sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Não tenho perfil para ser advogada nem para perder.


Há uns tempos perguntaram-me porque estava eu num curso de Saúde quando tinha "vocação" para Direito, mais designadamente advocacia ou diplomacia. Disseram-me que me viam como uma excelente advogada, mordaz, que não perde nem a feijões e acharam estranho não seguir esse caminho.

Na verdade penso que estavam influenciados pela minha família, que transborda de Advogados. Eu costumo brincar e dizer que quando a minha família se reformar, as vagas de empregabilidade vão aumentar porque eles são mais que as mães. E a partir do momento em que os outros percebem isso, fazem esta pergunta de praxe. Não tenho perfil para ser advogada, além de ser uma profissão bem mais aborrecida do que deixam passar nos filmes e séries.

Mas nunca coisa eles têm razão: eu não perco nem a feijões e, como os bons advogados cá de casa me ensinaram, temos de pegar em tudo de nós e reverter para um lado que nos torne mais poderosos e confiantes em nós mesmos. Este podia ser um lado fraco - mau perder - mas reverto-o para a minha determinação. Não há utente que vá entrar no meu consultório e sair a perder (sei que vai acontecer e também sei que vou ficar horrivelmente chateada quando isso acontecer). A partir do momento em que entra, somos uma equipa. E eu não saio a perder, nem como equipa. Se eu dou 100% espero que quem está do meu lado dê 300% porque é isso que eu faço quando estou na equipa de outra pessoa (em tudo nesta vida).

E quem precisa de uma advogada que não perde quando pode ter uma nutricionista que está sempre a ganhar? Perspective. 

14 comentários:

  1. Ainda bem eu tens essa qualidade em ti :)

    ResponderEliminar
  2. Também estou em ciências e já me perguntaram várias vezes porque é que não segui uma área que desse para o Direito ou qualquer coisa com diplomacia, ciências políticas ou assim x) Já me disseram isso familiares, amigos e mesmo professores (quando eu "discutia" com eles). Por um lado isso deixa-me feliz, uma vez que estes elogios se devem ao meu poder de argumentação. Mas o facto de seguir um curso ligado à ciência não quer dizer que o meu poder argumentativo vá para o lixo :)

    ResponderEliminar
  3. Também estou em ciências e já me perguntaram várias vezes porque é que não segui uma área que desse para o Direito ou qualquer coisa com diplomacia, ciências políticas ou assim x) Já me disseram isso familiares, amigos e mesmo professores (quando eu "discutia" com eles). Por um lado isso deixa-me feliz, uma vez que estes elogios se devem ao meu poder de argumentação. Mas o facto de seguir um curso ligado à ciência não quer dizer que o meu poder argumentativo vá para o lixo :)

    ResponderEliminar
  4. Bem, o curso de Direito tem imensas saídas, é uma das minhas opções (eu estou no curso de cientifico), mas a advocacia não é uma coisa que eu goste propriamente, gosto mais da magistratura, muito mais...Para a advocacia é preciso agarrares com unhas e dentes, teres a arte de bem falar, and well, eu consigo fazer isso por escrito, mas não sei se teria muito á vontade para defender uma pessoa em tribunal, por isso é que de longe preferia ser magistrada. Mas não sei, eu tenho 19 cursos na lista, Nutrição até é um deles, não sei para o que tenho jeito. Mas tu com essa determinação vais longe, vais sim.
    R: Oh, o problema é que eu nunca sei o que fazer, entendes?

    ResponderEliminar
  5. Acho isso excelente! Para além de te tornar uma óptima profissional, faz de ti, sem dúvida, uma pessoa melhor. Com quem se pode contar!

