sexta-feira, 3 de abril de 2015


É difícil viver com certezas e confiança quando és uma pessoa insegura. É difícil viver com garra com a sensação tão premente de que as coisas desabam, que a maldade existe, que as coisas más acontecem. É difícil encarares-te quando vês que, sobre os ombros, tiveste de passar por desafios difíceis mas que deixaram mazelas, tiveste de sustentar coisas insustentáveis e, ainda assim, acordar com o Sol na cara. Esta particularidade tão vincada em mim, que me fragiliza, é a que tento combater todos os dias mas sem o uso de armas como a arrogância ou a garantia de lugares e pessoas. Eu reconheço-me, reconheço as minhas oportunidades e as pessoas que tenho ao lado, nos sítios onde estou. E apesar de ser insegura, e de isso dar cabo de mim, eu tento, todos os dias, encarar-me com orgulho, respeito e reflectir esses sentimentos para as pessoas que mais gosto. Não há nada que me faça sentir mais confiante do que saber que as pessoas de quem gosto vão ter sempre o maior respeito e consideração que me for possível e impossível. Aquece-me a alma.

1 comentário:

  1. Percebo bem o que escreveste... Como eu costumo dizer, todos temos marcas, o que nos diferencia é a maneira como lidamos com elas :)

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)