quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

É Natal


Já se sente no ar. O bacalhau já demolhado e as receitas alternativas em cima da bancada, com as pontas a amarelar e algumas manchas dos descuidos culinários ao longo dos anos. As batatas e cenouras misturam-se com os ovos, a farinha e o leite. Cheira a sobremesa, a sonhos, aqueles que se comem e os que se pensam. O chocolate quente que nunca falta de manhã. A televisão a passar momentos da nossa infância e a árvore serena, sossegada, zelando os miminhos que temos para os nossos entes queridos. As mensagens já chegam, algumas dirigidas e outras para todos os contactos. Algumas até das quais nem sabemos de quem sejam mas que achamos curioso que tenham guardado o nosso número ao longo dos tempos.
As melhores toalhas de mesa cá para fora, a loiça mais brilhante empilhada. Os biscoitos teste que são feitos logo de manhã e que servem para provarmos e aprovarmos para mais logo. A indecisão entre ficar de pijama a ver filmes para sempre ou dar uma mãozinha na cozinha. Dividimo-nos entre as músicas de Natal e a música de fundo que vai tocando, as gargalhadas dos miúdos, as organizações mentais da mãe que vai dizendo em voz alta e as recomendações da avó. O pai que já não suporta mais ouvir falar no Natal mas que dá uma ajuda. Os pensamentos mais bonitos direccionados às pessoas que nos aquecem por dentro, mesmo com o frio lá fora. A expectativa do presente mais desejado nas montras, seja do Toys R Us, seja da Zara.

Já se sente. O Bolo Rei que não pode ser tocado até ao final do Jantar. As músicas de Jazz natalícias da tia que já estão fora das prateleiras e a sacola de Pai Natal onde colocamos as prendas que vão para casa da tia. Estes dias, para mim, são os mais quentes do ano e espero que para vocês também. Por dentro.

Estou muito feliz por ter concretizado tudo o que queria fazer para este Natal. Consegui comprar presentes para todas as pessoas que tinha em mente e esforcei-me desesperadamente para acertar (so far, so good). Vi todas as luzes de Natal que queria ver de coração cheio e sem a mínima ponta de tristeza à porta. Tenho vivido esta época com um sorriso aberto e olhos brilhantes e é desta forma que entro nesta quadra festiva com o pé direito. Para mim, a maior das vitórias. E quero celebrar todos estes momentos com o máximo de felicidade possível.

Desejo a todos os meus leitores e a toda esta comunidade bonita um feliz Natal. Seja ele de que forma for. Façam por se aquecer por dentro de alguma maneira e não deixem de presentear os vossos não só com presentes mas também com afecto. Espero que seja exactamente como desejam, do fundo do coração. Feliz Natal.

10 comentários:

  1. Feliz Natal pra ti também, Inês. Tu mereces!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Que bom acordar e ler isto! É mesmo este o tipo de texto que mais gosto de ler por aqui. Introspetivo. Real. Sincero. Teu.

    Ontem ri-me um bom bocado com a história do "Pai a Chorar". :)

    Tem um Feliz Natal, Inês!

    ResponderEliminar
  3. Feliz Natal, Inês!
    Beijinhos docinhos e quentinhos :)

    ResponderEliminar
  4. feliz natal inês! senti cada letra que escreveste (:

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)