domingo, 13 de agosto de 2017

DAILY || Estrelas Cadentes


Ontem, dirigi-me à varanda e fiquei surpreendida com a noite de verão que contemplava, sem brisas frescas. No entanto, não resisti em trazer comigo uma manta fininha, para aconchegar as pernas. A promessa era de uma chuva de estrelas cadentes que não queria perder.
Esta é a vantagem de viver no campo; todas as noites, eu tenho o privilégio de admirar um céu que muitos só desfrutam através de um acampamento, numa floresta. Sentei-me no lenço com o pescoço bem esticado, observando as centenas de estrelas brilhantes que tornavam a noite sardenta e luminosa. O céu era de perder de vista e com pontos de luz incontáveis. Se desviasse o olhar para o topo, o breu da noite abatia-se sobre mim, mas não era uma escuridão monocromática. À medida que ia descendo o olhar para o horizonte de planícies, o céu aclarava para um azul mais luminoso.

Fico sempre com expectativa quando sei que vão passar estrelas cadentes. É ainda mais incrível quando conhecemos um pouco da mecânica do Universo e admiramos a espectacularidade deste tipo de fenómenos.

A Belka juntou-se a mim e deitou-se imediatamente por baixo do lenço. Conseguia dar-lhe festinhas na cabeça com a ponta dos dedos e sentia o seu calor tão confortável. Brinquei com as orelhas dela, de um pêlo macio, quase como um peluche, enquanto aguardava a primeira aparição. Cá fora, só se ouviam os grilos a cantar num coro planeado, enchendo o ar com o som natural e relaxante. Por vezes, o concerto dos grilos era interrompido pelo canto das corujas e mochos ou pelo barulho provocado pela corrida rápida de um coelho. Mas tudo fluía em harmonia.

Quando a primeira estrela caiu no céu, brilhante, fugaz e deixando o seu inesquecível rasto de luz, exclamei o meu deslumbre para a Belka, que encarou a excitação com pulos e lambidelas na minha mão. Eu apontava para o céu, como se ela possivelmente soubesse o que estava a acontecer. Afinal, não é ela uma cadela espacial?
Depois desta, muitas outras se seguiram. A certa altura, deixem de as contar e simplesmente deixei-me ficar ali, deslumbrada, sem palavras. Não me passava sequer pela cabeça pedir desejos mas, instintivamente, fechava os olhos nos segundos seguintes à sua aparição. A Belka também parecia ficar atenta ao céu, ocasionalmente, com o seu olhar concentrado focado nas estrelas. Depois voltava a enroscar-se em mim. E assim se passaram horas, dividindo este momento na companhia uma da outra.

O Universo, as constelações, as estrelas e todos os outros pormenores fascinam-me. Quanto mais sei, mais perguntas faço e mais arrebatada fico com as respostas. E eu deixo-me levar, quando olho para as estrelas, quando olho para estes fenómenos encantadores. Sinto tudo ao meu redor esfumar-se e sinto que só existo eu, a Belka e as sardas do nosso planeta.

Talvez devesse ter cedido à tradição mágica e ter pedido um, ou dezenas, de desejos. Afinal de contas, há tanto na minha vida que eu ficaria feliz por ver concretizado e resolvido com um pedido a um feixe de luz. Mas ali, com o focinho pequeno da minha cachorra no colo, que me vê como o seu mundo, sem brisa fresca, com uma orquestra de grilos e um manto brilhante de um design inimitável, senti que ia ficar tudo bem. Talvez não de uma vez e tudo concretizado, como irracionalmente almejamos. Mas tudo irá encaixar no sítio certo e todos os meus caminhos vão dar aos devidos lugares. E sorri.

Curioso como somos absolutamente insignificantes no vasto Universo, mas o mundo mais importante das pessoas que gostam de nós até ao nosso último átomo.

5 comentários:

  1. Infelizmente, perdi a chuva de estrelas, mas ao ler este texto senti-me como se as tivesse a ver neste preciso momento. A tua escrita é tão maravilhosa!

    ResponderEliminar
  2. Que texto mais bonito, querida Inês! Tão bonito quanto a tua pessoa é.
    Beijinho*
    http://nouw.com/juu

    ResponderEliminar
  3. Não consegui ver a chuva de estrelas mas com a tua escrita parece que vi com os meus próprios olhos!

    Beijinhos. Há Giveaway a decorrer no blog! Participa!
    That Girl | FACEBOOK PAGE | INSTAGRAM | TWITTER

    ResponderEliminar
  4. Uau, que belíssimo momento Inês - o teu, pela experiência incrível de observares este fenómeno, e o que nos proporcionaste, ao partilhares este texto tão teu, tão apaixonante, que me fez sentir aí a observar as estrelas.

    ResponderEliminar
  5. Inês, é linda a forma como consegues descrever um acontecimento tão mágico como este. :)
    Beijinho.

    http://nepheshing.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)