sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

MÚSICA || A Head Full of Dreams


Acho que existem poucas sensações que se possam equiparar aquela que sentimos quando a nossa banda favorita lança um disco. Mas confesso que estava um pouco preocupada. Os últimos dois álbuns (Mylo Xyloto e Ghost Stoties) não foram os meus favoritos. Gostei de todas as músicas, cantei-as on repeat durante tempos infinitos e fizeram as minhas delícias mas... Faltava-lhes sempre qualquer coisa. Pensava sempre que, se queriam transitar de um estilo para aquilo que transparecia no álbum, faltava algo... que lhes desse a magia que se caracteriza tão bem na banda. Por isso estava um pouco receosa que este álbum voltasse a seguir essa linha, especialmente com os dois singles oficiais lançados: Adventure of a Lifetime e Everglow.

E melhor do que a tua banda favorita lançar um cd, é a tua banda favorita lançar um cd surpreendente. Eu nunca pensei que pudesse ficar tão agradavelmente fascinada (mais ainda) com cada faixa. A cada música nova eu decidia que era a minha favorita.

A Head Full of Dreams é um álbum tão feliz. Não há outra forma de o explicar. Tal como a capa, extravagante, alegre, cheia de emoções mistas, o álbum assim se reflecte. As músicas são energéticas, são muito, muito melódicas e sinto que está tudo no sítio certo. A magia voltou. E de uma forma completamente diferente daquela que conhecíamos dos Coldplay de Parachutes, X&Y... Sim, diferente. Mas boa. Inovaram.

As músicas têm um ritmo muito alegre e contagiante! Não consegues ouvir estas faixas sem ter vontade de, pelo menos, dar um pézinho de dança. Convidam-te a mexer e a celebrares os melhores momentos. Mas, para além disso, achei os próprios vocais muito, muito doces. Uma mistura que combinou muito bem: a energia dos instrumentos e a candura da voz, mesmo até em parcerias com duas mulheres com uma voz altamente poderosa, Beyoncé e Tove Lo. Entraram num registo quase angelical e que correu tão bem!

Não sei se consigo encontrar favoritas mas, neste momento, as faixas de eleição são A Head Full Of Dreams, Army Of One (a letra desta música toca-me de alguma forma e deixa-me de lágrima no olho, pronto, confesso!) e a Colour Spectrum (que nos meus anos foi apresentada como Amazing Day mas aparentemente esse nome foi para outra melodia). Se tiver que escolher uma que me cativou menos, talvez a Amazing Day. As letras estão bem construídas, têm significados especiais e fazem identificar-nos com as suas mensagens. Sei que pode parecer tendencioso ou não fosse uma super-fã dos mesmos e conhecendo aqui tantas fãs de Adele e Justin Bieber mas... Acho que este foi o álbum mais surpreendente do ano. Não me atirem paus se não concordarem, eu não me importo com opiniões diferentes mas sinto mesmo que surpreendeu. Acho que merece ser um álbum muito premiado (e espero que isso aconteça). Os Coldplay encontraram alegria na música e este álbum não podia vir numa altura melhor, uma altura em que o meu coração alegre se encontra também.


4 comentários:

  1. Coldplay é Coldplay ^^
    Adoro a "A Head Full Of Dreams", as outras ainda não ouvi mas de hoje não passa :)

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito de ler a tua opinião, ainda não ouvi as músicas com a atenção de que elas merecem mas deixaste-me super curiosa! Beijinhos Inês!

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)