quarta-feira, 5 de novembro de 2014

DAILY || Dias Maus


Temos direito a dias maus. É um direito óbvio e bastante dado como adquirido mas ainda assim não damos uso ao dia mau como devia ser dado. O dia para ser realmente mau sem culpa.
É certo que vamos entrar no carro e desligar do mundo e das perguntas que nos estão a fazer ou até mesmo refilar com todos os carros que se metem no nosso caminho. Reclamar da chuva, reclamar do Sol quando trouxe este casacão enorme e que faz com que pareça que estou a sambar no Rio de Janeiro cá dentro. Reclamar da carga de trabalhos que há para fazer e das 40 páginas que temos de saber até à próxima semana.

Mas se é para ter um dia mau, que tenhamos. E vamos saboreá-lo. Vamos petrificar no sofá, vamos escolher a manta mais fofinha. Vamos escolher o nosso peluche de infância ou a nossa almofada desde sempre. Vamos ficar mal humorados, vamos ficar ciumentos, vamos ficar magoados com todos e com o mundo. Com aquilo que aconteceu, com aquilo que ainda não aconteceu mas já está a envenenar a nossa cabeça e com aquilo que não aconteceu mas podia ter perfeitamente acontecido. Vamos ficar de coração acelerado e vamos puxar os cobertores à cara quando for preciso chorar. E se é para chorar, que o dia mau nos faça acabar as reservas nacionais de água. Vamos chorar tudo o que há para chorar, dos sentimentos mal tratados, dos objectivos não alcançados (para já), do pacote de bolachas que eu tinha de propósito deixado para estas ocasiões e que alguém comeu, do esquema que o mundo prepara para nos ver infelizes. Choremos da mensagem que não recebemos e da mensagem que recebemos mas não era o que queríamos. E quando nos perguntarem porque estamos assim, puxemos da Quinta Emenda que está tão bem encaixada na nossa Constituição e digamos que não é nada mas que precisamos de um abracinho. Ou dois. Ou q.b.

Comamos as coisas que tenhamos de comer para sentir breves momentos de felicidade e vejamos coisas ridículas na TV que nos fazem esquecer o dia por momentos. Se é para deprimir, deprimamos num dia mau, em que o tempo lá fora acompanha a nossa neura e chora, chora, chora sem parar, com raios de raiva. Vamos ficar lastimosos, caóticos, um pouco ranhosos e muito inchados dos olhos, mas é um dia mau, podemos.

Mas façamos isso tudo no dia mau. Para que no dia seguinte, mesmo que os pesos ainda estejam nas nossas costas, já não hajam fraquezas que nos desamparem. Já demos o valor necessário a um dia mau. Agora é erguer a cabeça e enfrentar as coisas como meninos crescidos. Largar os cobertores, e enxugar os olhos. E é bom que assim o façamos porque o próximo dia mau não está para breve.

6 comentários:

  1. Força !
    Espero que o teu dia melhore :)

    ResponderEliminar
  2. É exactamente assim que penso. Quando tenho dias maus reclamo, choro, falo pouco. Mas o dia seguinte é sempre bom porque é assim que tem de ser e todos os dias podem ser felizes depois dum dia mau :)

    ResponderEliminar
  3. Tem que ser mesmo assim...dias maus não servem para outra coisa, ou melhor, é basicamente impossível fazer-se outra coisa num dia mau. E só assim se consegue ter força para o dia seguinte =)

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)