quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Q&A de Aniversário!


O que te dá motivação para continuares todos os dias no blogue? Sem dúvida existem duas razões principais. A primeira é a sensação e orgulho de poder criar algo meu. Esta página é a minha criação, com conteúdo que eu quero, com textos que eu escolho, que eu escrevo. Nasceu de mim e isso dá-me uma enorme sensação de concretização, além de que, por o manter todos os dias quase actualizado, ao fim de algum tempo posso olhar para publicações antigas e rever uma Inês menos crescida. É óptimo acompanhar a minha evolução e pensamentos. A outra razão é adorar partilhar convosco. Sugestões sobre tudo, pensamentos, ideias, desafios... Eu gosto desta sensação de partilha e feedback. Deixa-me feliz, acima de tudo.

O que é que já te disseram que mais te marcou? Que mudei a vida da pessoa, pela positiva. Que se tornou uma pessoa melhor.

Como foi o teu Secundário? Não foi uma época fácil. Eu divido o Secundário em duas partes: o 10º/11º ano e o 12º ano. No 10º e no 11º fui muito infeliz. Já queria nutrição na altura  e era penoso porque nunca abordava matéria similar. Eu estudava por sacrifício (a não ser que fosse Trigonometria e Química, que adorava e fazia-as com enorme facilidade), eu lia matérias com um desgosto enorme para poder ir para a Universidade estudar o que queria. Desiludi-me imenso e não tive uma adaptação fácil, estava constantemente cansada e acabei por sair do basquetebol porque a falta de conciliação estava a reflectir-se na minha saúde. Mas no 12º escolhi Química e adorei que a Biologia fosse muito mais humana e ganhei outra motivação. Fui imensamente feliz no meu ano de finalista, tinha tempo para estudar, fazer trabalhos, descansar, estar com os amigos, praticar basquetebol (pela escola e pelo clube desportivo, o que significava que fazia exercício todos os dias e estava altamente tonificada)... Estava nas nuvens. Fico muito feliz e aliviada por, apesar de ter começado com o pé esquerdo, ter terminado uma fase marcante da minha vida tão bem. É a prova de que, mesmo quando as coisas não começam como idealizamos e testam a nossa capacidade para vermos um final feliz, a perseverança, a esperança e o trabalho fazem-nos chegar aonde queremos.

O que te levou a seguir nutrição? A minha prima, que é nutricionista e vi-a em acção quando era miúda e apaixonei-me pelo que ela fazia.

Como imaginas a tua vida daqui a cinco anos? Estas perguntas são tão difíceis para mim porque não me consigo projectar... Mas a nível profissional tenho algumas esperanças. Eu espero, pelo menos, daqui a 5 anos já ter a Ordem despachada e um trabalho que goste. A nível pessoal... Talvez já ter saído de casa... Ou planear sair de casa, pelo menos!

O que te inspira no dia-a-dia? Acima de tudo, coisas que me transmitam mensagens positivas. Às vezes nem sequer é algo óbvio. Nem sempre falo de uma frase inspiradora. De momentos, imagens, fotografias, músicas, conversas, ideias que façam com que em mim nasçam pensamentos e sensações positivas, bonitas, motivadoras. Talvez o que me faça sentir positiva não seja o mesmo que faça a outra pessoa sentir-se de igual maneira, mas é normal, penso eu. Pode ir desde tudo; A um pôr-do-Sol, a um abraço apaixonado, uma música alegre ou um vídeo no youtube. Não há limites para a minha inspiração!

Quais os blogues que segues com mais atenção e recomendas? Em Dezembro fiz uma publicação sobre os meus blogues favoritos do ano e, um mês depois ainda não sofreu alteração, portanto, a lista mantém-se. Podem vê-la na publicação de aniversário do Bobby Pins.

Se só pudesses descrever o Bobby Pins em 3 palavras, quais seriam? Huum... Versátil, Positivo, Transparente. E vocês? Como descreviam o Bobby Pins em 3 palavras?

