domingo, 30 de outubro de 2016

FILMES || Inferno


Desde 2013 que aguardava a adaptação cinematográfica de um dos meus livros preferidos, Inferno. Adorei toda a história e adorei que finalmente o Dan Brown fizesse a religião descansar um pouco e pegasse em algo verdadeiramente intrigante: a ciência em parelha com a História. O livro está soberbo, a história muito bem contada e com um final arrebatador. Tinha tudo para resultar num filme que o igualasse. 

E o filme, inesperadamente, desiludiu-me. Eu sei o que vão dizer; "colocaste muitas expectativas", "é normal por ser um dos teus livros favoritos" mas não. Eu não gostei da adaptação porque fugiu completamente ao livro. E eu não compreendo esta nova tendência cinematográfica de se afastar e alterar completamente a história do livro. Os livros são os melhores contadores de histórias - e quem pensa o contrário, permitam-me lamentar - e arruinar uma receita que já está feita é uma decisão tão pouco inteligente que pouco me resta senão sair do cinema com uma sensação de desgosto.

Nenhuma das personagens está bem caracterizada, à excepção do nosso amigo Langdon, são, em média, três horas de filme a falar de um vírus/praga e terminam o filme sem nunca revelar que praga era - apenas quem leu o livro vai saber - mudam completamente o final (isto, para mim, é o mais inconcebível porque arruinaram completamente o propósito do livro e a pertinência do mesmo) e ainda alteraram a relação entre personagens. Uma mixórdia sem sentido. Um filme que tinha tanto potencial para fazer com que o público saísse da sala a pensar foi transformado numa autêntica história vulgar de mistério histórico-cultural. Mais do mesmo. Quando não é.

Eu aceito que nem todos os detalhes culturais do livro tenham de estar num filme. Afinal, é uma adaptação. E aceito que tudo aconteça com mais brevidade e menos cadência de informação. Aceito até que tornem personagens maravilhosas em mosquinhas mortas. Mas não consigo aceitar alterações de história. 

Não foi o Inferno, para mim. Os cenários são maravilhosos e muito fiéis (graças a Deus), a fotografia é excepcional mas o conteúdo do filme, em si, não é o Inferno. Tenho pena.

8 comentários:

  1. O livro sem dúvida é um dos meus favoritos do Dan Brown e, por isso mesmo, estou com medo de ver o filme..

    ResponderEliminar
  2. Ainda não li o livro mas queria muito ver o filme e estava a depositar esperanças nele, que fosse bom :/ mas agora fizeste-me questionar se o melhor não será ler o livro primeiro

    ResponderEliminar
  3. Não conhecia esse filme mas vou tentar ver se assisto
    gostei da sugestão
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  4. Quando o livro saiu, não o larguei enquanto não acabasse. Por isso, fui ver o filme no dia seguinte a ter saído. Confesso que não deveria ter ido com grandes expectativas, mas havia alturas em que estava sentada na cadeira a pensar "não me lembro de ter lido isto" ou "está a faltar aqui qualquer coisa".
    A minha maior desilusão, sem dúvida, foi o final. Alterou por completo o propósito do livro. Havia alturas em que os cenários apareciam e faziam-me suspirar de serem lindos, mas ao sair da sala de cinema o meu primeiro pensamento foi "quem é que vai pagar a restauração daquele tecto?", seguido de um "se calhar, vou ler o livro outra vez". Pensei que fosse melhor, porque tinha tudo para o ser.

    ResponderEliminar
  5. O meu moço anda em pulgas para ver o filme e, verdade seja dita, acho que já me as pegou também. Mas agora fiquei com dúvidas, porque eu nunca li o livro e realmente ler o livro ou ver o filme, eu aposto sempre no filme, porque eu sou mais "visual", gosto mais de ver filmes do que ler as histórias... mas provavelmente não me irá desiludir, principalmente sendo a história que é.
    Obrigada pela dica ;)

    let's do nothing today

    ResponderEliminar
  6. Eu ganhei este livro num concurso da FNAC e demorei mais de 2 anos a começar a lê-lo. Mas quando li, foi em dois dias. É, sem dúvida, um dos meus livros favoritos e ainda por cima com um final tão intrigante e diferente. Quando soube que ia ser adaptado ao grande ecrã, suspeitei logo que mudassem o final.. infelzimente parece que adivinhei
    Por onde anda a Sofia?

    ResponderEliminar
  7. Fui ver o filme e não fiquei nada satisfeita. Admito que do Dan Brown só li o Código Da Vinci e nada mais. Mas acompanho os filmes com algum entusiasmo - e considerei que, dos três, este foi o mais fraquinho. Percebo agora que o livro nada tem a ver e que provavelmente preenche todas as lacunas que o filme tem (por exemplo, o facto de nunca se perceber o que era o vírus fez-me muita confusão). Acima de tudo, achei o filme superficial, porque não desenvolveu nenhum dos aspectos da história - nem sobre o vírus, nem a relação do Langdon com Elizabeth, nem a história do próprio Zobrist (um tipo não se torna psicopata porque sim, acredito que o Dan Brown tenha explorado mais isso no livro) -, o que fez com que o filme me soubesse a pouco.

    Aonde (não) estou

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)