sábado, 26 de dezembro de 2015

EVENTOS || Natal 2015


E assim mais um Natal se passou. Na calorosa, sempre calorosa casa da tia. Com o sorriso do avô brilhante do outro lado da sala assim que me viu, com um abraço vindo a 200km/h do João com toda a excitação natalícia, com a tia a dizer "Fiz o bolo para ti" e um piscar de olho.
Os abraços dos familiares mais distantes e alguma pronúncia do norte. O momento em que nos apercebemos que estamos crescidos porque tanta gente o diz. A mesa dos graúdos com selecção de vinhos e a dos miúdos com selecção de refrigerantes. A dança dos meus familiares à volta da mesa para conseguirem as melhores posições para alcançarem o bacalhau e os acompanhamentos e o bacalhau à Brás para nos salvar a todos, esquisitos. A minha constante advertência para o avô não meter mais sal. "Hoje não avô, vá lá" e ele lá me faz a vontade porque ninguém é capaz de recusar uma vontade no Natal.

O barulho que nunca termina. Conversas por todo o lado onde a qualquer momento nos podemos juntar e partilhar o nosso palpite. Ou ficar sossegados, como eu, e observar tudo, registar tudo com os meus olhos e aproveitar este momento de felicidade tão grande. O momento em que todos se calam porque está a dar o anúncio da Galo e todos adoooram chamar-me nessa altura porque sabem que eu acho o anúncio arrepiante.

O sofá que nunca tem comprimento suficiente nestas alturas para abrigar tantos familiares a assistir a estreias. As perguntas do João sobre o Pai Natal. As miúdas mais novas à volta do telemóvel e das mensagens dos miúdos mais populares por quem têm paixoneta. As miúdas mais velhas a falarem das cadeiras como as velhas falam das cruzes, a nossa é sempre pior que a da vizinha e dói mais. Os doces. A fatia de bolo que a avó traz sempre sem que eu esteja à espera. Os restos que o João deixa e que acabo por ser sempre eu a comer. As mensagens calorosas do Diogo que me deixam com o sorriso ainda mais aberto.

As manhãs de Natal tão frenéticas e animadas, com milhões de embrulhos. Todos os natais fico surpreendida por ver tantos presentes dedicados para mim com mimo. Ver os pequenos a ficarem felizes porque era mesmo isto que eles queriam. O almoço, tão feliz. Os passeios, tão serenos, onde Torres Vedras inteira vai à rua e podes desejar feliz natal a quem nas mensagens te escapou sem malícia.

Sim, passou depressa. Mas fui tão feliz. Rodeada de pessoas que me adoram, rodeada de mimos, de boas vontades, de doçura. Sou muito grata, não só pelos presentes que recebo pensados para mim como pelas pessoas que tenho do meu lado.

O regresso a casa, sempre com vontade que os dias recomeçassem de novo. O boa noite e o feliz natal do Diogo, para terminar com amor.

Espero que tenham tido um Natal em pleno e cheio de bons momentos. Que tenham aproveitado ao máximo com a vossa família e que tenham criado memórias inesquecíveis. O Natal não é só das crianças. O Natal é das famílias e quando elas se reúnem (por mais imperfeitas que sejam) a magia volta. Espero que isso tenha acontecido nestes dias. Do coração.

E contem-me lá? Qual foi o vosso presente favorito deste Natal?

3 comentários:

  1. Senti o teu Natal em cada palavra tua, adorei e ainda bem que te divertiste
    O meu presente preferido foi sem dúvida um livro que já andava para ler à tempos " A rapariga no comboio "

    ResponderEliminar
  2. É impossível ler isto sem sorrir. Ainda bem que o teu Natal foi bom! :)

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)