domingo, 4 de setembro de 2016

PASSAPORTE || Havana Moderna, Cuba


Se não soubesse que estava em Cuba e abrisse, de repente, os olhos em Havana Moderna, diria que estava numa cidade europeia. A diferença é quase chocante, quando saímos de Havana Velha e vamos dar a praças com edifícios colossais de estilo neoclássico, dignos de uma Austria, Paris ou até Londres. Em Havana Moderna, os edifícios têm uma manutenção mais cuidada, as ruas são mais movimentadas - especialmente com turistas e também pelas inúmeras esplanadas espalhadas por todos os lugares - e, pessoalmente, senti-me como se estivesse em Sevilha. A comparação não é muito absurda, uma vez que Havana teve uma enorme influência espanhola, que se reconhece muito facilmente nas fachadas das casas, nas janelas e varandas e o calor, as árvores aladas nas ruas e os cafés tão bem cuidados facilmente vos farão recordar do mesmo, se já tiverem visitado Sevilha.



É em Havana Moderna que serão mais abordados pelos comerciantes, que encontrarão as cubanas vestidas à época, música ao vivo na rua e a fileira de carros de época coloridos, onde se poderão deliciar (as mulheres com as cores queridas, os homens no puzzle de perceber se os motores são ainda originais ou não), tirar fotografias ou até pedir um passeio de descapotável. Há para todos os gostos e feitios e jamais se irão cansar de ver qual o carro novo e colorido que está atrás da esquina. Em Havana Moderna vão sentir que se perderam no tempo e que a cidade trocou-vos todas as voltas.


Imperativo que comam um gelado enquanto passeiam pelo Passeio del Prado. Para mim, fez-me recordar vivamente as famosas Ramblas de Barcelona, pelas enormes árvores que compõem a avenida e pelo chão plano em mármore. Aqui encontrarão imensos residentes sentados nos bancos a dormir, a andar de skate, a fazer patinagem, jogar futebol, ouvir música... E os contrastes sociais também se farão sentir; Num banco estará um homem sem sapatos, com uma roupa de fraca qualidade a descansar e, no banco seguinte, estará uma família com os filhos a ouvir músicas americanas no iPhone com colunas enquanto os filhos, com ténis coloridos e luminosos, saltam à corda. Durante o período de aulas e uma vez que não há recreio na maior parte das escolas, é para aqui que as crianças vão nos intervalos. Por todo o redor do parque encontram ainda inúmeros edifícios emblemáticos, como um antigo casino espanhol, a escola de ballet, edifícios neomouríscos, restaurantes, hotéis, entre outros.



No final dos dias de trabalho, é típico todas as praças encherem-se com música latina e as pessoas saírem para esses pontos de encontro para beberem um copo e dançarem, como uma discoteca ao ar livre.


Fotografias da minha autoria, por favor, não as utilizar sem autorização prévia

5 comentários:

  1. Parecem mesmo duas cidades completamente diferentes, de dois continentes distintos!

    ResponderEliminar
  2. Realmente, pelo que vi nas fotos, não têm nada a ver com Havana Velha.
    Adoro a forma como descreves as tuas viagens, durante a leitura deste texto, parece que fui transportada para lá. Consegui visualizar tudo mentalmente.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  3. Wow! São tão diferentes! Fico mesmo feliz que tenhas conseguido ir a Cuba e que tenhas desfrutado imenso!

    ResponderEliminar
  4. Amo as tuas fotos! E Cuba deve ser lindo!

    Adorava que fizesses uma room tour porque o teu quarto deve ser lindo. Vídeo ou em fotografias, como te sentires mais confortável! É só uma sugestão.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Estas fotos inspiraram-me! OMG a cidade é tão bonita!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)