sábado, 23 de agosto de 2014

CITAÇÕES || A última entrada no Diário de Anne Frank


"Estou dividida em duas. Um dos lados contém a minha alegria exuberante, a minha irreverência, a minha alegria de viver e, acima de tudo, a minha capacidade de apreciar o lado mais ligeiro das coisas. Quero com isto dizer não ver nada de errado num namorico, num beijo, num abraço, numa anedota picante. Este lado de mim está geralmente à espreita para dominar o outro, que é muito mais puro, profundo e belo. Ninguém conhece o meu melhor lado (...). O meu lado mais leve, mais superficial, ganhará sempre a dianteira ao lado mais profundo, e portanto vencerá sempre.

Tenho medo que as pessoas que me conhecem como sou normalmente descubram que tenho outro lado, um lado melhor e mais belo. Tenho medo que trocem de mim, que me achem ridícula e sentimental e que não me levem a sério. Estou acostumada a não ser levada a sério (...). Sei exactamente como gostaria de ser, como sou... por dentro. Mas infelizmente só sou assim comigo própria. E talvez seja por isso - não, tenho a certeza que é por isso - que penso em mim como uma pessoa feliz por dentro, enquanto os outros pensam em mim como feliz por fora.

Como já te disse, o que digo não é o que sinto, e é por isso que tenho a reputação de ser uma doida e uma namoradeira, armada em esperta e uma ávida leitora de romances (...). Para ser completamente honesta, tenho de admitir que na verdade isto é muito importante para mim, que estou a esforçar-me muito para mudar, mas que tenho sempre pela frente um inimigo muito mais poderoso.
Uma voz dentro de mim soluça:
-Vês, foi nisto que te tornaste. Estás rodeada por opiniões negativas, expressões consternadas e rostos trocistas, pessoas que não gostam de ti, e tudo porque não ouves os conselhos do teu próprio lado bom.
Acredita, gostava de os ouvir, mas não resulta, pois se fico sossegada e séria, toda a gente pensa que estou a preparar alguma e tenho de me salvar com uma piada (...).

Por fim, não aguento mais. Quando começam todos a cair-me em cima fico zangada, depois triste e, finalmente, acabo com o coração virado do avesso, a parte má para fora e a parte boa para dentro, e continuo a tentar encontrar uma maneira de me tornar naquilo que gostava de ser, e que poderia ser se... se não existisse mais ninguém no mundo."

O Diário de Anne Frank termina assim. Eu acho esta entrada a mais arrepiante e bela de todos os livros que já li.

7 comentários:

  1. Identifiquei-me tanto! Tenho mesmo que ler este livro :)

    ResponderEliminar
  2. Identifiquei-me muito.
    Li este livro pela primeira vez com 13 anos e nessa altura não entendi o que ela queria, agora, 5 anos depois, percebo tão bem.

    ResponderEliminar
  3. Apesar de ter lido este livro pela primeira vez há bastantes anos ainda tem o mesmo efeito em mim. É uma história arrebatadora.

    ResponderEliminar
  4. Eu nem li este excerto porque se ha livro que queria ler era este

    ResponderEliminar

Quaisquer comentários que visem a ofender e/ou afectar a minha integridade, dos meus leitores, comentadores, bloggers ou entidades que refiro nas minhas publicações não serão aceites.

Quaisquer questões colocadas serão respondidas na própria caixa de comentários!

Muito obrigada por estares aqui :)