tocou-a nas sugestões. E adorei-a, assim, de um momento para o outro. Nunca mais voltei a desdenhá-la.
É uma rockalhada, se tiver de ser sucinta e é das minhas músicas preferidas do álbum (quase a taco-a-taco com a La Dee Daa). Barulhenta, inflamada, que não combina com a sobriedade do meu Fiat 500 mas cuja presença no meu leitor é assídua. Não consigo explicar-vos como adoro o barulho, mas adoro. É também uma especial recordação do concerto que deram no NOS Alive, o meu concerto preferido. Fui completamente feliz durante aquele espectáculo e cantei, dancei e pulei até me esgotar. Deixei toda a minha energia em Algés e ainda hoje recordo esse concerto com um sorriso rasgadão e uns olhinhos brilhantes à chinês. Lá, eles tocaram esta música e passei a adorá-la ainda mais.

5 | AMAR PELOS DOIS
Salvador Sobral
Seria uma completa estupidez não incluir a Amar Pelos Dois no meu TOP. Não me identifico com a letra nem é desta forma que observo o amor — porque simplesmente é uma letra de amor intoxicada — mas é uma letra vulnerável e, aí sim, eu encontro o amor. Todos os amores são vulneráveis. Todos nós, quando amamos de verdade, ficamos com os sentimentos à flor da pele e revelamos facetas e camadas muito mais imperfeitas, muito mais frágeis, mas também muito mais nossas. E penso que foi isso que encantou não só Portugal como o mundo: esta vulnerabilidade inocente e doce, que tão bem caracteriza o amor profundo, aquele amor em que sentimos que faríamos tudo pela outra pessoa. Não faz mal que a mensagem esteja em português porque já é contada na língua mais universal do mundo: a música. E sentimo-la. A Amar Pelos Dois foi não só vitoriosa como também um cartão de visita português que eu acho que caracteriza o nosso povo muito bem: somos todos fadistas e sabemos sempre transformar tudo o que sentimos em poesia. A música composta pela Luísa Sobral conta como sabemos tão bem colocar açúcar em pó por cima de um coração tão partido ao ponto de amar por quem já nada sente por nós.

4 | ROOTING FOR YOU
London Grammar
No dia 1 de Janeiro de 2017, à meia-noite, os London Grammar partilharam a Rooting For You, num anúncio muito especial de que a nossa espera pelo novo álbum estaria quase a terminar. Todas as faixas do álbum conquistaram-me mas, reconheço, esta continua a ser mais especial e emotiva, para mim.
A letra é honesta, e a mensagem de que estará sempre torcer é algo que carrego comigo todos os dias. Estaremos sempre a torcer pelas pessoas por quem temos muito carinho. E o poder vocal da Hannah é explorado ao máximo, o que me faz adorá-la ainda mais. 
Tive a honra de poder ouvir esta música acapella, no Super Bock Super Rock e confesso que fiquei em lágrimas pela beleza e simplicidade daquele momento. O pavilhão ficou num silêncio sepulcral e imponente. É um momento que nunca irei esquecer e um concerto que ficará para sempre no meu coração. Foi um sonho cumprido.

3 | TREM-BALA
Ana Vilela ft Luan Santana
Ainda hoje esta letra comove-me. Quando me enviaram esta música, nunca pensei que fosse marcar-me de uma forma tão especial. A simplicidade da música e a sinceridade da letra faz-me sempre pôr os meus problemas em perspectiva e recorda-me do quanto os pequenos momentos e as nossas pessoas têm um grande impacto na nossa felicidade e paz interior. A vida corre depressa e pior do que não darmos pelo nosso crescimento e envelhecimento, é esquecermos que todas as nossas pessoas também vão crescendo e envelhecendo. Os nossos avós, pais e amigos não estão numa bolha imortal e não permanecem da mesma forma e com os mesmos pensamentos para sempre. Eles não existem para nos servir e para nos fazerem felizes. Também eles têm protagonismo nas suas vidas, sonhos, planos e aprendizagens que vão amealhando para serem pessoas melhores e é importante recordarmos disso e valorizarmos a evolução das nossas pessoas preferidas no mundo inteiro. Não duram para sempre e é uma pena. Também nós não duramos. Mas enquanto cá estamos, vamos desfrutar-nos e amar-nos em todas as fases da nossa vida. E presenciando o nosso crescimento com todo o amor que temos dentro de nós.

