quarta-feira, 15 de abril de 2015

Responsabilidades e maturidade


Há uns tempos estava com uma amiga minha na casa dela quando a mãe começou a falar de relações amorosas, referindo sempre as relações entre pessoas da nossa idade (18-20) como "amor jovem, superficial, aquele primeiro encanto que depois vai embora, imaturo". Mas eu nunca compreendi esta ideia. Pela simples analogia que vos trago aqui (se forem da mesma opinião dela):

Aos 16 anos vocês têm a idade mínima legal para terem relações sexuais, que não é uma acção superficial muito menos imatura a decidir;
Podem emancipar-se aos 16;
Aos 18 anos vocês podem beber, encartar e conduzir para onde vos der na real gana e ainda têm de decidir o que querem fazer para o resto da vossa vida (relembro que vocês têm menos que duas décadas de vida);
Mas apaixonarem-se e ter uma relação a sério, com carácter de compromisso a sério (e quando falo de compromisso não estou a falar de casamentos nem nada do género)? Isso é "amor jovem" e "primeiro encanto".

Vocês podem decidir se querem operar pessoas aos 18 ou trabalhar na caixa do IKEA. Mas ter sentimentos a sério por alguém é ridículo aos olhos de todos. Estas lógicas da batata fascinam-me de uma forma que não conseguirei nunca explicar por palavras mas sim pela minha cara de otária cada vez que oiço tamanha poesia. Mas eu estou perdoada. Sou jovem, superficial, imatura e encanto-me à primeira facilmente. Perdoem-me por sentir que isto não faz sentido.

17 comentários:

  1. A mim também não faz sentido nenhum!

    ResponderEliminar
  2. Para mim, essa lógica não faz sentido também.

    ResponderEliminar
  3. Sou da mesma opinião que tu! Quando as pessoas me dizem "ai tu és muito nova, sabes lá o que é o amor.", fico com uma 'raiva'!

    ResponderEliminar
  4. Não faz qualquer sentido o que essa senhora ou a maioria pensa.

    ResponderEliminar
  5. A mim essa perspetiva também me faz confusão! Há amores "superficiais" em todas as idades, assim como há amores "sérios"...!

    ResponderEliminar
  6. Por um lado, compreendo a linha de pensamento da senhora. Uma pessoa nos seus 18-20 anos ainda é jovem e pode estar a ter os primeiros contactos com este novo lado da vida. Mas isso do "superficial" e do "sério" é relativo. A senhora tanto pode ter um "encanto superficial" aos 60 anos, como um jovem de 16 pode ter encontrado o amor da vida dele, ou dela, e esse sentimento nunca mais desaparecer.

    ResponderEliminar
  7. é como disses-te é mesmo a lógica da batata! x

    ResponderEliminar
  8. Sempre achei isso parvo. Amor é amor quer seja aos 15 quer seja aos 80.

    ResponderEliminar
  9. É ridículo sim. Não digo que aos 13 anos isso não seja assim, porque todos tivemos a fase de nos "encantar" com qualquer pessoa, mas agora aos 16 e assim já temos cabecinha e a maioria já sabe o que é mesmo amar. Mesmo que ainda seja imaturo e não compreenda bem o que sinta.

    ResponderEliminar
  10. Ridiculo! Completamente! E acho que arranjaste bons fundamentos para a tua "opinião", mesmo que uma opinião destas não precise de fundamento algum. Amor é amor, e não tem idade. Tal como a maturidade não tem uma idade certa para "aparecer" (oh, vê-se tanta gente de 20 com maturidade de 10!).

    ResponderEliminar
  11. concordo plenamente com a tua opinião, acredita! é simplesmente ridículo quando me dizem 'estás apaixonada e és tão nova' e coisas do género. não entendo. quantas pessoas 'adultas' têm imensas relações num espaço de menos de um mês? é tudo tão relativo. os meus pais começaram a namorar com 13 e 15 anos e olha, ainda estão juntos. seria o amor assim tão superficial, jovem e imaturo?

    ResponderEliminar
  12. As pessoas têm tendência a esquecer-se da complexidade emocional e cognitiva que um jovem de 16 anos já tem, quanto mais aos 20. Claro que uma pessoa de 20 anos não encara a vida como uma pessoa de 50, mas generalizar e dizer que aos 18 somos todos imaturos e incapazes de amar a sério é ridículo. Conheço tantos casais estáveis e até já com filhos que começaram a namorar entre os 17 e os 22.

    ResponderEliminar
  13. Concordo contigo, irrita-me plenamente que pessoas pensem que temos idade ou maturidade para umas coisas mas para outras ainda somos crianças...se somos para umas somos para todas, simples!

    ResponderEliminar
  14. Penso que essas ideias são devido ao facto de muitos dos jovens de hoje em dia, trocarem de namorado(a) como quem troca de camisa. Alguém que troca facilmente de namorado(a), claramente ainda não sabe bem aquilo que realmente gosta.

    ResponderEliminar
  15. Adorei! A sério. É que tens razão. Ainda muito antes dos 18 anos temos que começar a pensar no que queremos fazer para o resto da vida. Não tão concretamente mas aos 15 já tens que ter uma ideia (para escolher área/curso profissional). Aos 16 podes beber, conduzir (mota), julgado em tribunal, casar (como já tinhas dito), aos 18 já és considerado adulto e podes fazer o que bem te entender. Sair do país, enfim... podes fazer tudo. Mas as pessoas acham que aos 18 tens que ter maturidade suficiente para umas coisas, no entanto para outras acham sempre que continuas a ser uma adolescente. É estúpido, mas enfim.
    Segui. http://the-blog-ofmylife.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)