segunda-feira, 15 de junho de 2015

FACULDADE || 7 truques que facilitam o meu estudo


Uma das palavras de ordem quando entramos na Faculdade é truques. Aprendemos truques para tudo, para chegar a determinados blocos, fazer coisas, alcançar objectivos e... no estudo também, mesmo quando os hábitos de estudo não são os melhores. Vou partilhar com vocês alguns dos truques que não dispenso!

1. Eu estabeleço um nível de compreensão
Cada vez que tenho uma cadeira para estudar, que normalmente está dividida em diversos temas, eu coloco junto ao título de cada tema um espaço para estabelecer um nível de compreensão, que vai de 1-10 e que escrevo cada vez que leio ou exercito essa matéria. Porque uso isto? Porque normalmente estudo tudo seguido o que significa que só volto a ler aquele tema depois de ter a matéria toda estudada e a classificação serve para eu ter noção do quão bem eu compreendi aquela matéria. Normalmente escrevo a lápis para ir reformulando a classificação à medida que vou passando pelo tema e, na altura das revisões, eu dou mais ênfase nas temáticas com classificações mais baixas. É uma forma de manter o meu cérebro em estudo sempre bem mapeado!

2. Os meus marcadores fluorescentes têm um código
Se forem como eu naquele truque do "sublinhar" o mais importante, vão ter um caderno arco-íris. Para mim tudo é importante e, especialmente em momentos de ansiedade, eu perco o discernimento do que é vital salientar. Portanto, os meus marcadores têm códigos e podem fazê-lo também. Por exemplo, tenho marcadores para as datas, para as palavras mais articuladas, para microorganismos (no caso de serem de ciências vocês sabem que isto é vital) ou para as gramas de macronutrientes que tenho de dar consoante uma doença ou para nomes importantes... E simplesmente sublinho esses pormenores! Não há limites para a vossa codificação e podem usar o número de marcadores que quiserem mas o meu conselho é keep it simple e quanto menos melhor porque senão acabam por ter o efeito arco-íris na mesma.

3. Ver vídeos no youtube da matéria
Isto pode parecer a coisa mais perigosa de sempre e foi exactamente isso que pensei quando no meu primeiro ano a minha melhor amiga disse que estudava bioquímica com ajuda de vídeos do youtube. Mas dei uma oportunidade e realmente pode ser um excelente truque. Existem duas formas de verem vídeos no Youtube:
-Vídeos de explicação: em que têm um indivíduo a explicar-vos determinada matéria e isso pode ser super útil porque é uma espécie de explicador naquelas matérias mais confusas e porque geralmente eles tentam fazer render o sucesso dos vídeos com muitos exemplos e gravuras, coisa que muitas vezes escassa nos nossos materiais de estudo ou, se for como nas minhas cadeiras, muitas são as vezes que aparecem gravuras e esquemas sem nada lá explicado. Em inglês ou brasileiro não considerem a língua um entrave ou motivo de desconfiança nem considerem também como um único meio de estudo mas sim como um suporte de estudo e compreensão. Acompanhem o desenrolar da explicação com os vossos apontamentos e, em espírito crítico, verifiquem se está de acordo com o que vos leccionaram e anotem os pontos em que tinham mais dúvidas. Já sabem que há terminações diferentes mas em coisas como bioquímica, fisiologia, biologia celular, química vocês têm carradões de vídeos muito bons e que valem a pena ver!
-Vídeos de animação: como referi, muitas vezes aparecem nos meus slides imagens ou esquemas sem nada a explicar e, muitas vezes confusos e isso acontecia-me n vezes em fisiologia, patologia, biologia, bioquímica... E eu gosto de ser uma estudante que aponta todo o processo portanto, se não está lá escrito, eu faço questão de o fazer e nem sempre a imagem é assim tão linear. Outra coisa que pode acontecer é eu ler o processo e não estar a conseguir visualizá-lo, o que dificulta a minha compreensão e o que faço é pesquisar precisamente o nome desse processo e vocês não têm ideia da quantidade de animações que existem com explicação. Tive grandes ajudas especialmente nos processos de DNA/RNA e PCr mas têm de quase tudo e é um auxílio fabuloso. Eu foco-me mais nas ciências porque é a área onde estou mas tenho a certeza de que para o pessoal das letras e social e matemática (imensos!!!!!!) vai encontrar muitas ferramentas de ajuda também, give it a shot!

4. Treina a escrita rápida
Quanto mais rápido conseguires escrever, mais apanhas nas aulas. Usa e abusa das abreviaturas, aprende a escrever sem ver, deixa-te de complexos por os apontamentos de aulas não serem todos bonitos, o importante é sacar o máximo de informação. Tudo é permitido!!!