    ResponderEliminar
  6. Nutricionista? Somos colegas entao, ou melhor, seremos brevemente :P

    ResponderEliminar
  7. Nao linda, é ciencias da nutriçao :)

    ResponderEliminar
  8. Bem vais ter de ser a minha nutricionista :p

    ResponderEliminar
  9. Vais ser uma excelente nutricionista, não tenho dúvidas. As pessoas que entrarem no teu consultório serão umas sortudas. Se ficares a trabalhar na zona de Lisboa faço até questão de ser tua paciente (que bem preciso de alguém que me puxe as orelhas).

    ResponderEliminar
  10. Desculpa desde já o comentário ser em anónimo mas não tenho outro meio de comentar...
    Gostei muito da tua determinação, no entanto - e falo por experiência, porque tenho amigos muito próximos assim - espero que também sejas uma pessoa bem consciente dos limites de todas as situações, porque, sem te aperceberes, essa qualidade torna-se defeito e do nada, uma pessoa que era determinada e ambiciosa passou a achar que tem sempre de ser a melhor e que só ela é que está correta. E isso é muito mau.
    E quando à ultima frase... todas as profissões são precisas. E em todas, todas há falhas. Não tem sentido comparar assim dessa maneira, pelo menos, no meu ponto de vista, apesar de ter entendido o que disseste!
    Não vim de maneira nenhuma criticar-te ou apontar o dedo, até porque gostei do post, apenas comentar o que aqui partilhaste, que espero que também percebas :)

    ResponderEliminar
  11. Anónimo, antes que me refira ao que referiste em primeiro lugar, penso que foi claro que fiz a frase final no contexto do texto e não numa tentativa de estabelecer hierarquias profissionais. Se, como também referiste, o percebeste, pergunto-me o porquê da nota, quando claramente ficou bem explícito que não estava a denegrir nenhuma profissão mas a moldar estas duas profissões disponíveis à pessoa que sou.

    Agora, em jeito de resposta ao ponto de cima, há uma grande diferença entre obstinação e arrogância, que é o que estás a salientar nesse ponto. Admito que detesto perder a feijões (como escrevi) mas nunca na minha vida pisei alguém ou usei alguém em proveito dos meus sucessos, nem me achei dona da razão por tal coisa. Sei reconhecer quando estou errada e sei também carregar o peso na consciência sozinha. Nunca aceitaria uma vitória à custa dos outros ou de argumentos e/ou atitudes despropositadas e é por isso mesmo que muitas poucas pessoas como eu revelam este seu lado, pois facilmente haverá estas chamadas de atenção desnecessárias que nos fazem sentir como se uma pessoa obstinada fosse alguém que pisa os outros ou é casmurra e obtusa para chegar a metas.

    Não estou em jeito de criticar o teu comentário, muito pelo contrário, estou com as mesmas intenções que tu, dar a minha visão. É um facto de que existe muita gente achando-se vencedora dos 7 mares, como bem pontuaste e não podia concordar mais. Mas não acho que se encaixe no meu perfil. Talvez alguém me venha dizer que não, e aceitarei as criticas que houver a apontar, jamais na vida quereria ser perfeita ou ter sempre razão. Eu certamente escolho as batalhas em que tenho condições para vencer E condições para vencer por esforço próprio.

    Estou muito grata pelo teu testemunho, espero que também compreendas o meu :)

    ResponderEliminar
  12. Reforcei a última frase no sentido de que tu até poderias dar uma boa advogada, mesmo que acabasses por perder algumas "batalhas", como disseste, entendes? Não achei que desvalorizasses uma e valorizasses mais outra, apenas queria dizer que mesmo que falhasses, de facto, poderias ser boa naquilo.
    Nunca tentei dizer que tu o serias ou um dia acabarias por tornar-te assim, aliás, pelo contrário, por isso disse que gostei imenso do teu testemunho, porque há poucas pessoas que se revelam ser assim e o são de facto, com limites. Era nesse base que estava a comentar, até porque só te conheço do blog e jamais poderia apontar-te este ou aquele defeito! Obrigada pela resposta, e boa sorte para a tua carreira, seja ela qual for, porque vais ter sucesso :)

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)