Qual foi a melhor coisa que o Bobby Pins te trouxe? As pessoas. Graças ao blogue encontrei pessoas maravilhosas, pessoas que escrevem de uma forma completa e apaixonante, pessoas de um bom fundo extraordinário, humildes e fabulosas. Que me inspiram todos os dias, mesmo que nem desconfiem. Vou inevitavelmente guardá-las para o resto da vida, seja ela onde for, por me terem já ensinado tanto sem o saberem.

De que modo o Bobby Pins já influenciou a tua "vida real"? (se já foste reconhecida ao vivo, se os teus amigos comentam contigo certos posts...) Só fui reconhecida três vezes (olá Marta, olá Joana, olá Catarina) e, se me permitem a sinceridade, em todas elas eu senti-me uma perfeita anormal. Porque foram miúdas incríveis que me cumprimentaram com a maior das simpatias e eu sinto que petrifiquei e não respondi as coisas que queria responder. Julgo que é por ser caloira nisto, não estou habituada nem preparada para este tipo de encontros inesperados e a vergonha não ajuda, pelo que aproveito já para pedir desculpa pelas possíveis anormalidades que estejam por vir! De resto o mais comum é mandarem-me uma mensagem a dizer que me viram mas não tiveram coragem de vir falar e, para ser mesmo honesta, fico sempre triste. Queria imenso que me dissessem olá!
Os meus amigos não fazem comentários sobre as minhas publicações nem me chateiam sequer com este hobby. Não há piadas, nem perguntas, nem opiniões sobre o que publico, mas sei que muitos lêem. Às vezes recebo elogios gerais sobre a forma como consigo traduzir por palavras pensamentos que também eles já tiveram. O mais comum é alguma amiga minha lembrar-se que tenho um blogue e fazer perguntas para começar o seu. Isso é super comum.

Qual foi o pior que já te aconteceu através do blogue? Por sorte ou mérito, nunca tive grandes infelicidades por pertencer a esta comunidade de forma activa. Não tive grandes dissabores ou desmotivações. Talvez o pior mesmo que possa acontecer são alguns comentários mais desagradáveis mas são um grão de areia num oceano de experiências positivas e incríveis. Portanto, não tenho resposta a essa pergunta.

Nunca pensaste em criar um Facebook para o blogue? Neste momento fazer tal coisa seria mais sinónimo de dor de cabeça para gerir e actualizar do que uma ferramenta de utilidade. No meio de tantos afazeres que já tenho em mãos não me quero comprometer com outro que não me suscita grandes ideias.

Quais são os teus chás predilectos? Eu sou muito leal ao Earl Grey Tea (chá preto). É o que me desperta, é o que me aconchega melhor nos momentos de aperto e de garganta gelada, é o que cura a rouquidão da praxe, é o que me sabe melhor, apesar do seu sabor característico tão forte. Adoro também chá dos Açores, é maravilhoso e dou preferência aos chás com citrinos (limão, laranja...) nos momentos de gripe. Há uns anos havia uma edição da Lipton de chá de caramelo e era a melhor coisa de sempre, mas eles descontinuaram ou então os supermercados não comercializam com a mesma frequência. Ainda assim, salta para as minhas mãos toda a vez que aparece nas prateleiras.

Quantos países já visitaste no total? Já visitei oito países no total!

Porque não fazes vídeos no Youtube? Porque não acho que tenha o potencial que toda a gente vê para fazer tal coisa e porque não me consigo desdobrar em mil para ser blogger, youtuber, filha, neta, namorada, mulher, amiga, insegura, estudante, estagiária e desportista. Para mim, seria ultrapassar os limites do bom senso para eu poder viver com a calma e espaço que quero.