5. Desenha
Perde tempo a desenhar. Por vezes achamos que é uma engonhice mas pode ser uma grande ajuda para visualizarmos o processo. Não é desenhar com corzinhas e tudo a nível de Picasso, é desenhos feios mesmo, todos tortos com milhões de setas mas que, no final da gatafunhada, olhas para aquilo e pensas "okay, já percebi".

6. Não tenhas problema em ligar a alguém a dizer que não percebes "puto" da temática
Quase todos somos reticentes a estudar em grupo e todos sabemos porquê, o que acaba por ser um bocado o entrave-chave para não ligarmos uns aos outros quando temos dúvidas, ou até enviar mensagem. Eu confesso que isso não me aconteceu muitas vezes e as pessoas ligavam e ligam-me tal como eu o faço e trocamos mensagens pela simples razão de que muitas vezes estamos tão inebriados com uma forma mecânica de pensar que não conseguimos sair dali, ganhamos uma pala ridícula nos olhos e não há volta a dar. E ligar a alguém pode fazer a diferença. Não é ligar sem perceber nada da matéria nem é ligar 300 vezes para 300 perguntas, tenham respeito pelo estudo da outra pessoa também. Mas se estão há horas a empancar numa parte do estudo não metam na cabeça que têm de compreender tudo sozinhos. Liguem ao número de pessoas necessário até apanharem bem a matéria. Por vezes a forma irreverente de outra pessoa pensar pode ser a chave para vocês conseguirem tirar essa pala e dar a volta. Um truque? Optem sempre pela pessoa mais comunicativa. Porque o que vocês querem é uma explicação simples e esclarecedora, alguém que vos exemplifique ao máximo e consiga conversar com vocês em meios como o telefone. A última coisa que vocês precisam é de um punhado de folhas de apontamentos, isso só traz mais ansiedade. Se for último recurso, aceitem, mas se puderem recusar digam que preferem que vos expliquem isso oralmente e só depois aceitam apontamentos para anotações futuras.

7. Gravem-se a falar
Pessoal com carro, mp3, e que tem aqueles textões infinitos para marrar, esta é para vocês! Por muito que a vossa voz seja horrível em gravação, borrifem para isso porque só vocês mesmo é que se vão ouvir. Gravem-se a ler a matéria e não se esqueçam que não pode ser monocordicamente, leiam com ênfase e entoação e, se quiserem adicionem explicações improvisadas no final da leitura. Nos tempos mortos como as viagens para casa, as esperas por alguém ou outras situações em que os livros não estão por perto, é só pôr no play. Em anatomia o rádio do carro era a minha voz. A nossa memória acaba por apanhar inconscientemente certas ideias e memorizá-las, especialmente pelo tom da vossa gravação, vocês acabam por decorá-la como uma melodia e vão apanhar-se a repetir as coisas tal como quando começam a ouvir uma música nova. Desinibam-se e comecem a declamar!

Espero que vos ajude! Bons estudos!

10 comentários:

  1. Eu já faço o 4 e o 5 . Os meus amigos resmungam comigo que passo tudo muito rápido, na maioria das vezes sem olhar e aquilo parecem gatafunhos esquisitos, mas eu percebo e isso é que é preciso! Muitas vezes até altero frases para algo mais simples e perceptível. Quanto a códigos, palavras a cor (que não seja azul ou preto) são importantes e as sublinhadas são importantes, mas não tanto como as a cor :)

    ResponderEliminar
  2. Não faço nadinha disto mas adoro que tenhas um método tão diferente do meu :)

    ResponderEliminar
  3. Que bons conselhos! Obrigada Obrigada Obrigada, vou pôr alguns em prática.
    Beijo!

    ResponderEliminar
  4. Na faculdade aprendi a escrever em tempo record e sem olhar, como referiste. Apanho tudo e não me importo com os gatafunhos!

    ResponderEliminar
  5. Já gravei a minha voz para fisiologia (o cadeirão do curso) e ajudou bastante :) Obrigada pelas dicas!

    ResponderEliminar
  6. boas dicas!
    beijinhos!

    www.beautyindistress.tk ♥

    ResponderEliminar
  7. Vou, definitivamente, começar a usar o primeiro método!

    ResponderEliminar
  8. Adorei todos estes pontos! Tenho que começar a usar o primeiro - óptima ideia!! - e aprofundar o último. Todos os outros de uma forma ou de outra já fazia.

    ResponderEliminar
  9. Olá Inês.
    Este ano vai ser o meu último ano no secundário e estou mais do que ansiosa para poder entrar na universidade. E se há coisa que eu sempre gostei de ler e pesquisar são de métodos de estudo. Não digo que os meus não resultem, porque resultam, mas ver as coisas de uma outra perspetiva é sempre bom.
    Das tuas dicas, coloco em prática quase todas, exentuando a última. Mas hei de experimentá-la.
    Boas dicas e beijinhos.

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)