sábado, 30 de dezembro de 2017

2017 || TOP17 Aleatório


E assim terminamos os TOP17 com a publicação dos meus favoritos aleatórios. Gostaram da edição deste ano? Sinto que passou a voar e que terminou tão depressa como começou! 
Já tinha partilhado convosco que este é o meu TOP preferido por não existir regras. Este ano há mesmo um bocadinho de tudo, desde livros, comida, aplicações, séries... É, verdadeiramente, aleatório! Curiosos?

O TOP está organizado por ordem alfabética.


O livro do meu ano, o livro da minha vida. Agora sim, já esgotei tudo o que tinha para dizer sobre este livro extraordinário que devia ser lido por todas as pessoas deste planeta. É um livro tão bem escrito, organizado, com uma narrativa tão acessível e divertida que me parece absurdo que alguém tenha lido todas as reviews que já escrevi deste livro e tenha dito que ainda não é desta. Não sabem o que estão a perder, mas eu sei perfeitamente o quanto esta leitura me acrescentou. Livros que me devolvem em dobro o que investi por eles merecem todas as partilhas do mundo. Sinto-me uma felizarda por o ter encontrado no meu escritório e ter dado uma oportunidade.
Disponível na WOOK (ao comprares o livro através deste link, estás a contribuir para o crescimento do Bobby Pins)

As minhas agendas são sempre companheiras muito especiais e fundamentais, e esta da Bershka não podia ter sido diferente. Num tom rosinha suave e com a mensagem "The Best Is Yet To Come", senti-me sempre motivada para escrever nela.
Adorei todas as ilustrações no começo de cada mês e o espaço para anotações mais gerais — como planos do mês ou da semana —. Cumpriu na perfeição o seu propósito e nela anotei muitos momentos importantes que aconteceram, este ano.

Foi o meu álbum de 2017. As minhas artistas de 2017. Já tinha muitas saudades de descobrir uma música ou conhecer um artista que me 'movesse'. Cujas canções eu ouvisse e pensasse "nunca me vou esquecer delas e do que me fizeram sentir". Elas têm uma simplicidade e inocência que me conquista e que torna as músicas simples mas que operam algo dentro dos nossos corações, e nos fazem sentir coisas muito mais complexas. 
Tenho sempre o cd delas no carro e não me canso de o ouvir e de cantar com elas. E o mais caricato é que, por tanto falar e gostar delas, as minhas pessoas acabaram por me associar à dupla e, cada vez que passam na rádio ou alguém as menciona, pensam em mim e acabam por mostrar essa lembrança.
Há muitas coisas boas pelas quais é bom ser lembrado, mas recordarem-se de mim ao ouvir músicas tão bonitas de amor é, com certeza, uma das melhores.

Claro que tinha de a incluir! Foi a melhor coisa que 2017 trouxe e o meu coração aquece cada vez que falo dela. Inicialmente, achava que isto acontecia-me porque sou uma apaixonada por cães, especialmente os que me pertencem, porque são as luzes dos meus olhos. Mas cada vez que trago alguém cá a casa para a conhecer, a adoração também os consome e não há vez que não me falem dela, que não a refiram, que digam que querem estar de novo com ela.
Não sei que magia tem este peluche grandalhão. Não sei se são os seus olhos de Calimero, se são as sardas do seu focinho, se é porque não se importa que a abracem, se é simplesmente o seu ar tonto, mas a Belka conquista o coração de todos de uma forma inesquecível. Costumo dizer que me visitam para ver a Belka, não a mim. Percebem agora que o meu fascínio não é só de dona babada.

Este ano, como tinha uma agenda com espaço limitado, decidi arranjar um caderno para dedicar totalmente ao blog e às minhas ideias. Escrevi tudo, sem problemas de rasurar, fazer rabiscos e desenhos horríveis, escrevi listas, organizei as minhas ideias... E o resultado é um ano de Bobby Pins e os meus pensamentos de 2017 guardados num notebook. Isto é o mais perto que estarei de fazer um diário e, confesso, no final dá um certo gosto folhear o caderno e ver tantos pensamentos, acontecimentos, ideias e desenhos desta fase. Escolhi o caderno de Lisboa porque, inevitavelmente, é uma das cidades da minha vida e consigo evocar uma memória de cada uma das gravuras da capa. E isso deixa-me com uma sensação boa e com vontade de me inspirar e escrever, que é a disposição com que quero escrever e transparecer, no Bobby Pins.