Não tens medo de/não te assusta expor demasiado a tua vida no blogue? Não acho que a minha vida esteja demasiado exposta no meu blogue, aliás, acho que tenho um excelente equilíbrio na escolha daquilo que partilho. Eu faço uma enorme exposição de identidade, sim, na medida em que eu dou a cara por este blogue, não sou anónima, eu falo-vos do que gosto, do que não gosto, do que concordo e do que discordo, do que é que determinado momento ou coisa me faz sentir mas eu protejo e respeito imenso a privacidade das minhas pessoas (que fazem 90% da minha vida) e eu só partilho no blogue pedaços de reflexões que em nada têm a ver com a minha vida em si. A minha vida são as 24 horas que faço delas e entre elas estão refeições, pensamentos que vocês nem sonham que tenho, conversas que nunca virão para aqui e que foram importantíssimas na minha vida, momentos com as minhas pessoas, derrotas e perdas gigantes que nunca partilhei aqui, vitórias e conquistas das quais vocês não sabem, birras, falhas, asneiras, amuos, momentos de choro e de insónias na almofada (porque eu não ando todos os dias aos saltos e a soprar pozinhos de alegria pelas avenidas nem a atirar serpentinas às pessoas), mãos suadas no momento de grandes provas e que eu nunca comentei ou partilhei aqui. Isto é a minha vida, da qual nunca escrevi no meu blogue. Não me posso assustar de algo que nunca fiz nem quero fazer. Eu quero que se identifiquem com a minha personalidade, que simpatizem com a minha identidade, que sintam que vos consegui passar bom conteúdo e mensagens e alegrar o dia com a minha página. Não quero que se identifiquem com a minha vida nem que a vejam como se estivessem à janela. Diferença entre o pessoal e o íntimo, como já vos tinha escrito. É esta a ideia que defendo e, repito: acho que faço um bom equilíbrio dos dois mundos.

O que mais te assusta ao terminar a Faculdade? A inexperiência. Durante 16 anos da minha vida eu sempre soube o que ia fazer e como fazer. Tinha aulas, trabalhos, avaliações e tinha de estudar para elas mas sabia gerir esses afazeres com os momentos mais descontraídos e bonitos. E já era atleta profissional nesse âmbito. Agora, entrando no mundo do mercado de trabalho sinto-me sem experiência, sinto-me pouco preparada, sinto-me caída de paraquedas e com medo de não conseguir dominar a minha capacidade de gestão de tempo como sempre fiz. Vai exigir uma enorme capacidade de improviso, adaptação, cedências e aprendizagem que, apesar de me assustar (brutalmente) sei que não vou baixar os braços nem atirar a toalha ao chão quando derrapar. Por muito que saiba que vai custar.

És uma pessoa que precisa de ter tudo sob controlo e planeado ou deixas as coisas fluir? Depende. Há certos assuntos, decisões, escolhas, momentos e oportunidades em que me sinto muito mais ansiosa e que afectam muito mais a minha saúde e o meu estado quando não as sei e quando não as posso controlar. Quando não as planeio e quando não sei o que está por detrás da cortina. Não é em tudo, mas há determinados pontos que são como agulhas para mim nesse sentido, o facto de não saber e não poder fazer nada para controlar e tomar as rédeas deixam-me debilitada. Em outras coisas eu detesto fazer planos e prefiro que as coisas aconteçam naturalmente, no momento em que as linhas todas acharem que está na altura de se cruzarem. Em que, apesar de aguardar ansiosamente que aconteça, não preparo nada, não faço planos de nada e deixo as emoções do momento levarem-me comigo e parto para a descoberta. Não me consigo considerar uma pessoa controladora ou não-controladora. Acho que há coisas que ligam muito mais em mim a necessidade de controlar do que outras.

O que te faz acordar de bom-humor numa Segunda-feira? Com muita sinceridade, o Diogo. Quando me acorda com suavidade, com mimos e depois faz lutas de almofadas ou cócegas comigo.

Quais são os destinos que mais gostavas de visitar? Roma, imensas cidades no Brasil, Cuba, México, Austrália, imensos locais naturais dos EUA...

