sexta-feira, 29 de setembro de 2017

PASSAPORTE || Bacalhôa Buddha Eden


Consagrado o maior jardim oriental na Europa, o Bacalhôa Buddha Eden, criado por José Berardo, foi uma resposta a um dos maiores atentados culturais - a destruição dos grandes budas de Bamiyan. 
Esta foi a minha terceira visita. As duas primeiras foram logo no ano de abertura, 2008 se não estou em erro, quando o jardim era consideravelmente mais pequeno e a entrada ainda era gratuita. Hoje em dia, o jardim já expandiu bastante - existiam imensos recantos que nunca tinha visitado - e ainda está em construção para novos espaços. O bilhete custa 4 euros, 7 euros se incluírem o bilhete do comboio turístico que vai fazendo paragens sucessivas em inúmeros pontos do jardim.




As estátuas presentes ao longo de todo o jardim - e que são as estrelas, nesta visita - são uma homenagem à paz e estão divididas por culturas, em espaços próprios. Encontram estátuas chinesas, africanas, os famosos soldados de Terracota, e ainda algumas estátuas de referência à religião hindu, tudo isto combinado com uma fauna e flora invejável, um relvado que dá vontade de correr como se estivéssemos na Música no Coração - yup, I did it - e arvoredos que, durante o Outono, cobrem o chão com folhas douradas e bolotas gigantescas.




Durante a visita, encontrámos ainda, num local muito escondido, uma casa na árvore, que fez as nossas delícias e sonhos de criança e que não resistimos em subir e explorar todos os recantos. Tem uma vista absolutamente giríssima do topo (a casa tem dois andares) e ainda um baloiço de pneu para intensificar o revivalismo de uma infância nos anos 90. Se têm uma visita marcada na agenda, olho muito atento a essa casa!


Como já referi, foi a minha terceira visita, já para a minha companhia foi a estreia. Porém, das três, esta foi a visita mais completa; pude conhecer novas partes do jardim, visitar o coreto (quando lá fui, ainda não era permitida a entrada) e algumas das estátuas já estavam na sua forma final de exposição (como os soldados, agora pintados de azul).
Esta é uma visita feita para passear pelo que, se não estiverem com crianças muito pequenas ou problemas de mobilidade, recomendo imenso que dêem corda aos sapatos e façam tudo a pé, aproveitando os recantos com sombra e os relvados apetecíveis para se sentarem e descansarem. Há também algumas esplanadas espalhadas por todo o recinto para que possam lanchar ou fazer uma pausa. Ah, e podem levar os vossos amigos de quatro patas, desde que tragam trela ou peitoral e as vossas informações de morada e contacto localizadas em alguma parte da coleira. É excelente para crianças porque podem tocar e subir para as estátuas, criando um contacto com a cultura mais prático e divertido do que num tradicional museu com distância de segurança.




Acima de tudo, é um local tranquilo feito para passear e parar. Desfrutem do som da água a correr, dos vossos pés a pisar as folhas e a gravilha e deixem-se embrenhar nos arvoredos e caminhos de bambu para absorverem melhor a mensagem cultural de cada lugar. Fomos num dia de semana, durante a tarde e estava praticamente vazio, pelo que foi uma visita tranquila e onde tivemos longuíssimos períodos sem encontrar vivalma. Adorei rever este lugar, cada vez mais bem tratado e a expandir horizontes. Um tesouro maravilhoso no nosso país, escondido no Bombarral.

11 comentários:

  1. Visitei o Buddha Eden no início, quando ainda havia muito para finalizar, mas gostei tanto que regressei pouco tempo depois. Já não vou lá há alguns anos e as tuas fotografias encheram-me de vontade de o visitar novamente e descobrir as mudanças :)

    ResponderEliminar
  2. Eu fui lá em Janeiro e gostei da paz que se sente por lá. Não vi essa casa na árvore mas tenho mesmo que lá voltar! Principalmente porque podemos levar o nosso amigo de quatro patas e acho que ele ia ficar louco com tanta relva para correr ;)

    ResponderEliminar
  3. Não imaginas a vontade que tenho de o visitar :) São raras as vezes que vou para esses lados (normalmente só vou a Lisboa), por isso desde a abertura ainda não tive oportunidade de ir.

    ResponderEliminar
  4. Felizmente já tive a oportunidade de estar neste maravilhoso lugar há cerca de 2/3 anos e desde então que quero lá voltar. Como na altura ainda não praticava meditação, agora gostava de experimentar praticar lá dada a paz sentida neste paraíso.
    Já agora... Que fotos lindas, Inês! :)
    Beijinho.

    http://nepheshing.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  5. Também fui lá há uns anos (em 2013, o tempo voa!) e quero muito voltar :)

    ResponderEliminar
  6. Bonitas fotos! Este é um sítio que já quero visitar a algum tempo, tenho mesmo de ir!! :)

    https://batomebotasdatropa.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Visitei-o pela primeira vez no dia do meu aniversário. Infelizmente não consegui ver tudo, contudo gostei imenso da minha visita e achei o espaço de uma beleza extraordinária.
    É um jardim ao qual gostaria de regressar.

    R: Muiito obrigada pelas tuas palavras, Inês. Fiquei de coração cheio!

    ResponderEliminar
  8. Ando com este jardim na mira há imenso tempo. Já vi tantas fotografias e relatos do local e nunca me tinham falado da casa da árvore (que aumenta ainda mais o meu desejo de lá ir!). Obrigada pela partilha, Inn!
    Beijinho*
    http://nouw.com/juu

    ResponderEliminar
  9. Doce Inês, devo informar-te que elevaste substancialmente a fasquia deste maravilhoso recanto com as tuas belas fotos. A verdade é que já o queria visitar, porém, depois das tuas publicações no instagram e da tua descrição tão simples e bonita por aqui, agora estou com o macaquinho mesmo a insistir e com uma vontade de saltar já para o comboio e ver todas estas maravilhas com os meus próprios olhos.
    De facto, como disseste, identifico-me com muitos dos cantos que vejo e é umsítio que grita a minha personalidade por todo o lado. Achei especialmente interessante poder tocar nas estátuas e haver uma casa na árvore com 2 andares, FANTÁSTICO!!!
    Mal posso esperar para visitar este paraíso e tenho a certeza que vou ficar estupefacta, apesar de já o ter visto pelos teus brilhantes olhos.
    Um beijo enorme e um abraço apertadinho para a pessoa que me inspira mais a passear e explorar <3

    ResponderEliminar
  10. Nunca lá fui, porém, tenho uma amiga que já visitou o espaço e adorou! Parece-me ser, de facto, um lugar bastante sereno e perfeito para recarregarmos as forças que gastamos no nosso quotidiano. Um local onde investir! ^^
    P.S.: E essas fotografias? Um espanto! :D

    Beijinho,
    LYNE

    ResponderEliminar
  11. Quero muito visitar esse jardim :) Este ano não me parece ser exequível, até mesmo por causa do tempo, mas para o ano é passagem obrigatória.
    Obrigada por partilhares sobre um espaço tão bonito como este.

    Beijinho*

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)