sexta-feira, 16 de junho de 2017

EVENTOS || Santos 2017


Eu sempre gostei de Lisboa em clima de festa pelos Santos Populares. Fascinou-me desde que os festejei, há três anos, numa completa aventura nocturna que, ainda hoje, recordo com gargalhadas. Desde 2014 que fiquei na expectativa de regressar e, se mo tivessem dito que só iria voltar a celebrá-los três anos depois, eu não acreditava. Chegava sempre a esta altura do ano com o desejo de voltar a dançar pelos bairros e, inesperadamente, algo colocava-se no meu caminho. Mas não este ano.

Lisboa perde os seus traços urbanos, nos Santos Populares. Aglutina vizinhos que já não se conhecem; faz as pessoas com menos de 60 anos espreitarem à janela; perde os arranha céus e ganha manjericos e bandeiras coloridas; os recantos escuros e assustadores ganham a luz de pequenas lanterninhas improvisadas. O cheiro a cidade funde-se com a sardinha e o grelhador que, durante a noite toda, não pára. A dinâmica dos carros é substituída pelo aglomerado de pessoas que circula, durante toda a noite, pelos recantos de uma cidade que se converte numa aldeia gigante.

O que me encanta nos Santos Populares é esta sensação de proximidade; da cidade que é tão grande e fica tão pequenina, das pessoas que se cruzam connosco e não são estranhos; são os amigos, os colegas, os que conhecemos de vista. Mas todos nos conhecemos. É a senhora das sardinhas e das bifanas que trata toda a gente por "querida" e por "amor". É as músicas mais absurdas que só podem ser suportadas de uma única forma: cantando-as a plenos pulmões.

Eu sempre gostei dos bairrinhos da capital. Não tenho um lugar preferido em Lisboa, mas adoro explorar estes lugares mais resguardados. As escadinhas que todos odeiam, eu não me importo de subir. Os becos escondidos que todos temem, ganham uma luz bonita durante o dia (ou com as luzes dos Santos). As cores dos lençóis estendidos e das fachadas das casas. Os miradouros secretos que têm sempre um casal de apaixonados ou turistas perdidos, que nem imaginam o tesouro que encontraram. Os bairros de Lisboa são muito diferentes da cidade de Lisboa. São muito orgânicos e genuínos. Diz a pessoa de fora, claro. É a minha sensação. É disso que eu gosto, nos Santos. É na terrinha. No bairro. Onde as crianças festejam com os avós e com os primos que já beberam uma cerveja a mais. Onde ninguém se consegue encontrar, mas todos nos cruzamos. Dinamiza, aproxima.

Fiquei muito feliz por voltar a celebrar uma festividade que eu gosto tanto e que me conquistou logo na primeira vez. Espero que este encontro se repita em intervalos mais curtinhos porque sinto-me sempre bem ali. Contente e familiarizada. Nos Santos Populares, Lisboa torna-se a nossa amiga mais querida, que nos recebe na sua sala tradicional e iluminada com um sorriso no rosto, braços abertos e uma quadra gentil na ponta da língua.

12 comentários:

  1. Espero conseguir ir passar um Santo António a Lisboa um ano próximo, a maneira como o descreveste deixou-me ainda com mais vontade.

    http://acasadabrancadeneve.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Que saudades de ver tantos posts teus por aqui! Dás vida a uma blogosfera que, ultimamente, anda paradinha ( mas que suspeito que, como sempre, terá muito mais movimento no verão, que é quando a malta toda está de férias).
    Falando do post, adoro esta época dos Santos Populares. Aqui em Braga só festejamos o S.João, mas adoraria ir um dia aí a Lisboa para festejar aí, deve ser um ambiente incrível :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  3. Eu aprecio os Santos Populares mas é tanta, tanta, tanta gente que acabo sempre por desistir da ideia, pelo menos na véspera de Sto António porque nos outros dias anda-se que é um mimo!

    ResponderEliminar
  4. É quase como encontrar todas as festas aldeias do país em cada esquina(e até onde encontramos quem menos esperamos!:)*). A cidade fica menos urbana e torna-se rural por uns dias, mais unida, coisa dificil de imaginar para quem não conhece este cenário. Vibrei com os Santos este ano! :)

    ResponderEliminar
  5. Gostava imenso de conhecer o Santo António, em Lisboa! Este ano pensei meeesmo nisso, mas tinha um exame exatamente nesse dia.
    Até lá, espero que um dia venhas conhecer o São João, cá no Porto. Como portuense que sempre viveu no centro da cidade e conhece o São João de cor, para mim, é a noite mais Porto que alguma vez poderás ter. É tão, tão incrível! Espero que um dia tenhas a curiosidade de vir a terras mais nortenhas festejar os santos, não te vais arrepender!

    ResponderEliminar
  6. Faço anos em véspera de sto antónio e adorava começar a festejar o meu aniversário nos santos, sou de tão perto e nunca me meti nessa aventura mas ha-de estar para breve!

    ResponderEliminar
  7. Depois de 3 anos (coincidência), também vou voltar ao São João já por duas noites consecutivas - que estejam combinadas para já, né? - e estou mesmo ansiosa, porque gosto mesmo do espírito e da felicidade que envolve Braga.
    Entre sardinhas e marteladas, vai haver espaço para muitas gargalhadas e momentos doidinhos e fofinhos.
    Descreveste melhor do que alguma vez faria e apimentaste ainda mais a vontade de ir :) Que chegue dia 23!!!

    ResponderEliminar
  8. Nunca festejei qualquer festa dos santos populares pois na minha cidade não é tradição mas adorava poder experienciar tal espírito!
    Beijinhos grandes.

    https://bloomblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  9. Partilho da mesma experiência!
    Este ano foi a primeira vez que fui verdadeiramente para os Santos de Lisboa na Graça e Alfama. Estava a abarrotar.

    ResponderEliminar
  10. Nunca fui a nenhuma festa dos Santos mas quero muito ir!

    ResponderEliminar
  11. Ai eu adoro os Santos!! Felizmente são o mês de Junho inteirinho :) tão bom!!
    Comecei a seguir, beijocas
    Get it Sis

    ResponderEliminar
  12. Adoro os santos populares :)
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)