domingo, 18 de dezembro de 2016

DAILY || Desacelerar.


Há poucas coisas que conseguem fazer o peso dos meus dias evaporar-se. Sou uma pessoa intensa e, por consequência, encaro todas as minhas tarefas diárias com a devida seriedade e intensidade, claro. Saio do trabalho mas o peso do dia demora a deslizar dos meus ombros. Desligo mas com uma grande dose de paciência.

É fundamental encontrarmos os nossos momentos especiais que fazem o mundo desaparecer. Que fazem o mundo desfocar, passar para segundo plano. Que fazem tudo parecer mais leve, mais suave e simples. Que nos fazem sentir optimistas em qualquer situação e com energia para sermos o que quisermos fora de horas.

Alguns desses momentos, na minha vida, é sair do trabalho e vê-lo à porta, no seu sorriso de sempre, pronto para dar-me um abraço. Os seus braços sabem a casa, onde quer que esteja e os pensamentos sérios e cansativos do trabalho diluem de uma forma surreal, mas maravilhosa. Outra é tomar um banho já de noite, com água absurdamente quente e deixar-me ficar debaixo do chuveiro, de olhos fechados, sem pensar em nada. Rigorosamente nada. Sentir o vácuo invadir-me para as sensações exteriores acalmarem-me; a água quente na minha pele; o som da água a escorrer, em cadência. O cheiro do jantar que ele quis com tanto gosto preparar para mim. 

Devagar, desacelero e vou fazendo tudo muito mais lentamente. Secar o cabelo sem pressas. Vestir uma roupa confortável e abraçar-me nela. Enxugar a cara com a toalha de uma forma suave. E deixar o peso da cabeça cair no seu peito quando ele me recebe com um beijo na testa. Sinto, literalmente, que o meu coração relaxa, que as horas começam a abrandar, que tudo à minha volta ganha um ritmo agradável e relaxante. É inexplicável e, ao mesmo tempo, tão palpável de sentir.

5 comentários:

  1. Que texto tão bom de ler! Até parece que senti o tempo a desacelerar :)

    ResponderEliminar
  2. Amei ler o texto, gosto imenso mesmo da forma como escreves, e não é a primeira vez que o digo :)

    www.thesandrafaela.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Eu simplesmente adorei a forma como escreveste.
    É tão bom sentirmo-nos em casa e relaxarmos.
    Beijinhos,
    www.aruiivaa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Identifiquei-me bastante com este texto! Tal como tu, também eu sou uma pessoa intensa e sinto necessidade de desacelerar por diversas vezes. Há uns tempos, tal ato era, para mim, uma autêntica incógnita. Felizmente, com o passar dos tempos, tenho conseguido atingir esse ritmo de que falas sempre que desejo e preciso!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  5. Inês, gostava de te conhecer um dia.

    Acho que nos iríamos dar muito bem (:
    Tenho esse feeling, e este texto demonstra o quão profundas e intensas poderiam ser as nossas conversas.

    Beijinho *

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)