Há muito tempo que namorava estes cadernos, mas já tinha adquirido um parecido — o de Lisboa — e estava à espera de o terminar para justificar a sua aquisição, mas a Carolina acertou em cheio nos meus pensamentos e ofereceu-mo. Tenho-o usado de uma forma muito pessoal e adoro o design, o tom rosa suave — que combinava com a minha agenda — e as referências da cultura britânica e da capital, que já visitei e que deixa muitas saudades. Quando estou a utilizar algum presente, recordo-me sempre da pessoa que mo ofereceu e acho esse laço especial, por isso, é maravilhoso pegar no meu bloco onde escrevo tanto e recordar alguém que tem uma escrita inspiradora e cujas suas mensagens já me fizeram agir em tanta coisa e reflectir sobre tantos assuntos. O laço, além de especial, fica lógico.

Sempre adorei estas caixas de luz e, além de serem dificílimas de encontrar, nunca achei que o preço fosse compatível à sua utilidade. Porém, este ano, a Primark decidiu arrasar os nossos corações com uma série de artigos de decoração e casa que, ainda hoje, procuramos como loucos sempre que numa loja entramos e lançou estas caixas de luz a um preço que arrasa a concorrência. Nunca as encontrei. Felizmente, os meus amigos têm mais olhos de lince que eu e ofereceram-ma. Desde então, é um dos elementos de decoração que mais adoro. Divirto-me a escolher mensagens para colocar na caixa — já fui surpreendida também com algumas mensagens deixadas — acho que combina totalmente com o meu estilo e com os meus gostos e é um artigo com muita personalidade!

Quando me ofereceram este colete, no ano passado, jamais imaginaria que ia usar tanto esta peça como usei. Eu nunca tinha sido uma miúda aficionada por coletes mas o facto é que achei este o máximo, e usei e abusei dele sem me dar conta. Um dos detalhes principais que eu acho que o torna muito mais confortável e apto para o inverno, é o facto de ter gola. A maior parte não tem, e este pormenor faz a diferença para não sentirmos tanto frio. O frio não passa, sinto-me aconchegada, o pêlo não faz comichão no pescoço e é uma peça intemporal e giríssima. Foi uma peça revelação, no meu armário!

Não foi uma descoberta deste ano, mas sem dúvida que a utilizei muito mais este ano. Adoro-a, acho que está muito bem organizada, com exercícios bem estruturados e eficazes, com a dificuldade bem marcada. Para quem quer aprender línguas, acho que é uma excelente forma — isto, claro, se não quiserem tirar, de facto, o curso —. Tem imensas línguas e é excelente para crianças também — que absorvem muito melhor os exercícios do que nós —. Eu estou a aprender Alemão e Japonês — o Alemão, de longe, está muito mais avançado do que o Japonês, especialmente porque o Japonês tem vários caracteres e dialectos diferentes e eu ainda só estou no primeiro — mas fico muito contente quando vejo coisas escritas em alemão e já compreendo a mensagem principal, mesmo que apareça alguma palavra que me escape. Por esta razão, tinha de partilhar a app convosco, como já o fiz anteriormente e com mais detalhe, porque realmente funciona.

A minha série preferida de todo o sempre. Estreou em Abril deste ano, julgo, e cada temporada é dedicada a uma personalidade, sendo que a primeira foi sobre Albert Einstein. Não consigo ter essa ligação por séries que tanta gente tem de uma forma natural e binge watching faz-me sentir nauseada só de pensar, mas mergulhei a fundo em Genius e devorei a temporada toda em três tempos. Nunca antes tinha terminado uma temporada — depois consegui com Stranger Things — e nunca tinha sentido tamanha ligação com uma série televisiva. Achei tudo absolutamente interessante: a biografia real do físico, sem pedestais, a forma como explicavam todos os raciocínios de muitos princípios contemporâneos da física de forma a qualquer um compreender... Este é o meu tipo de série!