2 | A VIDA TODA
Carolina Deslandes
Esta música tão carinhosa, embora seja claramente dedicada ao lindo bebé da Carolina, faz-me pensar na Laika e na Belka. A partida de uma e a chegada da outra representou dois dos momentos mais emotivos e importantes deste ano. Embora nunca se tenham cruzado e não sejam, de todo, iguais, sei que são os meus amores para a vida toda e é nas duas que penso quando escuto esta canção. Nós somos a única família e amigos dos nossos patudos e eles dão-nos tudo sem pedir nada em troca — bom, talvez um biscoito —. Eu agradeço todos os dias por ter tido estes dois peluches na minha vida e sei que nunca as vou deixar de amar. Afinal de contas, elas também nunca irão deixar de me amar e foram elas que me escolheram, em primeiro lugar, para dar amor.

1 | TREVO (TU)
Anavitória ft Diogo Piçarra
Terminamos em português, com uma música muito especial e uma dupla ainda mais especial: Anavitória. Foram as artistas do ano, para mim. Descobri-as no início do Verão de 2017 e, desde então, o cd delas está no meu carro, as letras na minha memória e os sons no meu coração. Foi ainda mais especial ter tido a oportunidade de as ver ao vivo — completamente inesperado — num concerto tão intimista e adorável. A Trevo foi a minha canção de 2017 por representar a melhor coisa de 2017: a minha Belka. Ela torna os meus dias mais felizes, ela é um verdadeiro Domingo de manhã, ela faz-me sentir amada e cuidada. É quem me dá sorte por ter a sorte de a ter nos meus braços, todos os dias. O meu abraço-casa.
Este primeiro lugar só será imprevisível se me tiverem ignorado o ano inteiro.

Na playlist abaixo podem escutar todas as músicas que referi neste TOP!


Qual foi a vossa música de 2017?

9 comentários:

  1. Não podia concordar mais com o topo da lista. "Trevo" é simplesmente maravilhosa. :)
    Beijinho grande.

    http://apenasfrancisca.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. A trem-bala foi a música que marcou este meu ano! A letra é maravilhosa e acho que, de uma forma muito sucinta, resume muito daquilo em que acredito. Por outro lado, a Run dos Foo Fighters também odiei a primeira vez que a ouvi, mas desde o concerto do NOS Alive que adoro.

    ResponderEliminar
  3. A Trevo é absolutamente doce e apaixonante, a merecer sem dúvida um lugar de destaque!

    ResponderEliminar
  4. Foram muitas as músicas que adorei este ano, mas a que mais me marcou foi, sem dúvida, a do Salvador Sobral, não pela letra em si ( porque também não me identifico muito), mas pelo talento que ele tem, por ter sido a primeira vez em muitos anos que fomos bem representados na Eurovisão e por termos ganho o festival.
    Unforgettable foi uma música que também marcou muito o meu verão :). A Vida Toda também uma canção que ouvi muito este ano, por ser tão amorosa. É bastante engraçado ver como cada pessoa atribui um significado diferente a uma música. É muito amoroso o facto de essa música de ter lembrado dos teus amigos patudos <3.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  5. A verdade é que não conheço muitas das músicas que aqui nos apresentaste, mas, só a forma como as descreves faz-me sentir parte de cada uma delas. Consegui senti-las e escutá-las sem as ouvir, que dom tens tu quando escreves, incrível!
    Deste TOP'17 sobressaiem no meu coração as músicas dos alt-j, dos coldplay, dos the xx e dos London Grammar, que, by the way, te estou eternamente grata por me teres apresentado e feito viciar em.
    Para 2018 desejo que concretizes muitos dos teus sonhos musicais, o que começa bem com o Spotify Premium, né, que tenhas oportunidade de ver mais artistas queridos ao vivo, como os The Script, sortuuuuda, e que continues a escrever-nos sobre as tuas experiências musicais.
    Beijinhos <3

    ResponderEliminar
  6. Sem duvida que "Unforgettable" foi a música do meu verão! Fiquei tão obcecada com ela, até hoje!!

    Beijinhos!!
    Black Rainbow / Instagram

    ResponderEliminar
  7. A SHC e a 100 letters são muito boas e a "A vida toda" é tão fofa aah <3

    themerrymarie.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Concordo tanto com o teu top 5! A minha música preferida este ano foi, na verdade um mantra chamado "Gayatri Mantra" que eu cantava e ouvia para contrariar a ansiedade que senti o ano quase todo (tive um exame importantíssimo em Novembro)
    Por onde anda a Sofia?

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)