sexta-feira, 11 de setembro de 2015


Quando era pequenina tinha uma casa de bonecas que trouxe com ela imensos acessórios, inclusive uma televisão, claro. O autocolante que imitava um ecrã tinha uma fotografia centrada das Torres Gémeas num bonito céu azul de fundo.
Antes disso já eu as tinha visto. Havia na sala uma foto emoldurada da minha mãe numa das Torres e com a vista inteira de Nova Iorque atrás de si. De jardineiras, permanente e lábios vermelhos, ali estava ela de braços abertos num ponto elevado da torre.

Na sala ninguém disse nada quando os aviões colidiram. Sei que houve imensa conversa no jantar, mas não me recordo bem do que disseram e com certeza eram discussões demasiado complexas para uma miúda de 6 anos acompanhar. 
Sei que terminei de jantar e roubei subtilmente a fotografia da sala. Entrei no quarto, abri a casa de bonecas e retirei de lá a televisão. Coloquei a foto e a televisão lado a lado e, comigo, ficavam gravadas as imagens das torres a serem atingidas e a desabar. Era emocionante para mim porque eram uma gravura de brinquedo e jamais pensei que fossem torres reais ou que pudessem, sequer sofrer ataques. O meu mundo ainda era da Barbie e era incapaz de imaginar que aviões decidissem fazer como alvo edifícios, especialmente aviões, o transporte que mais gostava.
A minha mãe entrou no quarto, viu-me, sentou-se ao meu lado, fez o seu papel de mãe que tem de explicar as coisas de forma a não ser muito chocante e voltou a guardar a fotografia na sala. Já eu peguei na televisão de brinquedo e coloquei-a na mesinha de cabeceira e adormeci a olhar para elas.

Ainda hoje me perturba este acontecimento. Cresci e, obviamente, ganhei ainda maior noção do impacto que causou. Vidas perdidas, desespero, as despedidas telefónicas, depressões em loop sem volta... Tudo isso deixa-me com um nó no estômago. Mas esta data em particular tem um peso mais significativo para mim, além de todas e quaisquer tragédias adjuvantes do acontecimento.

11 de Setembro de 2001 foi a data em que perdi a inocência.

3 comentários:

  1. Por mais que tente lembrar-me nao faço a menor ideia de onde estava, com quem ... no dia 11 de setembro, lembro-me da altura e do assunto mas falha-me a memória de pormenores

    ResponderEliminar
  2. Nesse dia tinha dois anos, portanto não me lembro :s

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)