Este foi o livro que nunca julguei que viesse parar às minhas mãos. Quando me começaram a identificar nas publicações e fotografias de lançamento destes livros, achei que seriam tão exclusivos que 1) seria um milagre encontrá-los para Portugal; 2) seriam a um preço absurdo.
Não foi o caso e os meus olhos brilharam quando chegou às minhas mãos a versão da minha casa, Ravenclaw. É uma edição que faz todo o sentido para verdadeiros fãs da saga — como vocês já sabem que sou — e tem curiosidades maravilhosas! É um daqueles tesouros que quero guardar para sempre e nunca me desfazer, de tão especial que é!
Disponível na WOOK (ao comprares o livro através deste link, estás a contribuir para o crescimento do Bobby Pins)

Amo-os de paixão, tornam qualquer visual que eu escolha num clássico, combinam com qualquer peça e sinto-me sempre confortável. É aquele calçado que eu levo para uma viagem, quando sei que vou estar muito tempo a andar mas quero sentir-me bonita e não me apetece estar de sapatilhas. Sei que vou chegar ao fim do dia sem arrependimentos. São os sapatos que toda a gente diz "Isto é tão Inês" e que, em momentos de indecisão, são a minha escolha segura. Outro detalhe que eu adoro neste calçado é que a parte da frente não faz aquele vinco inestético onde o pé dobra. 

Ganhei-os este ano e são os marcadores mais giros que já tive. Escolhi cada pezinho com cuidado e acabei por dar o da cabeça do gingerbread ao João porque ele adora-o. A piada é que uma vez ele levou o marcador num livro para a escola, e a professora perguntou-lhe onde tinha arranjado o marcador tão giro porque também o queria comprar.
São irresistíveis e há para todos os gostos e personalidades. Acho que é o presente perfeito para qualquer bookworm e que dá uma piada enorme aos livros — alguns cuja capa não tem graça nenhuma —. Não consigo escolher qual é o meu preferido porque são todos maravilhosos e todos reflectem uma parte de mim.

| PÃO DE FRUTOS VERMELHOS
Descobri, no Continente, o pão da minha vida... É integral e tem frutos vermelhos. Vende-se caseiro, no atendimento ao balcão ou em formato pão de forma fatiado, na secção dos mesmos e estou apaixonada por este pão. Eu adoro pão — tirando o de forma, que não acho piada nenhuma, sou capaz até de comer pão sem nada — mas este, com o toque doce dos frutos vermelhos é absolutamente divinal. A minha forma preferida de o comer é ligeiramente torrado com um bocadinho só de manteiga derretida por cima.

| POSTAIS
Este foi um ano muito especial no que toca à escrita porque pude não só trocar palavras com algumas das minhas pessoas, como já o fazia, mas também com miúdas incríveis que admiro e nutro carinho, na blogosfera: a Carolina e a Joaninha. Foi um privilégio e um prazer enorme poder escrever de uma forma mais privada e pessoal tudo o que desejava que elas soubessem e também receber da parte delas. São miúdas genuínas, sinto que a forma como elas vêem o mundo, os valores e as pessoas (incluíndo-me) são genuínos e não género, e acho isso muito importante — aliás, não iria trocar o que quer que fosse com ninguém que eu não considerasse ser assim —. Tenho muito orgulho nas duas e espero, um dia, poder dizê-lo na minha voz de cana rachada a cada uma.

A única pulseira da Pandora que sempre desejei e namorei, finalmente, veio parar ao meu pulso e de lá nunca mais saiu. Já me sinto nua quando não a coloco no pulso e adoro a sua linha minimalista, simples e fixa. Sinto que combina com qualquer visual e que é um acessório sofisticado que tem tudo a ver comigo. Gosto de a usar assim, simples, e não tenho o objectivo comum de querer contar a minha história através da contas — mas acho o conceito o máximo —. Porém, decidi-me que há uma conta que, sim, quero que faça parte da minha pulseira. A única. Uma que quero que faça tanto parte dos meus dias como esta pulseira já faz. Mas isso ficará reservado para 2018.
A pulseira mais feminina e elegante.

| SPOTIFY PREMIUM
Finalmente passei para o outro lado da festa e agora compreendo toda a hype. O Spotify Premium foi pensado para mim, que praticamente respiro música. De todas as funcionalidades extra, as minhas preferidas são a possibilidade de ouvir música offline — agora as minhas viagens de carro são ainda mais incríveis e posso, finalmente, tocar a minha playlist para ouvir no carro — e a possibilidade de seleccionar especificamente que música quero escutar e quantas vezes a quero escutar. Só por estas duas possibilidades já estou derretida com a versão Premium e sou uma consumidora de música muito mais feliz.

