domingo, 14 de maio de 2017

MÚSICA || Parabéns, Salvador!


Não desmerecendo o enorme feito pelo Benfica, que é o meu clube e para o qual reservo um imenso orgulho, e confessando que não me identifico propriamente com tudo o que o Salvador afirma por aí, não podia deixar de dar os parabéns a um artista que criou um momento que, até à data, eu só tinha presenciado através dos jogos da Selecção: fez um país inteiro unir-se e torcer pela mesma coisa.

Numa competição europeia tão conhecida pelas suas tendências POP e de entretenimento, Portugal apresentou-se com uma voz delicada e doce e nada mais do que uma melodia de Jazz que, para mim, encaixa muito nas canções antigas da Disney e com uma letra melancólica, na língua mãe, que se abraça muito aos registos antigos do Fado. E conquistou Europa fora (e mais além).

Pela graciosidade da voz do Salvador, pelo arranjo instrumental muito rico, por a letra ser tão crua e vulnerável, Amar Pelos Dois destacou-se por ser única. Suscitou a curiosidade de quem não entende a nossa língua, para perceber por que razão a letra despertava tantas emoções nos outros que a compreendiam. E fez-nos acreditar que, mesmo que não ganhássemos, tínhamos apresentado um trabalho incrível e meritório. 

Ao fim de tantos anos a ignorar o programa, eu (e mais uma carrada de pessoas, acredito) liguei a televisão e torci nas votações. Porque merecíamos ganhar, mesmo que não fôssemos lá num registo POP. Nós entretemos. Nós prendemos um público internacional. Nós criámos empatia com uma voz a cantar a língua mãe. Isso é espectáculo e entretenimento. Merecíamos ganhar.

Foi um momento muito bonito para Portugal, em que todos celebrámos e festejámos sem que fosse por futebol - embora eu adore futebol. Mas há mais para celebrarmos e torcermos juntos e o Salvador provou-nos isso. Também provou algo que tenho vindo a dizer há muito tempo: a música é a melhor linguagem universal e que tem o poder de aglutinar uma população de origens diferentes, histórias de vida diferentes e crenças diferentes. É assim que a música funciona: aglutina.

Parabéns Salvador, por polvilhares açúcar em tantos corações. O mundo anda amargo demais.

7 comentários:

  1. Ele encheu-nos o coração.
    Que coisa tão linda. Eu também não andava a ver o Eurovisão. Andava aborrecida pela má qualidade das músicas, pelas votações(...), mas quando vi que Portugal este ano tinha algo diferente, lá vi, já a meio, a tempo de apanhar o Salvador, a meia final, e pronto. Agora não há hipótese, tenho de ver o Eurovisão no próximo ano, que por sinal até é cá :)

    ResponderEliminar
  2. Estive no jogo do Benfica mas, acredita, sofri mais durante as votações do que durante os 90 minutos da partida! Que caminho brilhante fizeram os manos Sobral :)

    ResponderEliminar
  3. Eu cá sempre acompanhei o festival e a Eurovisão, com a esperança que chegasse o dia em que alguém interpretaria aquilo que sempre defendi: uma música simples, na nossa língua. Gostaria de no próximo ano ouvir um fado em casa, na nossa Lisboa.

    ResponderEliminar
  4. Eu era dessas que não acompanhava a Eurovisão, precisamente pelo "fogo-de-artifício" - sempre me pareceu demasiado. E, embora reconheça que o Salvador tem uma certa "arrogância" nas palavras dele, não posso deixar de lhe dar razão - a música deixou de ser sentimento, para passar a um negócio, pelo menos aquela que é divulgada nos canais mais abrangentes. E estes dois irmãos vieram de facto quebrar a corrente. Esperemos que com resultados duradouros! Foi uma noite memorável :)

    Jiji

    ResponderEliminar
  5. Li esta publicação uma, duas e três vezes. Estou deslumbrada pela forma como escreves e abordas os diversos temas!

    ResponderEliminar
  6. Foi um momento tão feliz. Principalmente, a felicidade na cara dos mais velhos que acompanham este programa há anos com ansiedade nos olhos e nos corações. O Salvador fez história e inclui-nos nela. Que lindo!
    Dou-te os parabéns por saberes sempre como escrever, és tão certa nas palavras e nas expressões. Cada vez gosto mais de te ler.

    ResponderEliminar
  7. Foi um sábado mágico, histórico :) e acho que precisávamos de um sábado assim (e de um Salvador assim). Tudo na sua prestação foi bonito e não paro de ouvir a música :)

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)