Porque não fazes vídeos de outfits? Porque não é o tipo de publicação com que me identifique. Não é nada Inês. Eu compro roupa quando o rei faz anos, eu não tenho o equipamento que fariam as fotos ficarem minimamente decentes nem tenho estilo nenhum irreverente para mostrar. Simplesmente não acho esse tipo de publicações interessante, no meu mundo. Para mim, pelo menos. Sou banalíssima. 

Qual foi a coisa mais bizarra que já te aconteceu? A coisa mais bizarra que eu estou a lembrar-me é de fazer anos no Dia Mundial da Alimentação e ter escolhido o meu curso sem sequer desconfiar que este dia existia (mega falha, eu sei). Sou muita parva por nunca me perguntar porque me ofereciam maçãs à entrada da escola no meu dia de anos ou por que é que num dos meus aniversários fiz uma prova de estafeta com legumes pela minha escola e ganhei. Duh!

Onde vais buscar inspiração para os teus fatos de Carnaval? Não tenho truque, nem ciência. Simplesmente vejo o tema, penso em coisas que estejam associadas ao tema e depois construo uma máscara à volta disso. Outras vezes estou a passear nas lojas para ver acessórios de máscaras e determinado objecto lembra-me algo giro para vestir. Simples assim. Já lá vão 22 anos sempre a mascarar, portanto já é uma aptidão natural para mascarar!!!

Quais são as coisas que mais queres concretizar este ano? Sem sombra de dúvidas, a minha Licenciatura! E ultrapassar esta prova de fogo que é deixarem de me olhar como estudante e passarem a olhar como trabalhadora.

Super gigantesco obrigada pelas vossas perguntas e por terem contribuído para a comemoração do Bobby Pins! Aliás, um obrigada por tudo!

6 comentários:

  1. Identifiquei-me mesmo com o post que escreveste então nesta coisa da faculdade no medo, no sentir-me como estudante e não como uma trabalhadora ainda mais.

    ResponderEliminar
  2. Gostei tanto de ler as tuas respostas e sorri com a resposta à minha pergunta. Sou uma grande apreciadora de casais que exalam o amor que têm um pelo outro. E quem te acompanha sabe perfeitamente que o Diogo tem um papel super importante na tua vida e que se não fosse por isso, talvez visses a vida de uma outra maneira.
    Penso que este Q&A foi uma ótima ideia para celebrares os dois anos do Bobby!

    ResponderEliminar
  3. Adorei conhecer-te mais um bocadinho! Tens uma personalidade e gostos tão vincados e és tão generosa que estou infinitamente grata por ter oportunidade de falar contigo!

    ResponderEliminar
  4. Muitos parabéns ao Bobby Pins e à autora do Bobby Pins!
    Gostei bastante tanto das perguntas, como das respostas. Ao lê-las ganhei uma outra perceção tua, que antes não tinha, como que um prisma. Fico feliz que tenhas orgulho e sejas feliz neste espaço que é só teu e onde muitas vezes encontro aquelas palavras que estavam presas cá dentro, mas que, por algum motivo, não as conseguia pôr cá fora. Ler as tuas publicações, ver as tuas fotografias no Instagram, é algo que faço quase diariamente porque são fascinantes! Que venham outros dois.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  5. Inês será que podias fazer um post sobre o dia dos namorados? Com ideias que tenhas visto e possas partilhar? :)

    ResponderEliminar
  6. Olá Inn!! Tenho imensa pena de não te ter encontrado novamente neste Carnaval e acredita que não pareceste "uma perfeita anormal"!
    Adorei estes posts de "Isto é tão Inês" e as tuas apps de exercício, eu comecei a usar o Fit Girls Guide recentemente mas hoje experimentei o BTFIT e gostei imenso! Tenho tentado ao máximo manter-me em forma mas o que acho mais difícil nem é propriamente fazer exercício.. É mesmo a alimentação (porque tudo me parece mil apetitoso e adoro pão!)
    Espero que continues com o blogue por muito mais tempo (já te disse o que achava num comentário do instagram...)
    Beijinhos grandes :*

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)