Não me canso de contar a história deste vestido. De como sonhei com um vestido de verão e que o usava e rodopiava nele vezes sem conta, para depois descobrir que, de facto, existia um assim, na Bershka. Foi a peça do meu Verão.
Sabem aquela peça de roupa que têm no vosso armário e que, não importa como se sentem, se vestirem essa peça sentem-se representados no vosso melhor, sentem que a melhor parte de vocês fica enaltecida e que é a escolha segura para não ficarem mal ou inseguros com o que estão a usar? Sinto isso com este vestido. Sinto que foi feito para mim em todos os detalhes, sinto que todo o corte do vestido cai bem na minha fisionomia, a cor e o padrão fazem-me lembrar as ruas de Havana e transportam-me para essa viagem tão feliz. Sinto-me bonita, sinto-me Inês...! Nunca antes tinha sentido isto com um vestido — ou com outra peça qualquer —.

Qual foi o vosso favorito aleatório?

6 comentários:

  1. Tornas a minha escolha muito fácil e parcial, né. Mais numa vez, uma surpresa num dos meus cantinhos preferidos. Estar aqui mencionada e com palavras tão belas deixa-me pronta e feliz ao despedir-mr de 2017. Mesmo! Também eu espero uma dia ouvir-te falar e poder trocar frente a frente todas as opiniões e conversas possíveis, assim como aquele abraço cheio de agradecimentos pelo meio.

    Nem de propósito, ainda não tô disse, mas, a minha mãe finalmente ouviu os meus pedidos simples e ofereceu-me já 4 livros da saga mágica, na qual já estou completamente viciada. Desde dia 24 já li 1 livro e meio e já explorei tudo quando há para explorar no pottermore.com. Fiz 3 vezes o teste e, qual não é a minha surpresa quando The Sorting Hat me coloca na Ravenclaw House. Por isso, olá companheira!

    Mais ainda, adoro a relação que partilhas com a Carolina e tenho a certeza que, quando um dia se conhecerem, vão faiscar de alegria e amizade.

    Os sapatos que mencionar aqui são mesmo a tua cara e algo que grita o quão bem estás contigo. Belíssimo!

    Para terminar... A Belka. A patuda que me prometeu a partilha do osso, a cadela que trouxe uma nova luz à tua vida e a alma que tornou o teu Instagram ainda mais brilhante.

    2017 sorriu muito para ti apesar de tudo e como merecias. Que 2018 o faça a dobrar!

    ResponderEliminar
  2. Comecei a ouvir Anavitória por tua causa, e agora já não quero outra coisa!
    Mas o meu favorito aleatório favorito é, sem dúvida, a tua adorável Belka :)

    ResponderEliminar
  3. Ando a ler o A Breve História de Quase Tudo e totalmente fiel à descrição que fizeste! Estou a adorar lê-lo, e está-me a custar estar no penúltimo capítulo. Obrigada por esta partilha tão enriquecedora :)
    E fico mesmo contente que 2017 te tenha trazido uma amiga patuda tão especial quanto a Belka :) Nota-se ao longe a cumplicidade que vocês têm e tenho a certeza de que será uma das cadelas mais sortudas do mundo por ser tão bem estimada e tratada. Ela é um membro da tua família, e só assim é que faz sentido ter animais.
    Espero que tenhas um 2018 incrível e um beijinho grande :)

    ResponderEliminar
  4. Spotify Premium é tão bom!!! Tive uma vez a amei, passei alguns meses sem ele e já andava a desesperar com os anúncios e os skips limitados mas finalmente consegui ter novamente o premium e é uma felicidade enorme. Só quem vive a música e já experimentou estas funcionalidades é que percebe!!
    Tem um otimo 2018!!

    Beijinhos!!
    Black Rainbow / Instagram

    ResponderEliminar
  5. Tenho Spotify Premium há quase dois anos e continua a ser incrível... não sei se conseguiria voltar a usar a versão normal!
    Dos teus favoritos, acho que o vestido vermelho foi um marco teu este ano! Fica-te mesmo bem e é totalmente a tua cara! :D

    Se fosse escolher o meu favorito aleatório era um empate entre o Kindle e a Canon :)


    A Sofia World

    ResponderEliminar
  6. Fiquei muito interessada nesse livro e nem li o post original! O Spotify Premium é das melhores coisas de sempre, ainda mais quando ainsa se tem o preço de estudante ahahah
    A Belka é tão linda! É o meu momento favorito teu aliatório
    Por onde anda a Sofia?

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)