domingo, 24 de setembro de 2017

FAMÍLIA || "Já nasceu!"


Há nove anos, o meu Nokia Xpress Music 5200 preto tocou e a Joana deu-me uma cotovelada no braço para eu atender. Do outro lado, estava a voz da minha avó, que disse: "Já nasceu!". Não sabia muito bem o que perguntar, de tão empolgada que estava. Questionei se tudo tinha corrido bem, se ele era saudável e bonito. Desde então, abracei uma nova aventura que me mudou por completo.

Sempre que me perguntam se tenho irmãos respondo que sou filha única e penso em nele. Dizem que os filhos únicos nunca saberão o que é ter irmãos, mas eu sinto que posso apostar que sei. É uma ligação sem explicação, um laço que se aperta de uma forma única.

Há nove anos que o amo, todos os dias. Dei-lhe papa, sujei-me toda com sopa, perdi horas de estudo para o colocar a dormir a sesta, ganhei dores de costas a ensiná-lo a andar. Descobri o truque para ele não chorar em supermercados.

Há nove anos que brinco com ele, conforme as suas fases. Apresentei-lhe os primeiros livros de Harry Potter e vi com ele o primeiro filme. Ouvi os segredos "ultra-secretos" dele, dei-lhe muitos abraços para consolar lágrimas, muitos high-fives para celebrar boas notícias e já fiz muitos olhares e ralhetes autoritários quando ele queria fazer uma birra. Perdi a conta do número de vezes que o fui buscar à escola, mas em todas elas eu sei que ele desatou aos pulos quando me viu e abriu um enorme sorriso. Já me apanhou com perguntas para as quais não tinha resposta preparada, e vi centenas de vezes o Nemo e o Noddy (mais vezes do que aquelas que quero recordar). Mas ele também já me viu a chorar quando eu não conseguia disfarçar, já me deu um "abraço muito apertadinho" sem eu pedir, só porque viu que precisava, e fui a primeira pessoa a quem ele ligou quando se viu no meio de um susto.

Há nove anos que o vejo a crescer e também eu cresço com ele. Aprendo coisas novas ao seu lado, todos os dias. Sobre ter paciência, ser tolerante, sobre ser simples. Sei que, se não lhe consigo explicar algo de forma a ele entender, é porque sou eu que estou a complicar e não tenho capacidade para eu própria compreender. Aprendi a ter um sentido de responsabilidade totalmente diferente - porque ele está a olhar para mim em tudo o que faço e, inevitavelmente, sou uma referência no seu crescimento -.

Hoje celebro o seu aniversário e a melhor chamada da minha vida. Quando estive com a minha mãe, nesse dia, segredei-lhe "espero que sejamos unha com carne". E somos. É um orgulho vê-lo crescer e transformar-se num rapaz inteligente, interessado em tudo, versátil nas suas brincadeiras e preferências, saudável e atleta. Que isto não se perca nunca - esta sua essência, o seu cavalheirismo natural e a nossa ligação -. Nunca tive irmãos, mas ponho as minhas mãos no fogo como sei como é ter um.

Feliz aniversário, João (já não tão) Pequeno. 

6 comentários:

  1. Sinto o mesmo pela minha prima também com 9 anos. Passei por todos os passos descritos e... também sou uma filha única que sabe o que é ter um irmão graças àquela piolha! :)

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho um irmão, mas tenho dois primos (a mais velha já com 17 e o mais novo com 9) por quem também me sinto assim. É maravilhoso acompanharmos o crescimento deles, e vermos as pessoas incríveis que se estão a tornar :)
    Um feliz aniversário para o João :)

    ResponderEliminar
  3. Aww! Eu tenho um irmão. Temos 10 anos de diferença e somos unha com carne! Da-mo nos super bem! É tão giro acompanhe o crescimento e vê lo passar por coisas que eu já passei XD

    TheNotSoGirlyGirl // Instagram // Facebook

    ResponderEliminar
  4. Este texto está tão querido, Inês! Adorei ler, transmitiu uma quantidade infinita de amor e carinho e aqueceu-me o coração! Muito obrigada.
    https://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Que texto amoroso! Nota-se que tens mesmo amor por ele.
    Percebo aquilo que tu dizes. Também sou filha única, mas sinto isso, que sei o que é ter irmãos, porque os meus primos foram uma espécie de irmãos para mim, brinquei com eles, cresci com eles, partilhei muito com eles, e ainda hoje temos uma relação muito especial :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)