sexta-feira, 27 de outubro de 2017

SÉRIES || Stranger Things


Na possibilidade de existir algum leitor membro da resistência a assistir a esta série, não podia deixar de fazer chegar a mensagem de que eu, Inês que não liga nenhuma a séries e que a única que viu até ao fim foi Genius, também faz parte da enorme comunidade de fãs de Stranger Things, logo desde a sua data de estreia, no ano passado.

Decorrendo nos anos 80, a história inicia-se com o desaparecimento sem rasto de um menino, Will Byers. Depois de todas as buscas da polícia se tornarem infrutíferas, o seu grupo de amigos parte em busca de pistas que possam ajudar a encontrar Will, porém, durante a missão, encontram-se com uma rapariga peculiar que pode ser fundamental para desvendarem o caso.

Sou muito sincera: embora adore tudo o que tem a ver com ficção científica, raramente fico conquistada com séries ou filmes do género. Se falarmos de sobrenatural, então, passam-me completamente ao lado. O excesso de fantasia habitual destas séries demove-me de as assistir, porém Stranger Things conquistou o meu coração, especialmente porque não se concentra exclusivamente nessa temática. Um dos detalhes que nos permite criar uma ligação mais forte com a série são as constantes referências à época — a banda sonora, a moda, as referências cinematográficas, entre outros — que tornam todo o ambiente de Stranger Things muito mais envolvente e, na ausência de uma palavra melhor, cool
O outro detalhe que nos liga mais à série, é que nenhuma personagem existe ao acaso e são todas bastante ricas e interessantes a nível de personalidade. Ficamos rendidos aos miúdos, interessados pelos graúdos e ainda torcemos pelos adolescentes. Todas as personagens têm algo que nos faz criar empatia com elas e não são meros acessórios de uma história extraordinária. E é isso que dá um certo requinte à série e a eleva das demais da mesma onda.

Com uma música de abertura icónica, um elenco maravilhoso e um toque — muito leve — de terrorzinho e suspense, é aquela série que sabe melhor quando a assistimos com companhia e vibramos juntos cada acontecimento. Os episódios terminam sempre de uma forma surpreendente e ficamos doidos para saber o que acontece a seguir. A vantagem de ser Netflix é que a espera pelo novo episódio não existe! Com a segunda temporada já estreada, hoje, a única pergunta que me resta é: o que há para não gostar?

Ta-na-naa-naaaa-naaaaa-na...

6 comentários:

  1. Adoro esta série, é tudo tão cool como dizes e interessante. Estou ansiosa pelos novos episódios!

    http://batomebotasdatropa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho-a na minha lista de séries e agora fiquei com mais vontade de ver :)

    ResponderEliminar
  3. Óptima série, o difícil é não devorar uma temporada inteira! :D

    ResponderEliminar
  4. Ahhh, estou aqui no quinto episódio da segunda temporada, a vibrar com os acontecimentos e não estou a aguentar! É uma série bastante cativante, de certa maneira didática e não há como não nos apaixonarmos pelas personalidades que a constroem! Tenho só pena pelas pessoas que ainda não a viram, eheh!

    novo blogue: "IMPERIUM"

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)