sábado, 30 de janeiro de 2016

PASSAPORTE || Ilha Saona, República Dominicana


Uma das oportunidades que tive quando viajei para Punta Cana foi fazer uma excursão a uma das maiores e mais turísticas ilhas da República Dominicana, a ilha Saona. Caracterizada por ser uma ilha virgem, o que significa que ninguém vive naquela ilha e palco de gravações da Lagoa Azul.

Toda a excursão em si foi de sonho. No resort onde estava hospedada, a praia privada ainda tinha mar Atlântico, o que significa que esta foi a minha oportunidade de "provar" o mar das Caraíbas. A viagem foi feita num barco fabuloso, numa enorme festa animada e que tinha uma rede na extremidade do barco onde nos podíamos deitar e ver o mar passar por baixo de nós. A meio, pararam o barco e convidaram todos a dar um mergulho no mar. Foi aí, então, a minha estreia num mar das Caraíbas que, à partida, não tendo nada de cabalmente diferente dos outros mares, me fez sentir renovada. Lembro-me como se fosse hoje. Estava cheia de adrenalina, com um medo irracional de ter um tubarão bem atrás de mim e a cada cinco minutos lembravam-nos de que podíamos tocar nas estrelas do mar mas nunca as tirar da superfície por mais de 5 minutos, para protecção das mesmas. Ao início fiquei desolada, não encontrava nenhuma e com tanta gente dentro de água a areia revolta toldava a visão do mar tão cristalino. Acabei por desistir e voltar para dentro do barco.

Lembro-me de dizer que a ilha era exactamente igual a um screensaver do Windows. Parece quase absurdo que me tenha vindo à memória tal coisa, com tantas ideias bonitas alternativas que podia ter dito, mas foi o que me ocorreu: era bonito demais para ser verdade. Uma imensidão tão grande de natureza, de beleza natural, de cores que se completam, sons harmoniosos, atmosfera envolvente que parece quase absurdo querermos viver em qualquer outro lugar. A areia farinhenta e branca, o mar azul como nenhum Photoshop conseguiria imitar e as palmeiras que dançavam ao sabor do vento e das músicas tão típicas do caribe que passavam. Não dava para sair da água, tal era o calor e poucas eram as ondas que desequilibravam tamanha tranquilidade e harmonia.

Depois de muita exploração, de um almoço gigante e imensos jogos, decidi ir com o meu pai para o mar o mais longe que pudéssemos. Mas a meio parei de repente e quase nem respirei e ordenei ao meu pai que fizesse o mesmo: uma enormíssima estrela do mar, como jamais tinha visto igual, estava a poucos metros de mim, deitada na areia, amarela e laranja, bonita como só ela. O meu pai enterrou as mãos na areia para a elevar e, sem nunca a termos exposto à superfície e deixando-a sempre submersa, observámo-la com todo o cuidado; Passei o dedo pela superfície irregular dela e peguei-lhe para sentir o peso. Senti as suas vilosidades a fazerem-me cócegas com as mãos e hoje choro rios por não haverem Go Pros naquele tempo para hoje ter uma bonita foto do acontecimento. Voltámos a pousá-la na areia e voltámos para a costa sem dizer uma palavra, para não incomodarmos a estrela com o aparato que seria se anunciássemos. É uma das memórias de viagens mais incríveis que tenho.

8 comentários:

  1. Que viagem brutal. Nunca viajei para um destino paradisíaco, mas depois deste post a minha vontade cresceu exponencialmente. As suas viagens e os teus passeios são sempre muito fixes, adoro este tipo de posts.

    ResponderEliminar
  2. Adorava fazer uma viagem semelhante mas penso... uanto me iria sair do bolso?! Mas algum dia terá de ser!

    ResponderEliminar
  3. Deve ter sido mesmo deslumbrante, que sonho!
    Bom blogue :)

    ResponderEliminar
  4. Que sorte que tiveste! Realmente, é um local lindo, parece mesmo o screensaver do Windows xD. Não sabia que tinha sido aí que gravaram a Lagoa Azul, adorei esse filme ( o primeiro claro, os outros a seguir achei horríveis e em nada se comparavam ao primeiro).
    Adorava fazer uma viagem assim.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  5. Uma das minhas viagens de sonho é a República Dominicana, e quando lá for não me vou esquecer de visitar essa ilha. Parece de sonho!

    ResponderEliminar
  6. Escreves tão bem que nos permites reviver as tuas memórias! :D Adorei esta! Espero um dia poder construir as minhas num destino paradisíaco como este...
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  7. Inacreditável! Faz mais publicações assim, adoro lê-las!

    ResponderEliminar
  8. Eu adoro as memórias que tens dos destinos.

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)