sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

FILMES || Hidden Figures


É dos poucos filmes na corrida ao Óscar que eu tinha curiosidade para assistir. Aliás, eu queria ler o livro em primeiro lugar, mas o desejo de conhecer a história foi tão grande que me permiti a assistir ao filme primeiro.

Hidden Figures decorre no climax da corrida espacial travada entre os Estados Unidos e a União Soviética, durante a Guerra Fria. Numa época em que o espaço ainda era uma incógnita maior do que a actualidade, colocar um homem no espaço era determinante para ditar as regras do futuro. E todos os segundos contavam.
É aqui que uma equipa de especialistas feminina entra e torna-se determinante para que uma das maiores operações tecnológicas na História da NASA aconteça. As suas capacidades extraordinárias e geniais na matemática, física e engenharia provaram que, sem elas, os Estados Unidos teriam perdido a corrida. E o que as torna ainda mais especiais, além de serem mulheres num mundo de homens? São mulheres negras.



O filme retrata muito bem estes dois detalhes; o preconceito para com mulheres e para com pessoas de cor ainda era evidente e, mesmo tratando-se de mentes brilhantes, Dorothy, Katherine e Mary tiveram de lutar muito para conquistar uma posição na NASA e para garantir os seus direitos - desde uma mera casa de banho, à entrada numa Faculdade exclusiva para brancos -. São, portanto, rostos pioneiros numa série de vitórias sociais.


Apesar do tema bastante sério - e urgente, uma vez que, especialmente nos Estados Unidos, ainda existe um racismo visceral e arcaico - o filme é muito agradável de se assistir e com uma fórmula leve e de humor estratégico. É impossível não sentir empatia pelas protagonistas e retirar daqui não só lições valiosas sobre a luta pelos direitos humanos como também o valor da amizade, do apoio incondicional da família, da importância que é termos quem amamos como nosso pilar e de que jamais devemos diminuir quem nós somos e as nossas capacidades. 

É um filme inspirador, com muita matemática, muita NASA - que adoro! - e muito bom humor. Prometo ler o livro porque quero saber mais sobre estas mulheres inspiradoras. Elas são a prova de que não há limites para o conhecimento, para a aprendizagem, para a luta e para a coragem.

5 comentários:

  1. Ainda não vi, mas depois de ler o teu post, vou ver de certeza! Beijinhos :)
    http://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida um dos melhores filmes de 2016. Esta é uma daquelas histórias que merece ser contada e fiquei bastante satisfeito com o resultado final. O elenco é fantástico e adorei a forma como incorporaram momentos humorísticos sem comprometer a mensagem. Só não percebo como é que a Octavia Spencer recebeu a nomeação ao Óscar e a Taraji P. Henson foi completamente descartada. Oh well!

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
  3. Ainda não vi o trailer, mas achei a descrição do filme e a tua revisão muito interessantes. Será mais um para ver.

    ResponderEliminar
  4. Eu tenho que ver este filme!! Não só pela premissa mas porque adoro cada uma dessas atrizes!!!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)